Síndrome de burnout e o profissional de saúde / Burnout syndrome and the healthcare professional

Érica Andrade de Oliveira, Janine Tavares Fontes

Abstract


A prevalência da Síndrome de Burnout no Brasil se encontra em cerca de 78,4% dos profissionais de saúde. Objetivo: Evidenciar as causas presentes no dia a dia do profissional de saúde que desencadeiam o diagnóstico de Síndrome de Burnout. Método: Pesquisa bibliográfica, qualitativa de caráter descritivo, realizado através de pesquisa na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) e em busca livre. Desenvolvimento: Profissionais das áreas da saúde em geral são exemplos de indivíduos frequentemente expostos à alta carga física e mental durante o trabalho e os sintomas do Burnout afetam negativamente, entre outros, a qualidade da assistência recebida pelos pacientes. Considerações finais: Orienta-se que sejam proporcionados pelas gestões das unidades de saúde medidas colaborativas e preventivas e adaptações de acordo com as necessidades profissionais para que sejam prevenidos os possíveis casos e reduzidos e tratados os casos já existentes.


Keywords


Saúde, Burnout e Trabalhador

References


BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 1.823, de 23 de agosto de 2012. Institui a Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora. Brasília: Diário Oficial da União; 2012.

CRUZ, S. P. L. et al. Fatores relacionados à probabilidade de sofrer problemas de saúde mental em profissionais de emergência. Rev. Latino-Am. Enfermagem, 2019. Disponível em: .

DOS SANTOS, E. N.et al. Saúde do trabalhador no ambiente hospitalar: fatores de risco para síndrome de burnout. Revista Nursing. v.22, n.248, p.2590-2513, 2018. Disponível em: .

DOS SANTOS, S,C,R. et al. Prevalência de burnout em médicos residentes de Medicina Geral e Familiar em Portugal. Rev Bras Med Fam Comunidade. v,39, N.12, p.1-9, 2017.

ESTEVES, G. G. L, et al. Fadiga e Estresse como preditores do Burnout em Profissionais da Saúde. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, v.3, n.19, p.695-702, 2019. Disponível em: .

FREIRE, P.L. et al. Trends in burnout syndrome and emotional factors: an assessment of anesthesiologists in Southern Brazil. Psychol Health Med. v.4, n.21, p.413-23, 2016. Disponível em: .

LEITER, M. P, MASlLACH, C. Latent burnout profiles: A new approach to understanding the burnout experience. Burn Res. [Internet].v.4, n.3, p.89-100, 2016. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/ article/pii/S2213058615300188?via%3Dihub.

MAGALHÃES, E. et al. Prevalência de síndrome de burnout entre os anestesiologistas do Distrito Federal. Rev Bras Anestesiol. 2015;65(2):104---110. Disponível em: < https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0034709414001196>.

MARTELI, A. et al. Análise de Metodologias para Execução de Pesquisas Tecnológicas. Braz. Ap. Sci. Rev., Curitiba, mar/abr. 2020.

MERCES, M. C. et al. Evidências científicas sobre a associação entre burnout e síndrome metabólica: revisão integrativa. Acta Paul Enferm. v. 4, n.32, p. 470-6, 2019. Disponível em: .

MORAIS, A. J. D. et al. Síndrome de Burnout em Médicos de Estratégia Saúde da Família de Montes Claros, MG, e Fatores Associados. Rev Bras Med Fam Comunidade. Rio de Janeiro, V.40, N.13, P.1-15, 2018 Jan-Dez. Disponível em: .

OLIVEIRA, L. P. S. ARAÚJO, G. F. Características da Síndrome de Burnout em enfermeiros da Emergência de um Hospital Público. Revista Enfermagem Contemporânea. 2016 Jan./Jun.;5(1):34-42. Disponível em:< https://www5.bahiana.edu.br/index.php/enfermagem/article/view/834 >.

PECKHAM, C. Physician burnout: it just keeps getting worse. 2015.

PÊGO, F. P. L, PÊGO D. R. Burnout Syndrome. Rev Bras Med Trab [Internet]. V.2, n.14, p.171-6, 2016. Disponível em: .

RIBEIRO, E. K. C. et al. Conhecimento dos profissionais de enfermagem sobre a Síndrome de Burnout. Rev enferm UFPE on line. Recife, v.1, n.13, p.416-423, fev, 2019. Disponível em: .

SACHES, G. F. et al. Burnout syndrome among graduates of undergraduate nursing course. J Nurs UFPE on line. V.1, N.11, P.31-9, Jan 2017.

SANTOS, C. B. A relação entre a Síndrome de Burnout e o comprometimento organizacional em profissionais da saúde. Universidade FUMEC, Faculdade de ciências Empresariais, Belo Horizonte, 2018. Disponível em:< https://repositorio.fumec.br/handle/123456789/380.

SILVA, R. A. D. et al. Síndrome de Burnout: realidade dos fisioterapeutas intensivistas?. Fisioter Pesqui. 2018;25(4):388-394. Disponível em:< http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1809-29502018000400388&script=sci_arttext&tlng=pt>.

SILVA, R. N. S. et al. Burnout syndrome in nursing professional. Rev Saúde em foco [Internet]. v.2, n.2, p.94-106, Aug/Dec, 2015. Disponível em: < http://www4.fsanet.com.br/revista/index.php/saudeemfoco/article/view/896/868>.

SILVEIRA, A. L. P. et al. Síndrome de burnout: consequências e implicações de uma realidade cada vez mais prevalente na vida dos profis¬sionais de saúde. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho. V.3, n.14, p.275-84, 2016. Disponível em: .

SUNER-SOLER, R. GRAU-MARTIN, A. The consequences of burnout syndrome among healthcare professionals in Spain and Spanish speaking Latin American countries. Burn Res. [Internet]. V.2, n1, p.82-9, 2014. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/ article/pii/S2213058614000254?via%3Dihub.

ZANATTA, A. B. LUCCA, S. R. Prevalência da síndrome de burnout em profissionais da saúde de um hospital oncohematológico infantil*. Rev Esc Enferm USP · 2015; 49(2):253-260. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/3610/361038470010.pdf.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-296

Refbacks

  • There are currently no refbacks.