Violência na infância: desafio para a equipe de enfermagem/ Violence in childhood: challenge for the nursing team

Julia Maria Pacheco Lins Magalhães, Ana Karolina dos Santos Ferreira, Ina karolina de Vasconcelos Fernandes, Janinne Santos de Melo, Karulyne Silva Dias, Marcela Vieira de Carvalho Santos, Natália Jessica da Silva, Ana Carla de Oliveira Soares

Abstract


Introdução: a criança é um indivíduo em contínuo desenvolvimento, ativo, cercado de curiosidade e criatividade. Porém, ao mesmo tempo é indefeso e delicado, necessitando de amparo e atenção dos seus familiares, da sociedade e do governo. Em muitas situações a criança que sofre algum tipo de violência necessita de atendimento hospitalar, onde neste ambiente o enfermeiro irá conduzir a situação, necessitando estar preparado para melhor condução do caso; sendo preciso equilíbrio para lidar com a criança e sua família. Este estudo, realizado através de buscas avançadas na literatura, evidenciará, portanto, as restrições e facilidades da prática dos profissionais da enfermagem que atuam no hospital de emergência e se deparam diariamente com crianças violentadas. Objetivo: como objetivo têm-se a reflexão sobre o desafio da equipe de enfermagem diante da violência na infância e especificação a partir do levantamento literário das características que compõem o cuidado de enfermagem a essas crianças indefesas. Metodologia: trata-se de um estudo de revisão de literatura e reflexão sobre a temática abordada que oferece, através do estudo de pesquisas anteriores, conhecimentos e aplicabilidade de resultados significativos na prática do cuidado em saúde. Resultados: identificaram-se 505 publicações relacionadas com os descritores utilizados nesta pesquisa nos últimos cinco anos, dentre elas, após as etapas subsequentes de leitura do título 134 foram selecionados para leitura dos resumos e posteriormente a leitura na íntegra. No entanto, 116 deles não continham alguns dos critérios de inclusão. Dos artigos restantes (18), alguns se repetiam nas diferentes bases de dados (seis), sendo, portanto, excluídos deste trabalho. A amostra final foi composta de 11 artigos científicos originais. Considerações finais: destaca-se como desafiador no cotidiano de trabalho do enfermeiro o atendimento às crianças vítima de violência. A pesquisa confirma o pressuposto de que os enfermeiros apresentam dificuldades ao se depararem com crianças vitimizadas e se vêem em meio a conflitos relacionados a normas culturais, éticas e legais, o que requer conhecimento da legislação para uma assistência efetiva às necessidades das vítimas e das suas famílias.

 


Keywords


Enfermagem, Violência, Criança.

References


ACIOLI, R.M.L. et al . Violência intrafamiliar contra crianças e adolescentes: identificação, manejo e conhecimento da rede de referência por fonoaudiólogo em serviços públicos de saúde. Rev. Bras. Saude Mater. Infant., Recife , v. 11, n. 1, mar. 2011. Disponível em Acesso em 25 dez. 2014.

APOSTOLICO, M.R; HINO, P.; EGRY, E.Y. As possibilidades de enfrentamento da violência infantil na consulta de enfermagem sistematizada. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo , v. 47, n. 2, Apr. 2013. Disponível em Acesso em 12 dez. 2014.

COCCO, M.; Silva, E.B.; JAHN, A.C.; POLL, A.S. Violência contra crianças e adolescentes: estratégias de cuidado adotadas por profissionais de saúde. Cienc Cuid Saude 2010 Abr/Jun; 9(2):292-300. Disponível em http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/8061/6108. Acesso em 02 de jan. 2015.

FROTA, M. A., de Lima, L. B., de Paiva Oliveira, M. G., Nobre, C. S., do Couto, C. S., & Noronha, C. V. 2016. Perspectiva materna acerca da repercussão da violência doméstica infantil no desenvolvimento humano. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro, 6(2). Disponível em: https://doi.org/10.19175/recom.v6i2.976. Acesso em 06 jun. 2021.

LAWDER, I. B. TAKAHASHI, M. M. T., & de Oliveira, V. B. C. A. 2015. A abordagem do enfermeiro frente aos casos de violência sexual contra a criança. Anais do EVINCI-UniBrasil,1(4), 1507-1519. Disponível em: https://portaldeperiodicos.unibrasil.com.br/index.php/anaisevinci/article/view/969/945. Acesso em 06 jun. 2021.

MARTINS, J.M. O abuso sexual infantil intrafamiliar: do segredo à elaboração. Dissertação (Mestrado) – Universidade Católica de Pernambuco. Pró- reitoria Acadêmica. Coordenação Geral de Pós Graduação. Mestrado em Psicologia Clínica. Recife, 2015.

MENDES, K.D.S., et.al. Revisão Integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm. [Internet]. V.17, n. 4, p. 758-764, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072008000400018&lng=en. Acesso em 04 jan. 2015.

MORAIS, S.C.R.V.; MONTEIRO, C.F.S.; ROCHA, S.S. O cuidar em enfermagem à mulher vítima de violência sexual. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2010 Jan-Mar; 19(1): 155-60. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072010000100018&lng=pt&nrm=iso. Acesso em 08 dez. 2014.

PIRES, A.C. Papel Do Enfermeiro Frente Ao Abuso Sexual De Crianças E Adolescentes. Centro Universitário De Brasilia- Uniceub, 2017.

ROBAZZI, M.L.C. A violência e suas implicações para a saúde e a enfermagem. Rev. Latino-Am. Enfermagem 20(1):jan.-fev. 2012. Disponível emhttp://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&nrm=iso&lng=pt&tlng=pt&pid=S0104-11692012000100001 Acesso em 08 dez. 2014.

SARAIVA, R.J. Qualificação do enfermeiro no cuidado a vítimas de violência doméstica infantil. Ciencia y enfermeria xviii (1), 2012. Disponível em http://www.scielo.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0717-95532012000100003&lng=pt&nrm=iso Acesso em 10 nov. 2014.

SILVA, L.M.P. da; FERRIANI, M. das G. de C.; SILVA, M.A.I. Atuação da enfermagem frente à violência sexual contra crianças e adolescentes. Rev. bras. enferm., Brasília , v. 64, n. 5, out. 2011. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672011000500018&lng=pt&nrm=iso. Acesso em 05 jan. 2015.

WOISKI, R.O.S.; ROCHA, D.L.B. cuidado de enfermagem à criança vítima de violência sexual atendida em unidade de emergência hospitalar. Esc Anna Nery Rev Enferm 2010 jan-mar; 14 (1): 143-50. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/ean/v14n1/v14n1a21.pdf. Acesso em 20 dez. 2014.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n4-079

Refbacks

  • There are currently no refbacks.