A realidade da cardiopatia congenita no Brasil: revisão bibliográfica / The reality of congenital heart disease in Brazil: bibliographic review

Maria de Sousa Amorim, Gilberto Campos Guimarães Filho, Nara Alves Fernandes, Isabella Cristina de Oliveira Lobo Lopes, Fyllipe Roberto Silva Cabral, Alinne Maria Guimarães, Luana Oliveira Ribeiro, Thaisla Mendes Pires

Abstract


As cardiopatias congênitas (CC) são malformações anatômicas do coração de difícil diagnóstico pré-natal, bem como complexo tratamento. Estão entre as principais causas de morbimortalidade neonatal com prevalência crescente na população. Devido à escassez de evidências científicas sobre o tema e o difícil acesso ao diagnóstico e tratamento adequado, até mesmo pelos serviços especializados em CC, em 2017 o Plano Nacional de Assistência à Criança com Cardiopatia Congênita foi instituído no SUS. O presente estudo tem como objetivo avaliar o cenário das CC no Brasil. Nesta revisão bibliográfica foram consultadas as bases de dados da Biblioteca Virtual em Saúde (BVSBrasil), com dados dos últimos 20 anos (2000-2020) no Brasil, LILACS, MEDLINE, e Scielo e realizou-se uma busca com os descritores “Cardiopathy” AND “Congenital” AND “Acyanotic” ou “Cyanotic” ou “Brazil” no período de 2015-2020. Dos 87 artigos encontrados, 11 cumpriram os critérios de inclusão, sendo, portanto, usados neste trabalho. Os artigos analisados apontam que a realização da educação em saúde continuada pode contribuir para a melhor qualidade de vida e compreensão do paciente e/ou cuidador frente às limitações da CC. Os fatores que apresentaram redução na morbimortalidade foram: o diagnóstico precoce; realização de exames de triagem e/ou imagem; e acompanhamento multidisciplinar. O contexto nacional reflete a subnotificação da incidência de CC, por possíveis dificuldades no seu diagnóstico. Vale ressaltar que o prognóstico do paciente varia de acordo com a estrutura do serviço, acesso aos exames complementares, conhecimento médico especializado e tratamento precoce: clínico, cirúrgico ou endovascular. Torna-se perceptível a necessidade da disseminação da triagem pré e pós-natal, facilidade ao acesso de exames diagnóstico, tratamento adequado, educação continuada da equipe de saúde e cuidadores, assim como a realização de estudos epidemiológicos que contribuam para um efetivo planejamento estratégico em saúde pública.

 

 


Keywords


Cardiopatia Congênita, Educação continuada, SUS, Morbimortalidade Neonatal.

References


AZEKA, E. et al. I Diretriz de insuficiência cardíaca (IC) e transplante cardíaco, no feto, na criança e em adultos com cardiopatia congênita, da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Arquivos Brasileiros De Cardiologia, v. 103, p. 1-126, 2014. Disponível em: . Acesso em 04 ago.2021.

BARROS, T. L. V.; DIAS, M. J. S.; NINA, R. V. A. H. Congenital cardiac disease in childhood x socioeconomic conditions: a relationship to be considered in public health?. Brazilian Journal of Cardiovascular Surgery, v. 29, p. 448-454, 2014.Disponível em:< https://www.scielo.br/j/rbccv/a/8b6cPzpCjMq8dqyhG9S4dHs/abstract/?lang=en&format=html>. Acesso em 04 ago.2021.

BELO, W. A.; OSELAME, G. B.; NEVES, E. B. Perfil clínico-hospitalar de crianças com cardiopatia congênita. Cadernos Saúde Coletiva, v. 24, p. 216-220, 2016. Disponível em:< https://www.scielo.br/j/cadsc/a/qrvqgM7VHbbf99YrgsfBF6J/abstract/?lang=pt> Acesso em 04 ago.2021

BRASIL, Ministério da Saúde. Síntese de evidências para políticas de saúde: diagnóstico precoce de cardiopatia congênita. Brasília, 2017. Disponível em: . Acesso em 04 ago.2021.

BRASIL, Ministério da Saúde. Teste do coraçãozinho (oximetria de pulso) na triagem neonatal 2014. Disponível em: . Acesso em 04 ago.2021.

BRASIL. Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios - PNAD 2009: Síntese de Indicadores. Rio de Janeiro, 2010.

BRASIL, Ministério da Saúde. PORTARIA Nº 1.727, DE 11 DE JULHO DE 2017. Aprova o Plano Nacional de Assistência à Criança com Cardiopatia Congênita. Disponível em: Acesso em 05 ago.2021.

CANEO, L. F. et al. Evaluation of surgical treatment of congenital heart disease in patients aged above 16 years. Arquivos brasileiros de cardiologia, v. 98, n. 5, p. 390-397, 2012. Disponível em:< https://www.scielo.br/j/abc/a/3Bkyjdy8JNGQFQsFwD8Dt4N/?lang=pt>. Acesso em 04 ago.2021

DEARANI, J. A. et al. Caring for adults with congenital cardiac disease: successes and challenges for 2007 and beyond. Cardiology in the Young, v. 17, n. S4, p. 87-96, 2007. Disponível em: . Acesso em 05 ago.2021.

JESUS, V. S. et al. Waiting for Cardiac Procedure in Congenital Heart Disease: Portrait of an a Hospital in the Amazonian Region. International Journal of Cardiovascular Sciences, v. 31, p. 374-382, 2018. Disponível em: . Acesso em 04 ago.2021.

LOPES, L. Ecocardiografia Fetal. Rio de Janeiro: Revinter; 2016

NAYAK, K.; S., N. C. G.; SHETTY, R; NARAYAN, P. K. Evaluation of fetal echocardiography as a routine antenatal screening tool for detection of congenital heart disease. Cardiovascular diagnosis and therapy, v. 6, n. 1, p. 44, 2016. Disponível em:. Acesso em 05 ago.2021.

OLIVEIRA, C. M. M. et al. Óbitos neonatais em uma unidade de terapia intensiva pediátrica, Belém, Pará, Amazônia oriental: diferentes realidades, diferentes perspectivas. Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 10, p. 20789-20799, 2019. Disponível em: . Acesso em 04 ago.2021.

PINHEIRO, D. O. et al. Accuracy of prenatal diagnosis of congenital cardiac malformations. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, v. 41, p. 11-16, 2019. Disponível em:. Acesso em 04 ago.2021.

SCHAAN, C. W. et al. Capacidade funcional em crianças e adolescentes com cardiopatia congênita. Revista Paulista de Pediatria, v. 37, p. 65-72, 2019. Disponível em: . Acesso em 04 ago.2021

TREVISAN, P. et al. Congenital heart disease and chromossomopathies detected by the karyotype. Revista Paulista de Pediatria, v. 32, p. 262-271, 2014. Disponível em: . Acesso em 04 ago.2021.

UNICEF. Pobreza na infância e adolescência. Disponível em: . Acesso em 04 ago.2021.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n5-071

Refbacks

  • There are currently no refbacks.