Cenário da Sífilis no Brasil em um período de cinco anos: como se comportou a doença entre 2015 e 2019 / Syphilis scenario in Brazil in a five-year period: how did the disease behaved between 2015 and 2019

Gabriela Vasconcelos de Moura, Vítor Pereira Contini, Laura de Lima Bigolin, Julia Perito Alfredo, Isabel Amaral Tavares Pinheiro, Hyngrid Santos Sousa, Kéven Martins Wrague, Letícia Costa Vasconcelos

Abstract


INTRODUÇÃO: A sífilis é uma infecção sexualmente transmissível (IST) causada pela espiroqueta Treponema pallidum que pode ser transmitida de forma sexual e vertical, da mãe para o feto. A doença se apresenta em três estágios com sinais e sintomas variáveis. Lesão do cancro duro em região genital, referente à forma primária da doença, lesões eritematosas, maculosas e planas que atingem também mucosas periorais, como forma secundária, e a forma terciária ou tardia, é rara e apresenta período de latência, causando eventualmente necrose hepática, óssea, gonadal e dérmica. A sífilis congênita, outra forma da doença, pode causar prematuridade, hidropsia e óbito fetal além de sequelas em caso de vida da criança. OBJETIVO: Identificar, a partir de dados estudados, qual o cenário da infecção por Sífilis no Brasil em um período de cinco anos. Determinar quais pessoas estão adoecendo e as consequências diretas e indiretas dessa infecção. MÉTODOLOGIA: Foram utilizados dados do Painel de Indicadores Epidemiológicos, do Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis do Ministério da Saúde do Brasil. Foram utilizados também dados da plataforma do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS), foram considerados os dados dos anos de 2015 a 2019. A bibliografia utilizada foi pesquisada pelos descritores em inglês “syphilis’ AND ‘Brazil” e português “sífilis’ E ‘Brasil” nas plataformas PubMed, SciELO e Google Acadêmico e selecionadas a partir de fatores de inclusão e exclusão estabelecidos pelos autores. RESULTADOS: No período, foram registrados 594.896 novos diagnósticos de sífilis, com taxa de detecção média de 57,32 a cada 100mil habitantes ao ano. A doença foi encontrada majoritariamente em homens, com 59.48% dos casos. Em gestantes, foram registrados 245.180 novos casos e a taxa de detecção da doença foi de 16,72 por mil nascidos vivos. Os casos de sífilis congênita, no período, somam 116.427, com taxa de detecção de 7.9 casos por mil nascidos vivos ao ano. As internações por sífilis somam 817.534 dias, divididos entre 87.147 pacientes. CONCLUSÃO: Os novos diagnósticos de sífilis são alarmantes, especialmente considerando que a maioria dos pacientes são homens e que, culturalmente, há maior resistência nesse grupo a procurar atendimento médico, fator atribuído ao machismo. Assim sendo, infere-se crescente e imediata necessidade de ampliação das testagens e rastreios para sífilis e outras ISTs, bem como aumento das campanhas de prevenção e pesquisa de contaminação.

 


Keywords


Infecções Sexualmente Transmissíveis, Infecções por Treponema, Sífilis, Sífilis Congênita.

References


LAFETÁ, Kátia Regina Gandra; MARTELLI JÚNIOR, Hercílio; SILVEIRA, Marise Fagundes; PARANAÍBA, Lívia Máris Ribeiro. Sífilis materna e congênita, subnotificação e difícil controle. Revista Brasileira de Epidemiologia, [S.L.], v. 19, n. 1, p. 63-74, mar. 2016. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1980-5497201600010006.

BEZERRA, Maria Lusia de Morais Belo; FERNANDES, Flávia Emília Cavalcante Valença; NUNES, João Paulo de Oliveira; BALTAR, Solma Lúcia Souto Maior de Araújo; RANDAU, Karina Perrelli. Congenital Syphilis as a Measure of Maternal and Child Healthcare, Brazil. Emerging Infectious Diseases, [S.L.], v. 25, n. 8, p. 1469-1476, ago. 2019. Centers for Disease Control and Prevention (CDC). http://dx.doi.org/10.3201/eid2508.180298.

DOMINGUES, Rosa Maria Soares Madeira; SZWARCWALD, Celia Landmann; SOUZA JUNIOR, Paulo Roberto Borges; LEAL, Maria do Carmo. Prevalence of syphilis in pregnancy and prenatal syphilis testing in Brazil: birth in Brazil study. Revista de Saúde Pública, [S.L.], v. 48, n. 5, p. 766-774, out. 2014. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0034-8910.2014048005114.

GOMES, Natália Carolina Rodrigues Colombo; MEIER, Denise Andrade Pereira; PIERI, Flávia Meneguetti; ALVES, Elaine; ALBANESE, Silvia Paulino Ribeiro; LENTINE, Edvilson Cristiano; ARCêNCIO, Ricardo Alexandre; DESSUNTI, Elma Mathias. Prevalence and factors associated with syphilis in a Reference Center. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, [S.L.], v. 50, n. 1, p. 27-34, fev. 2017. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/0037-8682-0102-2016.

