(Re)significando o filho prematuro por meio da musicoterapia / (Re)signifying the premature child through music therapy

Larissa Timoteo Silva, Juliane Pagliari Araujo, Keli Regiane Tomeleri da Fonseca Pinto, Adriana Valongo Zani

Abstract


Objetivo: Apreender as representações dos pais sobre o significado do filho prematuro por meio da intervenção musical. Método: Trata-se de um estudo qualitativo, fundamentado no referencial teórico das Representações Sociais, realizado com cinco pais de recém-nascidos prematuros hospitalizados em unidade de terapia intensiva que tiveram a oportunidade de realizar intervenções musicais, por meio de entrevista semiestruturada. A coleta de dados ocorreu de junho a julho de 2020, por meio de contato telefônico. Resultados: Dos cinco pais participantes, ocorreu predominância do sexo feminino (80%). A faixa etária variou de 21 a 30 anos. Em relação aos recém-nascidos, três apresentavam idade gestacional de nascimento menor que 28 semanas, um com 31 semanas e outro com 32 semanas e a média de internação foi de 59 dias. Das falas dos pais emergiram quatro ideias centrais: 1) O primeiro contato com o filho prematuro; 2) O primeiro canguru e a música; 3) Só dorme com música e 4) A música e a pandemia: aproximações e distanciamentos. Considerações Finais: Foi possível identificar a música como forma de vínculo, ocasionando benefícios não apenas para o recém-nascido prematuro, mas para seus pais. Possibilitando momentos agradáveis e que foram mantidos após a alta dos filhos por seus pais.

 

 


Keywords


Musicoterapia, Pais, Recém-nascido Prematuro, Unidade de Terapia Intensiva Neonatal.

References


Abreu MQS, Duarte ED, Dittz ES. Construção do apego entre mãe e bebê pré-termo mediado pelo posicionamento canguru. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro. 2020;10:e3955. Access 27 mar. 2021; DOI: http://doi.org/10.19175/recom.v10i0.3955.

Brasil. Ministério da Saúde. Práticas Integrativas e Complementares (PICS): quais são e para que servem. Disponível em: http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/praticas-integrativas-e-complementares. Acesso em: 26 set 2019.

Correia LA, Rocha LLB, Dittz SE. Contribuições do grupo de terapia ocupacional no nível de ansiedade das mães com recém-nascidos prematuros internados nas unidades de terapia intensiva neonatal. Cad. Bras. Ter. Ocup. [Internet]. 2019 Set [citado 2021 Abr 20]; 27( 3 ): 574-583. DOI: http://dx.doi.org/10.4322/2526-8910.ctoao1694.

Fernandes MMSM, Santos AG, Santiago AKC. Prognóstico de Recém-Nascidos Internados em Unidades de Terapia Intensiva Neonatal: Revisão Integrativa. Rev Fund Care Online. 2019. abr./jun. 11(3):748-755. DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2019.v11i3.748-755.

Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, v. 2, n. 4, p. 3244-3250 jul./aug. 2019. ISSN 2595-6825.

Heck GMM, Lucca HC, Costa R, Junges CF, Santos SV, Borck M. Compreensão do sentimento materno na vivência no método canguru. Revista de Enfermagem da Ufsm, v. 6, n. 1, p. 71, 30 mar. 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2179769218083.

Jodelet D. Loucuras e representações sociais. Petrópolis, RJ: Vozes; 2005.

Júnior HA. Eficácia terapêutica da música: um olhar transdisciplinar de saúde para equipes, pacientes e acompanhantes. Rev. enferm. UERJ v.26, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.12957/reuerj.2018.29155

Lefevre F, Lefevre AMC, Marques MCC. Discurso do sujeito coletivo, complexidade e auto-organização. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2009 [acesso 2019 ago 07]; 14(4). DOI: https://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232009000400025

Mira A, Bastías R. Interacciones entre las madres y sus bebés prematuros durante el período de hospitalización. Cad. Bras. Ter. Ocup. [Internet]. 2020 [acesso 2021 Abr 20]; 28(3): 875-889. DOI: https://doi.org/10.4322/2526-8910.ctoao2042.

Morsch DS, Custódio ZAO, Lamy ZC. Psycho-emotional care in a neonatal unit during the covid-19 pandemic. Revista Paulista de Pediatria. v. 38. 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1984-0462/2020/38/2020119.

Moscovici S. Representações sociais: Investigações em Psicologia Social. 7a ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

Palazzi A, Meschini R, Piccinini C A. Intervenção musicoterápica para mãe-bebê pré-termo: uma proposta de intervenção na UTI neonatal. Psicol. estud., v. 24, e41123, 2019. DOI: 10.4025/psicolestud.v24i0.41123

Rodrigues DIS, Fófano GA, Barreiros LL, Couto CSF, Vieira CF, Oliveia MAAC. A utilização da musicoterapia na assistência ao prematuro internado em unidade de terapia intensiva neonatal: uma revisão bibliográfica. Científica Revista Fagoc: SAÚDE, [s. l], v. 3, n. 1, p. 1-7, 2018. [acesso 2021 maio 27]. Disponível em: https://revista.unifagoc.edu.br/index.php/saude/article/view/362/309.

Souza SCD, Medino YMS, Benevides KGCB, Ibiapina AL, Ataíde KMN. Fortalecimento do vínculo entre a família e neonato prematuro. Rev enferm UFPE. Recife, 13 (2):298-306, fev, 2019. DOI: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v13i02a236820p298-306-2019.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n4-025

Refbacks

  • There are currently no refbacks.