Indicações terapêuticas na paralisia de Erb-Duchenne neonatal: uma revisão bibliográfica / Therapeutic indications in neonatal Erb-Duchenne's palsy: a literature review

Mariela Sthefany Silva, Ana Elisa de Oliveira Soares, Bruno Maurílio Tavares Faria, Camila Guimarães Maciel de Castro, Davi Fernando Gomes Pereira, Larah Luísa Cardoso Campos, Letícia Maria Guimarães Maia, Marcella Rodrigues Costa Simões

Abstract


INTRODUÇÃO: A paralisia de Erb-Duchenne é a mais frequente paralisia neonatal do plexo braquial, correspondendo a mais de 60% dos casos. Para o tratamento têm-se os procedimentos cirúrgicos convencionais e os complementares. Diante do prejuízo de qualidade de vida, da constância dos casos e da ausência de um protocolo que guie as escolhas terapêuticas da patologia, este estudo visa orientar a utilização de cada método de tratamento. METODOLOGIA: O estudo consistiu em uma revisão sistemática com busca nas bases de dados BVS e PubMed utilizando os descritores "Erb-Duchenne", "neonatal", "treatment" e "plexus brachial". RESULTADOS: As opções de tratamento são definidas pela avaliação clínica e pelo tipo de lesão. É consenso que a abordagem conservadora seja iniciada precocemente. DISCUSSÃO: Os estudos apresentam divergências no que se refere às alternativas terapêuticas. Muitos evidenciam a relevância do acompanhamento multidisciplinar e a inclusão de técnicas complementares como a injeção de toxina botulínica. Sobre o tratamento cirúrgico destaca-se as cirurgias primárias, comumente indicadas para crianças que não apresentam nenhum tipo de recuperação espontânea dentro de um espectro entre três a nove meses; e as cirurgias secundárias. CONCLUSÃO: Ressalta-se a necessidade de mais estudos nesta área, a fim de se direcionar a seleção terapêutica de forma mais assertiva, no fito de se priorizar a reabilitação e recuperação dos bebês e crianças.


Keywords


Paralisia de Erb-Duchenne, Neonatal, Tratamento, Qualidade dos cuidados de saúde.

References


ABID, A. Brachial plexus birth palsy: Management during the first year of life. Orthop Traumatol Surg Res, v.102, n 1. p.125-132, 2016.

BUCHANAN, P. J. et al. The Use of Botulinum Toxin Injection for Brachial Plexus Birth Injuries: A Systematic Review of the Literature. Hand (NY), v. 14, n 2. p. 150-154, 2019.

CARDOSO, M.; SOUSA, D. A importância da intervenção fisioterápica em crianças com paralisia braquial obstétrica: revisão. Faculdade da Sul-Americana – FASAM, [s. l.], 2016.

CORONEOS, C. J. et al. Obstetrical brachial plexus injury (OBPI): Canada's national clinical practice guideline. BMJ open, v. 7, n 1., 2017.

CUNHA, M. R. et al. Estudo anatômico do plexo braquial de fetos humanos e sua relação com paralisias neonatais do membro superior. Einstein (São Paulo), v.18, p.1-4, 2020.

DE BRITO, T. T. D.; PINHEIRO, C. L. Instrumentos de avaliação utilizados por terapeutas ocupacionais na criança com paralisia braquial obstétrica. Cad. Ter. Ocup. UFSCar, São Carlos, v. 24, n 2. p. 335-350, 2016.

DE MEDEIROS, D. L. et al. Qualidade de vida e função do membro superior de crianças com paralisia obstétrica do plexo braquial. Rev Paul Pediatr, v.38, p.1-8, 2020.

FRADE, F.; GÓMEZ-SALGADO, J.; JACOBSOHN, L.; FLORINDO-SILVA, F. Rehabilitation of Neonatal Brachial Plexus Palsy: Integrative Literature Review. J Clin Med, v.8, n 7. p. 980, 2019.

HEISE, C.O.; MARTINS, R.; SIQUEIRA, M. Paralisia do plexo braquial neonatal: um desafio permanente. Arq. Neuro-Psiquiatr, vol.73, n 9. 2015.

LALKA, A.; GRALLA, J.; SIBBEL, S. E. Brachial Plexus Birth Injury: Epidemiology and Birth Weight Impact on Risk Factors. Journal of Pediatric Orthopaedics, v.40, n 6. p. 460-465, 2020.

LOPES, A. R. et al. Atuação Fisioterapêutica Na Paralisia Braquial Obstétrica. Rev Inic Cient e Ext, v.

, n 2. p. 412- 419, 2020.

MANSKE, M. C. et al. Long-term outcomes of brachial plexus reconstruction with sural nerve autograft for brachial plexus birth injury. Plastic and reconstructive surgery, v. 143, n 5. p. 1017-1026, 2019.

RON, AG.; GALLARDO, R.; HERNANI, BH. Utilidade da injeção guiada por ultrassom de toxina botulínica tipo A para desequilíbrio muscular em crianças com paralisia obstétrica do plexo braquial: Descrição do procedimento e protocolo de ação. Neurology, v.34, n 4. p. 215-223, 2019.

YILMAZ, V. et al. Timing of rehabilitation in children with obstetric upper trunk brachial plexus palsy.

Child's Nervous System, v. 34, n 6. p. 1153-1160, 2018.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-269

Refbacks

  • There are currently no refbacks.