A importância das ações educativas para a redução de erros na administração de insulina para o tratamento do Diabetes Tipo 1 e 2 / The importance of educational actions for reducing errors in insulin administration for Diabetes treatment of type 1 and 2

Carla de Paula Silveira, Claudirene Milagres Araújo, Bruno Gonçalves da Silva, Fernanda Paula Moreira Silva, Camila Augusta dos Santos, Alessandra Silva Lima Jardim, Luciana Alves Silveira Monteiro, Isabela Mie Takeshita

Abstract


Diabetes Mellitus, doença crônica, grande problema de saúde pública e responsável pelas principais causas de mortalidade mundial. Tratamento com insulinoterapia que apesar de efetivo, o uso incorreto desencadeia riscos. A falta de conhecimento dos cuidados e habilidades básicas para a administração de insulina favorece descontrole glicêmico. Objetiva-se demonstrar se a execução de ações educativas é capaz de reduzir os erros na administração de insulina para o tratamento do Diabetes Tipo 1 e 2. Estudo com abordagem qualitativa: observação sistemática, realizado com pacientes com diabetes Tipo 1 e 2 de Unidade Básica de Saúde em Belo Horizonte, Minas Gerais. Muitos erros cometidos pelos pacientes com diabetes são relacionados ao “mecanicismo” do preparo e aplicação de insulina diária. Ações educativas direcionadas ao paciente com diabetes são importantes devido a sua capacidade de melhorar o impacto da saúde física, mental e emocional do paciente no enfrentamento da doença.


Keywords


Diabetes Mellitus, Insulina, Educação, Autocuidado.

References


Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD). Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes: 2017-2018. São Paulo (Brasil), 2014.

Chaves, Fernanda Azeredo. Tradução e adaptação transcultural do “Behavorh Change Protocol” para a língua portuguesa. 2014. 100f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Federal de Minas, Belo Horizonte, 2014.

Nathan D M. The Diabetes Control and Complications Trial/ Epidemiology of Diabetes Interventions and Complications Study at 30 years: Overview. Diabetes Care. 2014, 37(1): 9-16. Disponível em: . Acesso em: 31 de maio de 2020.

Reis P, Marcon S S, Nass E M A, Arruda G O, Back I R, Lino I G T, Francisquetti V. Desempenho de pessoas com Diabetes Mellitus na insulinoterapia. Cogitare enferm. 2020, (25): e66006. Disponível em: . Acesso em: 31 de maio de 2020.

Macedo M M L, Cortez D N, Santos J C, Reis I A, Torres H C. Adesão e empoderamento de usuários com diabetes mellitus para práticas de autocuidado: ensaio clínico randomizado. Revista Esc. Enferm. USP. 2017, (51): e03278. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342017000100467&lng=en>. Acesso em: 31 de maio de 2020.

Almeida M S, Melo R H V, Vilar R L A, Silva A B, Melo M L, Júnior A M. A educação popular em saúde com grupo de idosos diabéticos na estratégia de saúde da família: uma pesquisa-ação. Revista Ciência Plural. 2019, 5(2): 68-93. Disponível em: . Acesso em: 31 de maio de 2020.

Siqueira AL, Tibúrcio JD. Estatística na saúde: conceitos, metodologia, aplicações e prática computacional. 1ºed. Belo Horizonte: Coopmed, 2011.

Menezes M G, Santiago M E. Contribuição do pensamento de Paulo Freire para o paradigma curricular crítico- emancipatório. Pro-Posições. 2014, 3(75): 45-72. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73072014000300003&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 30 de maio de 2020.

Roecker S, Budó M L D, Marcon S S. Trabalho educativo do enfermeiro na Estratégia de Saúde da Família. Rev. Esc. Enferm. USP. 2012, 46(3): 641-9. Disponível em: . Acesso em: 08 de janeiro 2016.

Malta D C; Neto O L M, Júnior J B S. Apresentação do plano de ações estratégicas para o enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis no Brasil, 2011 a 2022. Rev. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília. 2011, 20(4): 425-438. Disponível em: . Acesso em 09 de janeiro 2016.

Santos R L B, Campos M R, Flor L S S. Fatores associados à qualidade de vida de brasileiros e de diabéticos: evidências de um inquérito de base populacional. Ciênc. Saúde Coletiva. 2019, 24(3): 1007-1020. Disponível em: . Acesso em: 30 de maio de 2020.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: diabetes mellitus. Brasília: Ministério da Saúde, 2013.

Secretaria Municipal de Saúde. Protocolo de Diabetes Mellitus e atendimento em Angiologia e Cirurgia Vascular. Belo Horizonte, 2011.

Lima G C B B, Guimarães A M D N, Silva J R S, Otero L M, Gois C F L. Educação em saúde e dispositivos metodológicos aplicados na assistência ao Diabetes Mellitus. Saúde debate. 2019; 43(120): 150-158. Disponível em: . Epub May 06, 2019. Acesso em: 30 de maio de 2020.

Taddeo P S, Gomes K W L, Caprara A, Gomes A M A, Oliveira G C, Moreira T M M. Acesso, prática educativa e empoderamento de pacientes com doenças crônicas. Ciênc. Saúde coletiva. 2012; 17(11): 2923-2930. Disponível em: . Acesso em: 30 de maio de 2020.

Santos A L,Marcon S S, Teston E F, Back I R, Lino , I J T, Batista V C, Matsuda L M, Haddad M C F L. Adesão ao tratamento de Diabetes Mellitus e relação com assistência na Atenção Primária. Rev. Min. Enferm. 2020. Disponível em: . Acesso em 04 de junho de 2020.

Borba A K O T, Silva M C, Santos S B S, Gomes M C R. Conhecimento e autocuidado de indivíduos com diabetes na Atenção Primária à Saúde. Revista de APS, v. 21, n. 4, 2018. Disponível em: . Acesso em 29 de junho de 2020.

Ramos L M H, Araújo R F R. Uso de cartilha educacional sobre diabetes mellitus no processo de ensino e aprendizagem. Ensino, Saude e Ambiente Backup, v. 10, n. 3, 2018. Disponível em: . Acesso em 29 de junho de 2020.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n4-184

Refbacks

  • There are currently no refbacks.