Análise do perfil socioepidemiológico de pacientes com câncer de tireoide atendidos a nível ambulatorial / Analysis of the socio-epidemiological profile of outpatients with thyroid cancer

Clara Coutinho Viana, Marcello Vieira dos Santos, Pedro Arthur Rodrigues de Oliveira

Abstract


Introdução: O câncer de tireoide, embora represente apenas 1 a 2% de todos os cânceres, é o câncer endocrinológico mais comum, sendo o carcinoma papilífero o mais prevalente dentre os demais tipos histológicos, acometendo principalmente as mulheres (relação 3:1 em comparação ao sexo masculino). Embora atualmente o diagnóstico seja facilitado pelo uso das tecnologias e o prognóstico seja favorável na maioria dos casos, ainda assim, esse problema gera um impacto negativo na vida do paciente a ponto de reduzir sua qualidade de vida. Objetivo: Analisar o perfil social e epidemiológico em pacientes acometidos de câncer de tireoide atendidos em ambulatório. Método: Participaram da pesquisa 55 pacientes, que assinaram o Termo de Consentimento livre e esclarecido (TCLE), que responderam um questionário para a avaliação do perfil sociodemográfico, em uma pesquisa transversal, coletada no ambulatório de câncer de tireoide do Centro de Especialidades Médicas (CEMEC) do Centro Universitário do Estado do Pará (CESUPA). Resultados: A maioria dos pacientes foi do sexo feminino (89,1%), com idade entre 40 e 49 anos (30,9%) anos. Sendo o tipo de câncer mais comum o papilífero (96,4%), com menos de 5 anos de tempo de diagnóstico (45,5%). Todos os participantes da amostra (100%) já passaram por cirurgia, a maioria há menos de 5 anos (54,5%). Conclusão: Dessa forma, foi observada maior prevalência da neoplasia de tireoide em pacientes do sexo feminino, além da forma papilífera sendo mais encontrada entre os pacientes, além da ocorrência de interferência cirúrgica em todos os pacientes analisados.


Keywords


Neoplasias da Glândula Tireoide, Medicina Clínica, Câncer.

References


Mansano-Schlosser TC, Ceolim MF. Qualidade de vida de pacientes com câncer no período de quimioterapia. Texto Contexto Enferm. 2012;21(3):600-7 p.

Vilar L. Endocrinologia Clínica. 5º edição. Rio de Janeiro: Guanabara; 2013, 272-279 p.

Ministério da Saúde. Secretaria de Assistência à Saúde. Portaria nº 7, de 3 de janeiro de 2014. Aprova o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas do Carcinoma Diferenciado da Tireoide. Brasília: Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, 07 jan. 2014

Menezes MB, Bertelli AAT, Saieg MA, Camargo TM, Gonçalves AJ. Metástase gigante de carcinoma papilífero. Arq Bras Endocrinol Metab. 2014; 58( 9 ): 967-969 p.

Maia AL, Ward LS, Carvalho GA, Graf H, Maciel RMB, Maciel LMZ, et al. Nódulos de tireóide e câncer diferenciado de tireóide: consenso brasileiro. Arq Bras Endocrinol Metab. 2007; 51( 5 ): 867-893 p.

Gonçalves AJ. Carcinoma bem diferenciado da tireóide. Rev. Assoc. Med. Bras. 2002; 48 (2): 108-108 p.

Golbert L, Wajner SM, Rocha AP, Maia AL, Gross JL. Carcinoma diferenciado de tireóide: avaliação inicial e acompanhamento. Arq Bras Endocrinol Metab. 2005; 49( 5 ): 701-710 p.

Valente MF, Capela-Costa J. Carcinoma anaplásico da tiróide: tendências atuais e perspetivas futuras. Rev. Port. Cir. 2017; ( 41 ): 29-39 p.

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Estimativa 2020: incidência de câncer no Brasil / Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. – Rio de Janeiro: INCA, 2019.

Maciel RMB. Carcinoma diferenciado da tiróide (Papilífero e Folicular): diagnóstico e conduta. Arq Bras Endocrinol Metab. 1998; 42( 4 ): 299-305 p.

Study protocol for the World Health Organization project to develop a Quality of Life assessment instrument (WHOQOL). Qual Life Res 1993;2(2):153-159 p.

Germano CMR, Bonato D, Maion VH, Avó LRS, Melo DG, Fontanella BJB. Possíveis novos determinantes da qualidade de vida de pacientes com câncer de tireoide tratado: um estudo qualitativo. Ciênc. saúde coletiva. 2016; 21( 8 ): 2451-2462 p.

Michels, FAS. Câncer de tireóide no município de São Paulo: análises de tendência e espacial dos dados do Registro de Câncer de Base Populacional. São Paulo: Faculdade de Saúde Pública; 2013.

Bastos BC, Santos JL, Santos LP, Souza IM. Incidência do câncer de tireoide na população brasileira, 2006-2015. Revista da AMRIGS, Porto Alegre, 63 (3): 307-312 p, jul.-set. 2019.

Howlader N, Noone AM, Krapcho M, Miller D, Brest A, Yu M, et al. SEER Cancer Statistics Review, 1975-2016, National Cancer Institute. Bethesda, MD, April 2019.

Rocha RM, Santos MCLFS, Musso C, Santos MHS, de-Almeida ML, Miguel GPS. Carcinoma bem diferenciado de tireoide: perfil epidemiológico, resultados cirúrgicos e resposta oncológica. Rev. Col. Bras. Cir. 2018; 45( 5 ): e1934.

Reis DSM, Morihisa IA, Medeiros KC, Fernandes LM, Martins E, Curado, MP, Oliveira JS. Câncer da tireoide em Goiânia: estudo descritivo de base populacional no período de 1988 a 2003. Rev. bras. cir. cabeça pescoço ; 37(2): 62-66 p, abr.-jun. 2008.

Chaudhuri PK, Prinz R. Estrogen receptor in normal and neoplastic human thyroide tissure. Am J Otolaryngol. 10 (5):322-6 p, 1989.

Reynolds RM, Weir J, Stockton DL, Brewster DH, Sandeep TC, Strachan MWJ. Changing trends in incidence and mortality of thyroid cancer in Scotland. Clinical Endocrinology. 2005;62(2):156–62 p.

Laterza, IDO. Implicações psíquicas do carcinoma diferenciado de tireoide: ansiedade, depressão e qualidade de vida. São Paulo: Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina; 2016.

Daltrozo JB, Canalli MHBS, Kowalski ME, Coral MHC, Ronsoni MF, Pereira CG, et al. Perfil dos pacientes com câncer diferenciado de tireoide em acompanhamento no ambulatório de Endocrinologia do Hospital Universitário de Florianópolis. Arquivos Catarinenses de Medicina Vol. 39, nº2, abr. – jun, 2010.

Sipos JA, Mazzaferri EL. Thyroid Cancer Epidemiology and Prognostic Variables. Clinical Oncology. 2010;22(6):395–404 p.

Siebenichler AS, Migliavaca A, Guimaraes JR, Mossmann DDF. Prevalência de metástases linfonodais em pacientes submetidos à tireoidectomia total e linfadenectomia por carcioma papilífero de tireoide. Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Semana Científica. (30.: 4-8 out. 2010 : Porto Alegre, RS).




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n5-045

Refbacks

  • There are currently no refbacks.