Atendimento clínicos com pessoas em situação de rua em prática de Saúde Coletiva e sua importância na formação médica / Clinical care with homeless people in Public Health practice and its importance in medical training

Karen Karollinne Dikaua Santos Feitosa, Ingrid Lima Longo, Ana Karolina Guerreiro Costa Melo, Tiago Souza Amorim, Marco Aurelio Dantas Vieira Belem

Abstract


A prática da disciplina de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Amazonas consisitiu em vivenciar atendimentos médicos a pessoas em situação de rua. Esta população, não raro, é negligenciada e marginalizada. Em face de raramente procurarem serviços de saúde, às vezes por desconhecerem seus direitos, vão suportando a presença dos sintomas de doenças, recorrendo à rede emergencial em último caso, com o acúmulo de vários problemas de saúde. Relatar como ao provocar encontros com pessoas em situação de rua, a intenção da Disciplina de Saúde Coletiva IV é elucidar que aprendizagem médica não se restringe apenas ao hospital. Visando à compreensão de aspectos do planejamento em saúde a prática de saúde coletiva envolveu pessoas em situações de rua. Os alunos em duplas se distribuíram em “mesas-ambulatórios” em um salão de Instituição que ampara essa população. Assim, foram orientados a escutar os relatos de saúde trazidos, como também as falas sobre o cenário psicossocial que vivem. Dessa maneira, por meio de conversas, interesse e sutilezas foram preenchidos questionários e colhidas histórias clínicas. Realizou-se também exames físicos, em que o aluno teve a oportunidade viver aspectos de semiologia médica sob supervisão. O professor foi orientador da prática, auxiliando os alunos para a tomada de conduta. Após, os atendimentos, os exames solicitados e as prescrições foram entregues ao serviço social para que os atendidos pudessem ter acesso à rede de serviço de saúde. Com tal prática, os discentes, além de terem exercitado os conhecimentos adquiridos no curso de medicina e na disciplina de Saúde Coletiva, puderam entender a realidade vivida por moradores de rua, bem como suas principais necessidades de saúde. Ademais, realizando atividades com pessoas em estado de vulnerabilidade social, puderam sensibilizar-se e perceber a importância dos princípios propostos pelo SUS. A prática com moradores de rua cumpre seu papel na formação mais humanizada e abrangente dos futuros profissionais da saúde, que devem ser comprometidos com as necessidades das populações e atentar-se, ainda mais, para as populações que vivem à margem da cidadania e, portanto, não possuem um atendimento adequado a saúde.


Keywords


Atendimento, Integralidade , Promoção a Saúde.

References


Carvalho, Yara Maria e Ceccim, Ricardo Burg . Tratado de Saúde Coletiva. Hucitec. São Paulo; 2 º Edição. 2012.

Varanda,W e Adorno, R.C.F Descartáveis urbanos: discutindo a complexidade da população de rua e o desafio para políticas de saúde. Saúde e Sociedade v.13, n.1, p.56-69, jan-abr 2004.

Ministério da Saúde. Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão em Saúde. Humaniza SUS, 2004. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/saude/cidadao/area. cfm?id_area=1342. Acesso em : 25/09/2016




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n4-225

Refbacks

  • There are currently no refbacks.