Diagnóstico pré-natal de coarctação de aorta crítica em neonatos: revisão integrativa/ Prenatal diagnosis of critical aortic coarctation in neonates: an integrative review

Bárbara Custódio Rodrigues da Silva, Camila de Assunção Martins, Joaquim Ferreira Fernandes, Paula Pacheco Katopodis, Brunna Veruska de Paula Faria, Mariana de Oliveira Andrade, Mercielle Ferreira Silva Martinelle, Bárbara de Magalhães Souza Gomes, Juliana Gabriel de Araújo, Antonio Márcio Teodoro Cordeiro Silva

Abstract


A coarctação de aorta (CoA) crítica é uma cardiopatia congênita (CC) comum, que traz risco à vida e que tem diagnóstico, frequentemente, postergado. Sem diagnóstico, o neonato pode ter várias complicações da patologia. Por esse motivo, o estudo visa analisar perspectivas do diagnóstico pré-natal, de CoA, em neonatos. Trata-se de revisão sistemática das Diretrizes Brasileira de Cardiologia Fetal 2019 e de artigos selecionados nas bases de dados: PubMed, Google Acadêmico, BVS e SciELO, de 2002 a 2020, com os descritores: “coarctation of the aorta”, “newborn” e “diagnosis”, sem filtro de idioma. Assim, oito artigos foram considerados elegíveis para o presente estudo. A ultrassonografia não é eficaz para identificação de CoA, portanto, é necessária: a ecocardiografia, nas condições corretas; uma dopplerfluxometria; e, provavelmente, translucência nucal e biometria cardíaca fetal. O diagnóstico pré-natal não antecipa todos os casos de CoA, pela ausência de sinais clássicos. Nesse caso, é importante a suspeita de malformações cardíacas, no pré-natal, para a realização de exames cardíacos específicos, apesar de não existir exame padrão-ouro. Faz-se necessária a realização de estudos para a validação do diagnóstico pré-natal de CoA, porém a atual perspectiva é de que haja otimização do manejo, com melhor prognóstico, e elevar a acurácia é o principal desafio.


Keywords


Coarctação da aorta, Neonato, Diagnóstico.

References


CANGUSSÚ LR, LOPES MR, BARBOSA RHA. The importance of the early diagnosis of aorta coarctation. Revista da Associação Médica Brasileira,v. 65, n. 2, p. 240-245, 2019.

DIJKEMA EJ, LEINER T, GROTENHUIS HB. Diagnosis, imaging, and clinical management of aortic coarctation. Heart. 2017 Aug;103(15):1148-1155. doi: 10.1136/heartjnl-2017-311173. Epub 2017 Apr 4. Erratum in: Heart, v. 105, n. 14, p. e6, 2019. PMID: 28377475.

EBAID, M. e AFIUNE, J. Y. Coarctação de aorta. Do diagnóstico simples às complicações imprevisíveis. Arquivos brasileiros de cardiologia, v. 71, n. 5, p. 647–648, 1998.

GACH P, DABADIE A, SORENSEN C, et al. Multimodality imaging of aortic coarctation: From the fetus to the adolescent. Diagnostic and Interventional Imaging, v. 97, n.5, p. 581-590, 2016.

HOFFMAN, J.I.E. The challenge in diagnosing coarctation of the aorta. Cardiovascular Journal of Africa, v. 29, n. 4, p. 252–255, 2018.

MURTA, C.G.V. e BATISTUTA, P.N. e CUNHA FILHO, J. S. Dopplerfluxometria no estudo da circulação fetal: revisão do aspecto segurança. Radiologia Brasileira, v. 35, n. 6, p. 365–370, 2002.

ÖZALKAYA E, AKDA? A, ?EN I, CÖMERT E, MELEK YAREN H. Early screening for critical congenital heart defects in asymptomatic newborns in Bursa province. Journal of Maternal-Fetal Neonatal Medicine, v. 29, n. 7, p. 1105-1107, 2016.

PEDRA, S.R.F.F. et al. Brazilian fetal cardiology guidelines – 2019. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 112, n. 5, p. 600–648, 2019.

RAO PS. Stents in the management of aortic coarctation in young children. JACC Cardiovasc Interventions, v.2, n. 9, p. 884-886, 2009.

TOMAR M, RADHAKRISHANAN S. Coarctation of aorta--intervention from neonates to adult life. Indian Heart Journal, v. 60, n. 4, Suppl D, p. D22-D33, 2008.

TOROK, R.D. et al. Coarctation of the aorta: Management from infancy to adulthood. Revista mundial de cardiologia, v. 7, n.11, p.765-75, 20




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n4-107

Refbacks

  • There are currently no refbacks.