Território, esporte e mídia: Jogos olímpicos e paralímpicos de 2016 retratados na página oficial do facebook - ministério do esporte / Territory, sport and media: 2016 olympic and paralympic games portrayed on the official facebook page - ministry of sport

Alex Aryel Ribas Maurício, Josiane Batista Lamim, Suely Maria Rodrigues

Abstract


Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos realizados no Brasil no ano de 2016 foram considerados eventos importantes para o nosso país. Os Jogos Olímpicos aconteceram no período de 3 a 21 de agosto e os Paralímpicos entre 7 e 18 de setembro. Foram realizadas 306 disputas de medalhas em 28 esportes divididos em 42 modalidades. Esses acontecimentos esportivos foram divulgados pela mídia regional, estadual, nacional e internacional. O objetivo do estudo foi de identificar e comparar o alcance da divulgação entre os Jogos Olímpicos e Paralímpicos realizados no Brasil no ano de 2016 na página oficial do Facebook (Ministério do Esporte). Trata-se de um estudo retrospectivo, observacional, descritivo, de corte transversal, que utilizou uma abordagem quantitativa. Possui caráter interdisciplinar, possibilitando um diálogo entre o campo da comunicação, os teóricos do território e os Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Os dados foram coletados a partir de informações públicas na Rede social do Ministério do Esporte (página oficial do Facebook). As variáveis pesquisadas foram os editorias abordados e os descritores temáticos presentes nas publicações noticiadas pela referida página. Todo material coletado foi inserido no programa Office Excel 2007, que possibilitou a aplicação de filtros para a seleção de dados levando em consideração o indicador que foi analisado. Os resultados obtidos indicaram que os Jogos Olímpicos e Paralímpicos são fenômenos com gêneses motivadas por princípios distintos. Ou seja, possuem características próprias que tornam cada um deles original. Quanto às características econômicas, os Jogos Olímpicos se encontram mais desenvolvidos do que os Paralímpicos, ou numa situação de melhor aproveitamento das possibilidades de atuação frente ao esporte-espetáculo. Isso pode acontecer devido à história mais longa do primeiro e também à existência de alguns preconceitos na sociedade contemporânea, relativos ao esporte adaptado. Observou-se um total de 234 posts, 137 (58,5%) estavam relacionados aos Jogos Olímpicos e 97 (41%) aos Paralímpicos. Em relação às curtidas, os Jogos Olímpicos obtiveram nesse período 31.179 curtidas e os Paralímpicos 20.251. Quanto ao total de comentários (1476) divulgados na página do Facebook pode-se observar maior participação do usuário se expressando e opinando em relação aos Jogos Olímpicos. O ícone “compartilhar” revelou 5.298 compartilhamentos; 57% para os Jogos Olímpicos e 43% para os Paralímpicos. Foram publicados na página do Facebook um total 188 fotos e 41 vídeos. Pode-se concluir que os Jogos Olímpicos foram divulgados com maior intensidade que os Paralímpicos, se destacaram em relação ao número de posts, curtidas e comentários.


Keywords


Território, Jogos Olímpicos, Jogos Paralímpicos, Facebook, Ministério do Esporte.

References


ABRAMOVAY, R. O capital social dos territórios: repensando o desenvolvimento rural. Revista Economia Aplicada n. 2, vol. IV, p. 379-39, 2000.

ARAÚJO, Denise Sardinha Mendes Soares de; ARAÚJO, Claudio Gil Soares de. Aptidão física, saúde e qualidade de vida relacionada à saúde em adultos. Revista brasileira de medicina do esporte, v. 6, n. 5, p. 194-203, 2000.

ARAÚJO, Michele Menghetti Ugulino de. Pontencialidades do uso do blog em educação - Natal, 2009. Dissertação (Mestrado em Educação – Universidade Federal do Rio Grande do Norte). Disponível em:. Acesso em 20 de Set. 2019.

AUGUSTI A.; NEGRINI M. O legado de Guy Debord: reflexões sobre o espetáculo a partir de sua obra. Biblioteca Online de Ciências da Comunicação, p.1-3, 2013.

BERTOLINI, S.; BRAVO, G. 2004. Social capital, a multidimensional concept. Disponível em:< http://web.archive.org/web/20030318075349/ http://www.ex.ac.uk/shipss/politics/research/ socialcapital/other/bertolini.pdf>. Acesso em 20 Set. 2019.

BOURDIEU, Pierre. Os Jogos Olímpicos. In: SOBRE A televisão: a influência do jornalismo. Rio de Janeiro: ZAHAR, 1997. p. 123-128.

CAMPBELL, W. Keith; BUFFARDI, Laura E. The lure of the noisy ego: Narcissism as a social trap. Quieting the ego: Psychological benefits of transcending egotism. Washington, DC: American Psychological Association, 2008.

CARRIER, L. M., SPRADLIN, A., BUNCE, J.; ROSEN, L. D. (2015). Virtual empathy: Positive and negative impacts of going online upon empathy in young adults. Computers in Human Behavior, 52, 39-48.

CHAGAS, Alexandre Meneses; LINHARES, Ronaldo Nunes. As interfaces de interação para uma aprendizagem colaborativa no Facebook. In: PORTO, Cristiane; SANTOS, Edmea. Facebook e educação: publicar, curtir, compartilhar. Campina Grande: EDUEPB, 2014, p. 293-312.