RêGO, Adriana Sousa; COSTA, Luciana Cavalcante; RODRIGUES, Liliane dos Santos; GARCIA, Ricardo Amorim de Sousa; SILVA, Flor de Maria Araújo Mendonça; D’EÇA JUNIOR, Aurean; RODRIGUES, Livia dos Santos. Congenital syphilis in Brazil: distribution of cases notified from 2009 to 2016. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, [S.L.], v. 53, p. 1-7, ago. 2020. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/0037-8682-0338-2020.

Organização Mundial de Saúde. Sífilis do Mundo. Disponível em: https://www.who.int/eportuguese/countries/bra/pt/. Acesso em: 28 nov. 2020.

GARBIN, Artênio José Ísper; MARTINS, Ronald Jefferson; BELILA, Naiana de Melo; EXALTAÇÃO, Sandra Margareth; GARBIN, Cléa Adas Saliba. Reemerging diseases in Brazil: sociodemographic and epidemiological characteristics of syphilis and its under-reporting. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, [S.L.], v. 52, n. 1, p. 1-4, fev. 2019. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/0037-8682-0226-2018.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. . Indicadores e Dados Básicos da Sífilis nos Municípios Brasileiros. Disponível em: http://indicadoressifilis.aids.gov.br/. Acesso em: 28 mar. 2021.

BRASIL, Ministério da Saúde. Sistemas de informação hospitalar (SIH). Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?sih/cnv/niuf.def. Acesso em: 28 mar. 2021.

BRASIL, Ministério da Saúde. Sistemas de informação sobre mortalidade. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?sim/cnv/obt10uf.def. Acesso em: 28 mar. 2021

REIS, Maria Paula Lacerda; REIS, Ana Carolina Ramalho dos; VINHAL, João Gabriel Ferreira Borges; ANDRADE, Luisa Fernandes de; ROSA, Márcia Kissia de Souza; SANTOS, Marthius Campos Oliveira; OLIVEIRA, Rúbia Carla; NUNES, Marilene Rivany. Sífilis na gestação e sua influência nas complicações materno-fetais / Syphilis in pregnancy and its influence in the complications maternal and fetal. Brazilian Journal of Health Review, [S.L.], v. 3, n. 6, p. 19748-19758, 2020. Brazilian Journal of Health Review. http://dx.doi.org/10.34119/bjhrv3n6-350.

REZENDE, J. Obstetrícia. 12ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

GOMES, Romeu. Por que os homens buscam menos os serviços de saúde do que as mulheres? As explicações de homens com baixa escolaridade e homens com ensino superior. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 23, n. 3, p. 565-574, mar. 2007.SANTOS, Carolina Gomes dos; SANTAROSA, Palloma Cristina; GEROTTO JUNIOR, Luiz Cesar; ZANELLI, Tauane Letícia Pinto; LODI, Jucilene Casati; MILAGRES, Clarice Santana. Sífilis congênita e seu atual. Brazilian Journal of Health Review, [S.L.], v. 3, n. 4, p. 9426-9438, 2020. Brazilian Journal of Health Review. http://dx.doi.org/10.34119/bjhrv3n4-178.

SILVA, Luís Roberto da; ARRUDA, Laís Eduarda Silva de; NASCIMENTO, Jonathan Willams do; FREITAS, Marcelo Victor de Arruda; SANTOS, Isadora Sabrina Ferreira dos; SILVA, José Thiago de Lima; FREITAS, Thiago da Silva; FERREIRA, Ricardo José; OLIVEIRA, Emília Carolle Azevedo de. De mãe para filho (a): os impactos da sífilis gestacional e congênita na saúde pública do brasil / from mother to child. Brazilian Journal of Health Review, [S.L.], v. 4, n. 1, p. 330-343, 2021. Brazilian Journal of Health Review. http://dx.doi.org/10.34119/bjhrv4n1-028.

Brasil, Ministério da Saúde. Banco de dados do Sistema Único de Saúde - DATASUS, Informações de Saúde, Rede assistencial.

SAUDE, Ministério da. Boletim Epidemiológico - Sífilis 2019. Brasília: Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis – Dcci, 2019.

AVELLEIRA, João Carlos Regazzi; BOTTINO, Giuliana. Sífilis: diagnóstico, tratamento e controle. Anais Brasileiros de Dermatologia, [S.L.], v. 81, n. 2, p. 111-126, mar. 2006. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0365-05962006000200002.

SAÚDE, Ministério da. Sífilis: o que é, causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção. 2020. Disponível em: https://antigo.saude.gov.br/saude-de-a-z/sifilis. Acesso em: 21 ago. 2020.

COOPER, Joshua M.; MICHELOW, Ian C.; WOZNIAK, Phillip S.; SÁNCHEZ, Pablo J. In time: the persistence of congenital syphilis in Brazil ? more progress needed! Revista Paulista de Pediatria (English Edition), [S.L.], v. 34, n. 3, p. 251-253, set. 2016. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.rppede.2016.06.004.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n4-112

Refbacks

  • There are currently no refbacks.