Análise da estabilidade microbiológica de formulações magistrais contendo cafeína a 5% / Analysis of the microbiological stability of magisterial formulations containing 5% caffeine

Caroline Beato Soares, Rita Dulcivania Ferreira Soares, Juliana Carvalho Ribeiro

Abstract


A cafeína é um ativo que se destaca no tratamento da celulite. O objetivo deste trabalho foi avaliar a estabilidade microbiológica de duas formulações contendo cafeína a 5%. As formulações mostraram-se estáveis, demonstrando grande potencial para serem desenvolvidas em farmácia magistral, com resultados satisfatórios e preço acessível ao consumidor.


Keywords


Cafeína, Estudo de estabilidade, Gel de carbopol, Gel de hidroxietilcelulose.

References


MINC Harris. Pele: do nascimento a maturidade. Senac, São Paulo, 2016.

EM Vogel et al. Avaliação da qualidade de cosméticos com ativo cafeína em bases galênicas gel e creme elaborado por farmácias magistrais na cidade de Campo Mourão-PR (dissertação). Campo Mourão-PR, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, 2020.

D Hexsel, M Soirefmann. Cosmeceuticals for Cellulite. Seminars in Cutaneous Medicine and Surgery, WB Saunders 30(3):167-170, 2011.

F Rodrigues, MA Nunes, RC Alves, MBP Oliveira. Applications of recovered bioactive compounds in cosmetics and other products. In: Handbook of Coffee Processing By-Products, Academic Press, 2017.

CC Lis, FR Massuquetto, TFBX Silva, NC Lubi. Desenvolvimento e avaliação da estabilidade de um gel contendo cafeína, Revista Saúde e Desenvolvimento 13(16):101-119, 2019.

HP Rang, et al. Farmacologia, 7 edição, Elsevier, Rio de Janeiro, 2012.

YYM De Maria, LMM Gomide. Cafeína e café: a dualidade entre seus efeitos tóxicos e antioxidantes, Revista InterSaúde 1(1):73-85, 2019.

A Herman, AP Herman. Caffeine’s mechanisms of action and its cosmetic use, Skin pharmacology and physiology 26(1):8-14, 2013.

CTN Tano. Avaliação histológica do tecido adiposo da pele de ratas sob ação de cafeína e Cafeisilane® C (dissertação). São Paulo, Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Universidade de São Paulo, 2003.

MC Chorilli. Influência da viscosidade do veículo na liberação in vitro da cafeína, Revista Eletrônica de Farmácia 4(1):52-60, 2007.

EM Fernandes, et al. Incremento na dissolução da cafeína em base de ammonium acryldimethyltaurate/vpcopolymer: desenvolvimento farmacotécnico de géis anticelulite. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada 36(1):69-75, 2015.

AO Ferreira, M Brandão. Guia Prático da Farmácia Magistral – Volume II, 4 edição, Pharmabooks, São Paulo, 2011.

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Parecer Técnico Nº 1, de 29 de janeiro de 2002. Assunto: Utilização de metilxantinas em preparações cosméticas. ANVISA, Brasília, 2002.

Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Guia de Estabilidade de Produtos Cosméticos. ANVISA, Brasília, 2004.

Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 67, de 8 outubro de 2007. Dispõe sobre Boas Práticas de Manipulação de Preparações Magistrais e Oficinais para Uso Humano em farmácia, 2007.

A Costa. Tratado Internacional de Cosmecêuticos. Grupo Gen-Guanabara Koogan, 2012.

JF Topan. Emulsões à base de óleo de girassol (Helianthus annus L.) com cristal líquido: avaliação das propriedades físico-químicas e atividade cosmética (dissertação). Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, 2012.

NM Corrêa, FB Camargo Júnior, RF Ignácio, GR Leonardi. Avaliação do comportamento reológico de diferentes géis hidrofílicos. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas 41(1):73-78, 2005.

JS Chu, MY Danny, GL Amidon, ND Weiner, AH Goldberg. Viscoelastic Properties of Polyacrylic Acid Gels in Mixed Solvents. Pharmaceutical Research 9(12):1659-1663, 1992.

J Hurler, A Engesland, B Poorahmary Kermany, N Škalko‐Basnet. Improved texture analysis for hydrogel characterization: Gel cohesiveness, adhesiveness, and hardness. Journal of Applied Polymer Science 125(1):180-188, 2012.

MT Islam, N Rodriguez-Hornedo, S Ciotti, C Ackermann. Rheological characterization of topical carbomer gels neutralized to different pH. Pharmaceutical Research 21(7):1192-1199, 2004.

RDF Soares, et al. Development of a chitosan hydrogel containing flavonoids extracted from Passiflora edulis leaves and the evaluation of its antioxidant and wound healing properties for the treatment of skin lesions in diabetic mice. Journal of Biomedical Materials Research Part A 108(3):654-662, 2020.

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC Nº 162, de 11 de setembro de 2001. Estabelece a lista de substâncias de ação conservante para produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes. Brasília, 2001.

EN Gaspari. Cosmetologia I. UNIASSELVI, Indaial, 2015.

DY Miura. Desenvolvimento farmacotécnico e estudo de estabilidade de géis de papaína destinados ao tratamento de feridas (dissertação). Faculdade de Farmácia, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2017.

TJA Pinto, TM Kaneko, AF Pinto. Controle biológico de qualidade de produtos farmacêuticos, correlatos e cosméticos, 4 edição. Atheneu, São Paulo, 2015.

SC Fox. Remington Education Pharmaceutics. Pharmaceutical Press, London, 2014.

M Ratajczak, et al. Microbiological quality of food suplements. Acta Poloniae Pharmaceutica, 72(2):383-387, 2015.

LLI Teodoro, IMS Torres, NP Barbosa. Avaliação microbiológica dos produtos de higiene pessoal das indústrias de cosméticos de Goiânia e região metropolitana. Revista Processos Químicos 13(25):63-70, 2019.

Acevedo M.D.R.B , et al. Estudo de estabilidade de uma pomada antiinflamatória para uso tópico obtido do Extrato Etanólico da Muehlenbeckia volcánica (Benth) Endl. (mullaca). Brazilian Journal of Health Review v.4, n.4, p. 14481-14496, 2021.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n5-050

Refbacks

  • There are currently no refbacks.