Síndrome de Stevens-Johnson: uma doença dermatológica ou uma farmacodermia? / Stevens-Johnson Syndrome: a dermatological disease or a pharmacodermia?

Amanda Batista Coelho, Alessandra Resende Romanielo, Victoria Alessandra Barbosa, Ana Gabriela Batista Pinheiro de Brito, Pollyanne de Oliveira Freitas, Bruna Moraes Farias Dantas, Heloisa Ganassini Quintanilha, Renata Pedroso Carvalho, Tayla Figueiredo Lacerda, Débora de Lima Ramos, Esther Eloisa Magalhães de Paula, Angélica Cristina Bezerra Sirino Rosa, Gabriella Rodrigues Cascão, Victor Antônio Paulino da Silva, Viviana Cristina de Souza Carvalho, Joyce Karolyny Lopes de Souza, Altair Bartiloti Castro Santos Neta, Michelle Lorrane Bezerra Hipólito, Rafael Gustavo Ferreira de Paula, Eduardo Arantes dos Santos Resende

Abstract


INTRODUÇÃO: A síndrome de Stevens-Johnson refere-se à uma reação mucocutânea aguda caracterizada por necrose e descolamento extenso da epiderme. É uma síndrome rara e com etiologia desconhecida, relacionada sensibilidade a medicações ou a infecções por vírus como herpes simples e micoplasma. O quadro clínico se inicia com um exantema prodrômico morbiliforme disseminado com acometimento centrífugo envolvendo mucosas e evolui com necrose epidérmica e eritema e erupções dolorosas em mucosas. O diagnóstico é clínico e o tratamento é controverso, envolvendo corticosteroides, clorexidina oral e imunomoduladores. OBJETIVO: Entender a Síndrome de Steve Johnson relacionado com seus sintomas dermatológicos e suas etiologias farmacológicas. METODOLOGIA: trata-se de uma revisão de literatura integrativa com dados coletados nas bases Scielo e Pubmed com 13 artigos coletados. DISCUSSÃO E RESULTADOS:. Foram descritos diversos fatores de risco que estão relacionados com a gravidade da apresentação da doença bem como a extensão da superfície corporal acometida. É importante ressaltar ainda as limitações das opções terapêuticas e a importância da assertividade das indicações para que não haja uma piora do quadro. CONCLUSÃO: a Síndrome de Steven Johnson é uma afecção rara, com potencial letalidade e apresenta como sintomas principais a descamação dérmica além de ulceração na mucos. Pode ser desencadeada principalmente pelo uso de medicações e em pessoas com fatores de risco. Poucos estudos foram realizados a respeito da síndrome e seu tratamento.

 


Keywords


Steve Johsons, Farmacodermia, Doença Dermatológica.

References


WOLFF, K.; JOHNSON, R,A.; SAAVEDRA, A.P. Dermatologia de Fitzpatrick, 7.ed., Porto Alegre-RS: Editora AMGH, 2015.

WOOLUM JA, Bailey AM, BAUM RA, METTS EL. A Review of the Management of Stevens-Johnson Syndrome and Toxic Epidermal Necrolysis. Adv Emerg Nurs J. 2019 Jan/Mar;41(1):56-64.

BRETT As, Phillips D, LYNN AW. Intravenous immunoglobulin therapy for Stevens-Johnson syndrome. South Med Journal 2001;94(3):342-3.

Harr T, French LE. Toxic epidermal necrolysis and Stevens-Johnson syndrome. Orphanet J Rare Dis. 2010 Dec 16;5:39.

Levi, N., Bastuji-Garin, S., Mockenhaupt, M., Roujeau, J.-C., Flahault, A., Kelly, JP,… Maison, P. (2009). Medicamentos como fatores de risco da síndrome de Stevens-Johnson e necrólise epidérmica tóxica em crianças: uma análise conjunta. PEDIATRIA, 123 (2), e297 – e304.

Patterson R, Miller M, Kaplan M, Doan T, Brown J, Detjen P et al. Effectiveness of early therapy with corticosteroids in Stevens-Johnson syndrome: experience with 41 cases and a hypothesis regarding pathogenesis. Ann Allergy 1994;73:27-34.

Roujeal JC, Stern RS. Severe adverse cutaneous reactions to drugs. N Engl J Med. 1994; 331(19): 1272-85.

ALERHAND S, CASELLA C, KOYFMAN A. Stevens-Johnson Syndrome and Toxic Epidermal Necrolysis in the Pediatric Population: A Review. Pediatr Emerg Care. 2016 Jul;32(7):472-6.

BULISANI, A. C. P.; SANCHES, G.D.; GUIMARAES, H.P.; et al. Síndrome de Stevens-Johnson e Necrólise Epidérmica Tóxica em Medicina Intensiva. Revista Brasileira de Terapia Intensiva Vol. 18 Nº 3, Julho – Setembro, 2006.

CRIADO, Paulo Ricardo et al. Reações cutâneas graves adversas a drogas: Aspectos relevantes ao diagnóstico e ao tratamento-Parte II. Anais brasileiros de dermatologia, v. 79, n. 5, p. 587-601, 2004.

FALCÃO, P. G. C. B. et al. Síndrome de Stevens-Johnson associada ao uso de antimicrobiano. RGO, v. 3, n. 56, p. 337-40, 2008.

GONZALEZ, Mercedes E. Síndrome de Stevens-Johnson (SSJ) e necrólise epidérmica tóxica (NET). Manual MSD versão para profissionais e saúde, 2017. Disponível em: Acesso em: 22/09/2020.

Zuo W, Wen LP, Li J, Mei D, Fu Q, Zhang B. Oseltamivir induced Stevens-Johnson syndrome/toxic epidermal necrolysis-case report. Medicine (Baltimore). 2019 May;98(19):e15553.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n4-059

Refbacks

  • There are currently no refbacks.