COLLADO, Carlos Fernández; LUCIO, Pilar Baptista; SAMPIERI, Roberto Hernandez. Metodologia de pesquisa. 2006.

COMITÊ OLÍMPICO INTERNACIONAL (COI - 1 de setembro de 2004). «Carta Olímpica» (PDF) (em inglês). Consultado em 2 de julho de 2019.

DEBORD, G. A Sociedade do Espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto. 1997

ELLISON, N.B.; STEINFELD, C.; LAMPE, C. 2007. The benefi ts of Facebook “Friends”: Social Capital and College Students’ Use of Online Social Network Sites. Journal of Computer - Mediated Communication, 12(4):1143–1168. Disponível em:< htt p://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/ j.1083-6101.2007.00367.x/full>. Acesso em 10 Ago. 2019.

FACEBOOK. Princípios. Disponível em: . Acesso em 10 Set. 2019.

FIGUEIREDO, Tatiane Hilgemberg; GUERRA, M. D. Olimpíadas e Paraolimpíadas: uma correlação com a mídia. In: Apresentado no XXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Rio de Janeiro: UERJ-Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Obtido de http://www. portcom. intercom. org. br/pdfs/9092398074258494286293676724391. 2005.

FRIEDERICHS, Marta Cristina. Mulheres “on line” e seus diários virtuais: corpos escritos em blogs. Porto Alegre, 2009. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação, 2009.

GARCIA, Paula Regina Rubires. Você já nasceu nas redes sociais? In: GIARDELLI, Gil (Org.). Redes Sociais e Inovação Digital. São Paulo: Gaia Creative, 2011.

MARCHI JUNIOR W. O esporte “em cena”: perspectivas históricas e interpretações conceituais para a construção de um modelo analítico. The Journal of the Latin American Socio-cultural Studies of Sport. 2015; 5(1): 46-67.

MARQUES, Renato Francisco Rodrigues et al . Esporte olímpico e paraolímpico: coincidências, divergências e especificidades numa perspectiva contemporânea. Rev. bras. educ. fís. esporte (Impr.), São Paulo, v. 23, n. 4, p. 365-377, Dec. 2009. Availablefrom. Acesso em 17 Mar. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S1807-55092009000400006.

MINISTÉRIO DA CIDADANIA. Secretaria especial do esporte, c2019. Página inicial. Disponível em: . Acesso em 29 de Abr. de 2019.

MODOLO, A. D. R. Formas Responsivas no Facebook: Curtir, Comentar e Compartilhar a Divulgação Científica em rede social. 2018. 448f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, São Paulo, 2018. Disponível em:

www.teses.usp.br/teses/.../8/...22082018.../2018_ArturDanielRamosModolo_VCorr.pdf>. Acesso em 08 Abr. 2019.

PALAGI, Elisabetta et al. Contagious yawning in gelada baboons as a possible expression of empathy. Proceedings of the National Academy of Sciences, v. 106, n. 46, p. 19262-19267, 2009.

PRIMO, A. O aspecto relacional das interações na Web 2.0. E-Compós, v. 9, 11. 2011. DOI:https://doi.org/10.30962/ec.153.Acesso em: 22 Set. 2019.

PUTNAM, R. 2000. Bowling Alone. New York, Simon & Schuster, 544 p.

RECUERO, Raquel. Redes sociais na internet, difusão de informação e jornalismo: elementos para discussão. Metamorfoses jornalísticas, v. 2, p. 1-269, 2009.Disponível em:. Acesso em 05 de Abr. 2019.

RECUERO, Raquel. Curtir, compartilhar, comentar: trabalho de face, conversação e redes sociais no Facebook. Verso e Reverso, vol. XXVIII, n. 68, 2014.

RECUERO, R; SOARES, P. Violência simbólica e redes sociais no facebook: o caso da fanpage “Diva Depressão”. Galaxia (São Paulo, Online), n. 26, p. 239-254, dez. 2013.

RECUERO, Raquel; ZAGO, Gabriela. Em busca das “redes que importam”: Redes Sociais e Capital Social no Twitter. In: Anais do XIX Encontro da Compós, PUC/MG, junho de 2009. Disponível em:

< http://www.compos.org.br/data/trabalhos_arquivo_coirKgAeuz0ws.pdf>. Acesso em 01 Abr. 2019.

RODRIGUES, Kátia; ODDONE, Nanci Elizabeth. Aferindo os descritores temáticos do Portal da Capes para a coleção de periódicos da ciência da informação. 2012.

RUBIO, Kátia. Medalhistas olímpicos brasileiros: memórias, histórias e imaginário. Casa do Psicólogo, 2006.

SAQUET, Marcos Aurelio. Abordagem territorial: considerações sobre a dialética do pensamento e do território. Anais do I Seminário Nacional sobre Múltiplas Territorialidades, ULBRA/UFRGS, Canoas/Rio Grande do Sul, 2004.

SAQUET, Marcos Aurelio. As diferentes abordagens do território e a apreensão do movimento e da (i)materialidade. Geosul, v.22, nº43, p. 55-76, 2007.

SERAPIONI, Mauro. Métodos qualitativos e quantitativos na pesquisa social em saúde: algumas estratégias para a integração. Ciência & Saúde Coletiva, v. 5, p. 187-192, 2000.

ZAGO, Gabriela. Usos Sociais do Twitter: Proposta de Tipologia a partir do Capital Social 2008. Disponível em:. Acesso em 21 Set. 2019.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n5-021

Refbacks

  • There are currently no refbacks.