Doença Hipertensiva Específica da Gestação: evolução científica na relação da pré-eclâmpsia com a morbimortalidade materna / Pregnancy-Specific Hypertensive Disease: scientific evolution in the relationship between pre-eclampsia and maternal morbidity and mortality

Luís Carlos Corrêa Duarte Filho, Rodrigo da Silva Plácido, Rodrigo Viana Bastos, Pedro Henrique Cavalcante de Carvalho, Victor Murilo Barbosa Carmo, Janine Silva Ribeiro Godoy

Abstract


Realizar uma revisão de literatura sobre a doença hipertensiva específica da gestação. Foi realizado uma revisão integrativa da literatura das publicações sobre a Doença Hipertensiva Específica Gestacional (DHEG) e o tratamento associado nas bases de dados Scientific Eletronic Library Online (SciElo) e Publicações de Medicina (PubMed) utilizando critérios de inclusão para coleta de artigos. A Pré-eclâmpsia (PE) é uma doença multifatorial e multissistêmica, uma doença específica da gestação, surgindo após a 20ª semana e com hipertensão arterial (PA igual ou maior a 140 x 90 mmHg), acompanhado por uma importante proteinúria ou disfunção de órgão alvo. Esta patologia pode ser suspeitada por meio de outros sintomas como: cefaleia, dor abdominal ou testes laboratoriais anormais, especificamente queda do número de plaquetas ou anormalidades das enzimas hepáticas. Considerações finais: A PE junto com as outras doenças da doença hipertensiva específica da gestação precisam ser precocemente diagnosticadas no pré-natal como mecanismo de diminuição da morbimortalidade materno-fetal.

 


Keywords


Hipertensão Induzida pela Gestação, Medicina, Gestação.

References


AGUEMI AK. Indicadores maternos para monitorar hospitais da Rede Cegonha: uma proposta. Ciênc. saúde coletiva, 2021, 26(3): 781-787.

AMARAL WT, PERAÇOLI JC. Fatores de risco relacionados á pré-eclâmpsia. Ciências Saúde, 2011, 22(1): 15-20.

BRANDÃO AHF, et al. Predição de pré-eclâmpsia em suas formas tardia e precoce pela dilatação fluxo-mediada da artéria braquial. Radio Bras. 2014, 47(4):20-28.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Caderno da atenção básica: atenção ao pré-natal de baixo risco. 1.ed. Brasília: Editora MS, 2012.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Manual técnico: gestação de alto risco. 5. ed. Brasília: Editora MS, 2010.

CANDIDO AC, et al . Implications of iodine deficiency by gestational trimester: a systematic review. Arch. Endocrinol. Metab. 2020, 64(5): 507-513

Eduardo, F. C. Febrasgo - Tratado de Obstetrícia. Grupo GEN, 2018. 9788595154858. Disponível em: https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788595154858/. Acesso em: 29 Apr 2021

GONZALEZ-WONG C, et al . El rol de la vitamina D sobre el riesgo de preeclâmpsia: Revisión narrativa. Rev. chil. nutr., 2021, 48(1): 118-125.

GOUVEIA IF, et al . Maternal and fetal outcomes of pregnancy in chronic kidney disease: diagnostic challenges, surveillance and treatment throughout the spectrum of kidney disease. Braz. J. Nephrol., 2021, 43(1): 88-102.

HERDT MCW, et al . Temporal Trend of Near Miss and its Regional Variations in Brazil from 2010 to 2018. Rev. Bras. Ginecol. Obstet., 2021, 43(2): 97-106.

HOPKINS J. Manual de Ginecologia e Obstetrícia. Artmed, 2012.

KUMAR V, et al. Robbins e Contran: Patologia- Bases patológicas da doença. 8. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

LAKATOS EM, MARCONI MA; Metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

LEITE SD, et al . Preeclâmpsia as an Inaugural Manifestation of Primary Hyperparathyroidism: A Case Report. Rev. Bras. Ginecol. Obstet., 2020, 42(12): 841-844.

MARTINEZ NF, et al. Características clínicas e laboratoriais de gestantes com pré-eclâmpsia versus hipertensão gestacional. Rev. Bras. Ginecol. Obstet, 2014, 36(10): 461-466.

MOURA NS, et al . Clinical Procedures for the Prevention of Preeclâmpsia in Pregnant Women: A Systematic Review. Rev. Bras. Ginecol. Obstet., 2020, 42(10): 659-668.

NUNES JS, et al . The Influence of Preeclâmpsia, Advanced Maternal Age and Maternal Obesity in Neonatal Outcomes Among Women with Gestational Diabetes. Rev. Bras. Ginecol. Obstet., 2020, 42(10): 607-613.

OLIVEIRA LGD, et al . Pre-eclâmpsia: Universal Screening or Universal Prevention for Low andMiddle-Income Settings?. Rev. Bras. Ginecol. Obstet., 2021, 43(1): 61-65.

PEREIRA, Theonas Gomes et al . Fatores associados ao near miss neonatal no Brasil. Rev. Saúde Pública, São Paulo , v. 54, 123, 2020 .

SUBTIL SFC, et al . Update on Thrombocytopenia in Pregnancy. Rev. Bras. Ginecol. Obstet., 2020, 42(12): 834-840.

RAMOS FLF, et al. Hypertensive Disorders: Prevalence, Perinatal Outcomes and Cesarean Section Rates in Pregnant Women Hospitalized for Delivery. Rev. Bras. Ginecol. Obstet., 2020, 42(11): 690-696.

RAPOSO JTBV, et al . Serous Retinal Detachment in Pre-eclâmpsia: Case Report and Literature Review. Rev. Bras. Ginecol. Obstet., 2020, 42(11): 772-773.

REZENDE J, MONTENEGRO CAB. Obstetrícia. 13ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2017.

Sogimig. Manual SOGIMIG de Ginecologia e Obstetrícia. MedBook Editora, 2017. 9786557830291. Disponível em: https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9786557830291/. Acesso em: 23 Apr 2021




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n5-065

Refbacks

  • There are currently no refbacks.