Estresse de discentes do curso de medicina em uma universidade promotora da saúde/ Stress of medicine course discents in a health promoting university

Luana Carolina Rodrigues Guimarães, Lilian Tedeschi Ramalli, Julia Mirian Paulino, Laisla Rodrigues Figueiredo, Gabriela Bianca Rodrigues, Carolina Cristina de Freitas, Raquel Alves dos Santos

Abstract


O estresse nos universitários está associado ao excesso das atividades acadêmicas, a um estilo de vida não saudável, que se resumem em uma má qualidade de vida, o que futuramente pode levar diversas complicações de saúde desses discentes. O presente artigo é o resultado de uma pesquisa que objetivou avaliar a prevalência das fases e dos sintomas do estresse de discentes do primeiro e do segundo ano de graduação em Medicina em uma Universidade Promotora de Saúde. Os dados foram obtidos no ano de 2018, por meio da aplicação um instrumento validado, nomeado de Inventário de Sintomas de Estresse para Adultos de Lipp. Participaram da pesquisa 166 universitários, com média de idade 21,29 anos, onde a maioria dos universitários tinham estresse, estavam a maior parcela na fase da resistência, e o sintoma mais predominante foi psicológico. Os resultados mostraram que a frequência de mulheres sem sintomas de estresse foi menor que a dos homens, e essas apresentaram-se mais estressadas quando comparadas aos homens. Também foi observado um maior nível de estresse nos alunos do primeiro ano quando comparados ao segundo ano de curso. Com os resultados obtidos é possível concluir que os universitários cursando o primeiro e o segundo ano de Medicina estão estressados, havendo assim a necessidade de sistemas de suporte para esses alunos, além da manutenção e ampliação dos ambientes saudáveis nas universidades o que pode ter repercussão direta na saúde desses discentes.


Keywords


Estudantes, Promoção da Saúde, Saúde.

References


AGUIAR, Sâmia Mustafa et al. Prevalência de sintomas de estresse nos estudantes de medicina. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, v. 58, n. 1, p. 34-38, 2009.

ALVES, Tania Correa de Toledo Ferraz. Depressão e ansiedade entre estudantes da área de saúde. Revista de Medicina, v. 93, n. 3, p. 101-105, 2014.

ARROYO, Hiram V. El movimiento de universidades promotoras de la salud. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 31, n. 4, 2018.

BRASIL. Censo demográfico 2010. Características gerais da população, religião e pessoas com deficiência. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. Acompanha 1 CD-ROM.

COSTA, Deyvison Soares da et al. Sintomas de Depressão, Ansiedade e Estresse em Estudantes de Medicina e Estratégias Institucionais de Enfrentamento. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 44, n. 1, 2020.

EISENBERG, Daniel; HUNT, Justin; SPEER, Nicole. Mental health in American colleges and universities: variation across student subgroups and across campuses. The Journal of nervous and mental disease, v. 201, n. 1, p. 60-67, 2013.

YOSHYARA, Estrela Anacleto Costa et al. Estresse e correlatos com características de saúde e sociodemográficas de estudantes de medicina. CES Medicina, v. 32, n. 3, p. 215-225, 2018.

FATEH, Reshma et al. HIGH LEVELS OF STRESS CAUSING ANXIETY AMONGST MEDICAL STUDENTS. Int J Intg Med Sci, v. 7, n. 1, p. 867-74, 2020.

HARADA, Bruna Ayumi et al. Perfil psicológico do estudante de medicina. Revista do Médico Residente, v. 15, n. 2, 2013.

KAM, Suzana Xui Liu et al. Estresse em Estudantes ao longo da Graduação Médica. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 43, n. 1, p. 246-253, 2019.

LAMEU, Joelma do Nascimento; SALAZAR, Thiene Lívio; SOUZA, Wanderson Fernandes de. Prevalência de sintomas de stress entre graduandos de uma universidade pública. Psicologia da Educação, n. 42, p. 13-22, 2016.

LEÃO, Andrea Mendes et al. Prevalência e fatores associados à depressão e ansiedade entre estudantes universitários da área da saúde de um grande centro urbano do Nordeste do Brasil. Revista brasileira de educação médica, v. 42, n. 4, p. 55-65, 2018.

LIPP, Marilda Emmanuel Novaes; GUEVARA, AJ de H. Validação empírica do Inventário de Sintomas de Stress (ISS). Estudos de psicologia, v. 11, n. 3, p. 43-49, 1994.

LIPP, Marilda Emmanuel Novaes; MALAGRIS, Lúcia EN. O stress emocional e seu tratamento. Psicoterapias cognitivo-comportamentais: um diálogo com a psiquiatria, p. 475-490, 2001.

MUÑOZ, Mónica; CABIESES, Baltica. Universidades y promoción de la salud:¿ cómo alcanzar el punto de encuentro?. Revista panamericana de salud pública, v. 24, p. 139-146, 2008.

OLIVEIRA, Cristiano de Souza. A Universidade Promotora da Saúde: uma revisão de literatura. (Mestrado em Estudos Interdisciplinares sobre Universidade) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2017.

OLIVEIRA, Ellaine Santana de. ESTRESSE E COMPORTAMENTOS DE RISCO À SAÚDE ENTRE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS. 2018.

OLIVEIRA, Sofia. Saúde mental e consumo de substâncias psicoactivas em adultos na comunidade. 2011. Tese de Doutorado.

BENEVIDES-PEREIRA, Ana Maria Tereza. Burnout: Quando O Trabalho Ameaca O Bem. Casa do psicólogo, 2002.

PUTHRAN, Rohan et al. Prevalence of depression amongst medical students: A meta‐analysis. Medical education, v. 50, n. 4, p. 456-468, 2016.

WAHED, Wafaa Yousif Abdel; HASSAN, Safaa Khamis. Prevalence and associated factors of stress, anxiety and depression among medical Fayoum University students. Alexandria Journal of medicine, v. 53, n. 1, p. 77-84, 2017.

ZONTA, Ronaldo; ROBLES, Ana Carolina Couto; GROSSEMAN, Suely. Estratégias de enfrentamento do estresse desenvolvidas por estudantes de medicina da Universidade Federal de Santa Catarina. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 30, n. 3, p. 147-153, 2006.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n4-069

Refbacks

  • There are currently no refbacks.