Percepção das auxiliares e técnicas em saúde bucal do município de Três Lagoas/MS sobre biossegurança: reconsiderações em tempos de Covid-19 / Perception of oral health assistants and technicians of Três Lagoas/MS city about biosafety: reconsiderations in Covid-19 times

Kelly Regina Torres-da-Silva, André Valério da Silva, Juliana dos Santos Pereira Cavaretto Costa, Michela Melissa Duarte Seixas Sostena, Eliane Iguchi Nicolau, Acácia Gimenez Barreto

Abstract


A complexidade na qual o trabalho odontológico está inserido pode resultar em falhas com relação às medidas de biossegurança e expor todos os envolvidos aos riscos biológicos inerentes à profissão, resultando no comprometimento da eficiência e segurança do trabalho. A integração ensino-serviço demonstra ser uma valiosa estratégia de aprimoramento, atualização e incorporação de conhecimentos, resultando em melhorias no serviço em saúde, sendo esta integração sempre necessária principalmente quando do surgimento de novos riscos biológicos, como observado na atual pandemia da COVID-19. Desta forma, foi proposto analisar o conhecimento e a execução das medidas de biossegurança das auxiliares e técnicas em saúde bucal vinculadas ao setor público de saúde do Município de Três Lagoas, Estado de Mato Grosso do Sul (MS). Para tanto, foi realizada a aplicação de questionário antes e após curso de capacitação e atividade prática sobre biossegurança, elaborado e ministrados por dentistas vinculadas à equipe de saúde bucal do mesmo setor. Este estudo transversal utilizou-se de um questionário semiestruturado, autoaplicável, dividido em processo de trabalho, preparo do operador e preparo do ambiente. Foi observado que, de modo geral, houve a compreensão da importância da biossegurança pelas auxiliares e técnicas em saúde bucal. Entretanto, observou-se uma melhor percepção das falhas cometidas nos procedimentos de biossegurança e dos riscos de acidentes no ambiente de trabalho após a capacitação. Os métodos de prevenção dos riscos biológicos apontados pelas profissionais foram relacionados somente ao uso de equipamentos de proteção individual (EPIs), sendo compreendidos após a capacitação que EPIs, vacinação e higiene das mãos são os métodos eficazes de prevenção no trabalho em saúde. Também foi observado um melhor entendimento quanto à necessidade de limpeza das superfícies com água e sabão previamente ao uso de desinfetantes, assim como a realização da sequência correta de paramentação e desparamentação para a efetiva proteção fornecida pelos EPIs, com ênfase no uso adequado das máscaras N95 e protetor facial. Deste modo, verificou-se que as auxiliares e técnicas em saúde bucal aplicam medidas de biossegurança durante o seu trabalho, entretanto, a execução dos procedimentos visando eliminar, prevenir e reduzir riscos foram reavaliados e reconsiderados, principalmente no atual cenário da pandemia ocasionada pelo coronavírus.

 

 


Keywords


medidas de biossegurança, odontologia, equipes de saúde bucal, técnicos em saúde bucal, sistema único de saúde.

References


BEZERRA, A. L. D.; SOUSA, M. N. A.; FEITOSA, A. N. A.; ASSIS, E. V. A.; BARROS, C. M. B; CAROLINO, E. C. A. Biossegurança na odontologia. ABCS Health Sci., v. 39, p. 29-33, 2014.

BRANDÃO-JUNIOR, P.S. Biossegurança e AIDS: As dimensões psicossociais do acidente com material biológico no trabalho em hospital. 138 fl. Dissertação (Mestre em Ciências na área da Saúde Pública) - Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh) da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp) da Fiocruz, 2000.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Serviços odontológicos: prevenção e controle de riscos. Brasília, 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Diretrizes da política nacional de saúde bucal. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Reorganização das ações de saúde bucal na atenção básica: portaria de incentivos financeiros. Portaria nº. 1444, de 28 de dezembro de 2000.

BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. NR 32 – Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde. Portaria GM n.º 485, de 11 de novembro de 2005; Portaria GM n.º 939, de 18 de novembro de 2008; Portaria GM n.º 1.748, de 30 de setembro de 2011. Diário Oficial da União, 2005.

BRASIL. Nota Técnica GVIMS/GGTES/ANVISA N 0 04/2020. Orientações para Serviços de saúde: medidas de prevenção e controle que devem ser adotadas durante a assistência aos casos suspeitos ou confirmados de infecção pelo Novo coronavírus (SARS-CoV-2) atualizada em 08/05/2020, Brasília, 2020.

BRASIL. Nota técnica Nº01/2018 GVIMS/GGTES/ANVISA: Orientações gerais para higiene das mãos em serviços de saúde. Brasília, 2018

CARMO, M. R. C. Avaliação microbiológica das mãos de cirurgiões-dentistas em atendimentos clínicos. 112 fl. Tese (Doutorado acadêmico em Biologia Oral) -Universidade Sagrado Coração, Bauru, São Paulo, 2013.

CASTILHO, A. V. S. S.; SANTOS, L. F.; AZEVEDO-SILVA, L. J.; CASTRO, M. S; SALES-PERES, S. H. C. COVID-19: risco biológico e protocolo de cuidados clínicos em Odontologia. Odontologia e Integralidade do Cuidado: aspectos da formação profissional e dos serviços de saúde. Guarujá/SP: Editora Científica, 2021. p. 101-113.

COSTA, M. A. F.; COSTA, M.F.B. Biossegurança e a pandemia de Covid-19: reflexões sobre os agentes psicossociais de risco em profissionais de saúde. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v.7, n.5, p. 43899-43907, 2021.

DOS ANJOS, P. P.; CAVALCANTE, A. S; DOS ANJOS, C. P.; DOS SANTOS, C. R. B; BRANDÃO, B.; VANDESMET, L. C. S. Análise microbiológica de fômites de funcionários de um hospital. Revista Expressão Católica Saúde; v. 3, n. 1, 2018.

ENGELMANN, A. I; DAÍ, A. A.; MIURA, C. S. N.; BREMM, L. L.; BOLETA-CERANTO, D. C. F. Avaliação dos procedimentos realizados por cirurgiões-dentistas da região de Cascavel-PR visando ao controle da biossegurança. Odontol. Clín.-Cient., 9 (2), p. 161-165, 2010.

FERREIRA, L.; BARBOSA, J. S. A.; ESPOSTI, C. D. D.; CRUZ, M. M. Educação Permanente em Saúde na atenção primária: uma revisão integrativa da literatura. Saúde debate, v. 43, p. 223-239, 2019.

FERREIRA, R.C.; MARTINS, A.M.B.L.; MOTA, D.L.; PEREIRA R.D.; SANTOS, N.C.; QUEIROZ, I.O.A. Uso de equipamentos de proteção individual entre cirurgiões-dentistas de Montes Claros. Arq. Odontol., v. 46 (2), p. 88-97, abril/jun 2010. Disponível em: http://revodonto.bvsalud.org/pdf/aodo/v46n2/a05v46n2.pdf. Acesso em: 30 jul 2021.

FRANCO, J. B.; CAMARGO, A. R.; PERES, M. P. S. M. Cuidados Odontológicos na era da COVID-19: recomendações para procedimentos odontológicos e profissionais. Rev assoc paul cir dente, v. 74(1), p. 18-21, 2020.

GAMA, T.M.; MATSUURA, A.B.J.; MALASPINA, O.A. Avaliação do nível de contaminação por bioaerossóis no ambiente clínico da Policlínica Odontológica da Universidade do Estado do Amazonas. Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 6, n. 6, p. 37397-37410 jun. 2020.

