Estudo Epidemiológico dos casos de malária na Região Norte na última década / Epidemiological Study of malaria cases in the Northern Region in the last decade

Vitória Jackeline Melo Rodrigues, João Victor Laranjeira Menezes, Wellington da Silva Santos, Sérgio Lucas Silva de Sousa, Sarah Delise Barata, Genaldo Custodio Junior, Haroldo Fernando De Souza Blanco Neto, Tallyta Julia Correa Couto

Abstract


Introdução: A malária é considerada um dos maiores problemas de saúde pública no mundo como um todo, sendo isto levado em consideração pela Organização Mundial da Saúde e que em 2017 estimou um número de 219 milhões de casos para esta doença, com um aumento de 2 milhões ao ano anterior, mas apenas as três primeiras são encontradas na região brasileira. Seus aspectos clínicos incluem febre elevada, calafrios, cefaleia, os seus padrões na clínica vão de acordo com o seu agente etiológico e se não for tratado de forma cabível o seu quadro pode chegar causar um coma e até mesmo óbito. Tem-se 54 espécies do gênero Anopheles no Brasil, sendo muito distribuídos por todo o país e dentre dos que se destacam mais é o Anopheles darlingi, muito presente na região amazônica, sendo considerado o seu principal vetor. Com uma vasta distribuição geográfica e boa adaptabilidade. O seu ciclo de sazonalidade está muito ligado ao período das chuvas já que a criação dos seus criadouros depende desses fatores, além de estar ausente ou com muita pouca presença, em regiões onde se tem períodos longos de seca. Objetivo: Avaliar o perfil epidemiológico e espacial da malária na região norte na última década. Métodos: Revisão narrativa com estudo epidemiológico, e abordagem literária retirada dos bancos de dados do Google acadêmico e Scielo, sendo encontrados nos idiomas português e inglês. Resultados: A distribuição da malária pelas capitais os dados estavam tendo uma variação muito pequena, Porto Velho teve o maior número de casos na faixa etária de 20-39 e 40-59, Rio Branco e Palmas tiveram os menores números em todas as faixas etárias. Discussão: A malária ainda é um problema de saúde pública em todo o mundo, no Brasil, a doença ainda apresenta elevado risco de transmissão na região da Amazônia Legal, sendo a causa de consideráveis perdas sociais e econômicas das populações sob risco, principalmente daquelas que vivem em condições precárias de habitação e saneamento. Conclusão: A malária continua sendo um dos principais problemas de saúde pública no mundo, fatores sociais, econômicos e até mesmo políticos são agravantes para a propagação desta doença, no entanto, existem atitudes que podem influenciar positivamente para sua não reprodução, desde o individual até o coletivo, tais como a extrema importância um alerta sobre a doença, podendo haver o investimento em propagandas e meios que viabilizem a informação e que seja de fácil entendimento a todos.

 


Keywords


Malária, Saúde Pública, Epidemiológico.

References


MONTEIRO, Maria Rita de Cassia Costa; RIBEIRO, Mayani Costa; FERNANDES, Suellen Costa. Aspectos clínicos e epidemiológicos da malária em um hospital universitário de Belém, Estado do Pará, Brasil. Revista Pan-Amazônica de Saúde, v. 4, n. 2, p. 11-11, 2013.

WOLFARTH-COUTO, Bruna; FILIZOLA, Naziano; DURIEUX, Laurent. Padrão sazonal dos casos de malária e a relação com a variabilidade hidrológica no Estado do Amazonas, Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 23, p. e200018, 2020.

OLIVEIRA-FERREIRA, Joseli et al. Malaria in Brazil: an overview. Malaria journal, v. 9, n. 1, p. 1-15, 2010.

TAUIL, Pedro Luiz. Malária no Brasil: epidemiologia e controle. 2010.

SOUZA, Patrícia Feitosa et al. Spatial spread of malaria and economic frontier expansion in the Brazilian Amazon. Plos one, v. 14, n. 6, p. e0217615, 2019.

HIWAT, Hélène; BRETAS, Gustavo. Ecology of Anopheles darlingi Root with respect to vector importance: a review. Parasites & vectors, v. 4, n. 1, p. 1-13, 2011.

BEZERRA, Juliana Maria Trindade et al. Changes in malaria patterns in Brazil over 28 years (1990–2017): results from the Global Burden of Disease Study 2017. Population Health Metrics, v. 18, n. 1, p. 1-15, 2020.

SILVA, Rita do Socorro Uchôa da et al. Malária no município de Cruzeiro do Sul, estado do Acre, Brasil: aspectos epidemiológicos, clínicos e laboratoriais. 2012.

OLIVEIRA, Helen Maria Ramos de; FELÍCIO, Jaqueline Camilo de Sousa; OLIVEIRA, Maria Tereza da Costa (Org.). Boletim da Vigilância em Saúde: Malária. 5. ed. Belo Horizonte: Ano VI, 2016. 2 p. 3 f.

PARÁ, Diário do (Org.). Projeto Malária. 2018. Disponível em: . Acesso em: 4 jun. 2021.

DATASUS, Ministério da Saúde/SVS - dados de Município de Notificação por Faixa Etária.

BARATA, R C. B. Malária no Brasil: Panorama Epidemiológico na Última Década. Cad Saúde Púb1., Rio de Janeiro, 11 (1): 128-136, Jan/Mar, 1995.

COUTO, Bruna; et all. Padrão sazonal dos casos de malária e a relação com a variabilidade hidrológica no Estado do Amazonas, Brasil. Rev. bras. epidemiol. 23. 2020.

FUCHS, Antonio. Malária: região Amazônica concentra 99% dos casos no Brasil. Fundação Osvaldo Cruz. 2019. Disponível em: https://portal.fiocruz.br/noticia/malaria-regiao-amazonica-concentra-99-dos-casos-no-brasil >. Acesso em: 4 jun. 2021.

GRILO, Luan; et all. A GEOGRAFIA DA MALÁRIA NA REGIÃO NORTE DO BRASIL ENTRE 2003 E 2016. In: ENCONTRO ACADÊMICO DE ENGENHARIA AMBIENTAL - ENAMB, 2., 2018.

Ministério da Saúde (BR). Ações de Controle da Malária: Manual para Profissionais de Saúde na Atenção Básica. Brasília-DF. 2006.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Guia prático de tratamento da malária no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde; 2010.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Vigilância em saúde no Brasil 2003|2019: da criação da Secretaria de Vigilância em Saúde aos dias atuais. Bol Epidemiol [Internet]. 2019 set 1-154.

TAUIL, Pedro Luiz. Avaliação de uma nova estratégia de controle da malária na Amazônia brasileira. 2002. 95 f., il. Tese (Doutorado em Medicina Tropical) - Universidade de Brasília, Brasília, 2002.

VASCONCELOS, Beatriz; Et all. Aspectos epidemiológicos da malária na Amazônia Legal, Brasil, 2000 a 2013. Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, v. 3, n. 3, p. 5230-5243 may/jun. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n4-065

Refbacks

  • There are currently no refbacks.