GONÇALVES, P. R. V.; MARTINS, R. J.; MOIMAZ, S. A. S.; SUNDEFELD, M. L. M. M.; GARBIN, A. J. I.; GARBIN, C. A. S. Influência dos fatores individuais, relativos ao trabalho e organizacionais na adesão às precauções padrão por profissionais da odontologia. R Epidemiol Control Infec, Santa Cruz do Sul, 6(2), p. 44-49, 2016.

MENDONÇA, A. P.; FERNANDES, M. S. C.; AZEVEDO, J. M. R.; SILVEIRA, W. C. R.; SOUZA, A. C. S. Lavagem das mãos: adesão dos profissionais de saúde em uma unidade de terapia intensiva neonatal. Acta Sci Health Sci., 25(2), p. 147-53, 2003.

MENEZES, A. R.; SILVA, M. M. S; PAPA, L.P. Covid- 19: importância do manejo clínico do cirurgião-dentista. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v.7, n.1, p. 3729-3736, 2021.

MOURA, L. L. D.; GOMES, M. E. N.; FIRMO, W. C.A.; FERNANDES, R. M. T.; VIÉGAS, H. D. C. Conhecimento em biossegurança e uso de equipamento de proteção individual pelos profissionais de enfermagem do município de Bacabal-MA. Revista Científica do ITPAC, Araguaína, v.10, n.2, 2017.

OLIVEIRA, A. H. A.; MILFONT, J. A.; PEREIRA, G. L.; LIMA, J. P.; M. LIMA, F. J. Uso de equipamentos de proteção individual por cirurgiões-dentistas em unidades básicas de saúde: estudo piloto. Rev. Interfaces, v. 5, n. 15, p. 64-70, 2017.

RAMOS, L. F. S.; SOBRINHO, A. R. S.; SOARES, M. L., FILHO, E. S. D. D., FERREIRA, S. J., CARVALHO, M. V. Conhecimento e uso da biossegurança por profissionais de saúde bucal do SUS do Sertão Pernambucano. Arq Odontol, Belo Horizonte, n.56, v. 15, 2020.

SANCHES, A. P. M.; MAROLDI, M. A. C.; DA SILVA, D. M.; ROSEIRA, C. E.; PASSOS, I. P. B. D.; DE FIGUEIREDO, R. M. Concepções da equipe de odontologia da atenção primária à saúde sobre precauções padrão. Rev. Eletr. Enf. [Internet]. 2016.

SCHEIDT, K. L. S.; CARVALHO, M. Avaliação prática da lavagem das mãos pelos profissionais de saúde em atividades lúdico-educativas. R Enferm UERJ, Rio de Janeiro, n. 14, v. 2, p.221-225, 2006.

SILVA, A. R.; PIZANTE, C.R. Visualização de áreas de contaminação, na prática odontológica, através do indicador químico fenolftaleína. J Health Sci Inst. v.35(2), p.101-104, 2017.

TREZENA, S.; FARIAS, L. P. M.; BARBOSA, G. F. A.; COSTA, S. M.; BARBOSA JÚNIOR, E. S.; PINTO, M. Q. C. Práticas em biossegurança frente aos acidentes ocupacionais entre profissionais da odontologia. Arq Odontol, 2020.

UMER F.; HAJI Z.; ZAFAR K. Role of respirators in controlling the spread of novel coronavirus (COVID-19) amongst dental healthcare providers: a review. International Endodontic Journal, 2020.

VAN DOREMALEN, N et al. Aerosol and Surface Stability of SARS-CoV-2 as Compared with SARS-CoV-1. N Engl J Med, v. 382, p.1564-1567, 2020.

VEENA, H.R.; MAHANTESHA, S.; JOSEPH, P.A.; PATIL, S.R.; PATIL, S.H. Dissemination of aerosol and splatter during ultrasonic scaling: a pilot study. Journal of Infection and Public Health v. 8, p. 260-265, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n5-043

Refbacks

  • There are currently no refbacks.