Significados do conceito de vulnerabilidade em saúde: uma revisão de escopo/ Meanings of the concept of health vulnerability: a scoping review

Raquel Sampaio Florêncio, Virna Ribeiro Feitosa Cestari, Vera Lúcia Mendes de Paula Pessoa, Maria Rocineide Ferreira da Silva, José Wicto Pereira Borges, Jênifa Cavalcante dos Santos Santiago, Samuel Miranda Mattos, Samir Gabriel Vasconcelos Azevedo, Maria Lúcia Duarte Pereira, Thereza Maria Magalhães Moreira

Abstract


Objetivo: Identificar os significados do conceito de vulnerabilidade em saúde trazido na literatura científica. Métodos: Trata-se de uma revisão de escopo, que utilizou a equação de busca vulnerability AND health nas bases de dados Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Índice Bibliográfico Espanhol de Ciências da Saúde (IBECS), Base de Dados em Enfermagem (BDENF), Cummulative Index to Nursing and Allied Health Literature (CINAHL), Web of Science, Scopus e no portal PUBMED. A partir dos critérios de elegibilidades, 101 artigos foram analisados, cujas definições de vulnerabilidade em saúde foram extraídas. Resultados: Em uma primeira leitura, identificaram-se os significados: suscetibilidade, precariedade, risco, possibilidade, sentimento e posicionalidade. Após novas reduções, três significados com suas bases epistemológicas deram o tom nas publicações: risco, suscetibilidade e precariedade. No entanto, o risco ainda é enfatizado nas publicações científicas. Conclusão: O conceito é discutido mundialmente e em diversos cenários, com ênfase no risco.


Keywords


Vulnerabilidade em Saúde, Promoção da Saúde, Saúde Pública, Revisão.

References


ARAÚJO IMM, OLIVEIRA AGRC. Interfaces entre a saúde coletiva e a ecologia política: vulnerabilização, território e metabolismo social. Saúde debate, 2017; 41: 276-286.

AYRES JRCM. Entrevista com José Ricardo Ayres. Saúde Soc. São Paulo, 2018; 27(1): 51-60.

AYRES JRCM, et al. Risco, vulnerabilidade e práticas de prevenção e promoção da saúde. In: Campos GWS, Minayo MCS, Akerman M, Drumont Júnior M, Carvalho YM, organizadores. Tratado de saúde coletiva. 2ª ed. São Paulo: Hucitec, 2012; p. 375-417.

AYRES JRCM. Vulnerabilidade, direitos humanos e cuidado: aportes conceituais. In: Barros S, Campos PFS, Fernandes JJS, organizadores. Atenção à saúde de populações vulneráveis. Barueri: Manole, 2014.

AYRES JRCM, et al. Vulnerabilidade e prevenção em tempos de Aids. In: Barbosa R, Parker R, organizadores. Sexualidade pelo avesso: direitos, identidades e poder. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1999; p. 50-71.

AYRES JRCM, et al. O conceito de vulnerabilidade e as práticas de saúde: novas perspectivas e desafios. In: Czeresnia D, Freitas CM, organizadores. Promoção da saúde: conceitos, reflexões, tendências. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2009; p. 117-40.

ARKSEY H, O’MALLEY L. Scoping studies: towards a methodological framework. Int. J. Soc. Res. Methodol, 2005; 8: 19-32.

BUTLER J. Vida precária. Contemporânea. Revista de Sociologia da UFSCar, 2011; 1: 13-33.

BUTLER J. Dar cuenta de sí mismo. Violencia ética y responsabilidad. Buenos Aires: Amorrortu, 2009.

CESTARI VRF, et al. A essência do cuidado na vulnerabilidade em saúde: uma construção heideggeriana. Rev. Bras. Enferm, 2017; 70(5): 1112-1116.

FLORÊNCIO RS. Vulnerabilidade em saúde: uma clarificação conceitual. Tese (Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva). Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2018; 166p.

FLORÊNCIO RS, MOREIRA TM. Modelo de vulnerabilidade em saúde: esclarecimento conceitual na perspectiva do sujeito-social. Acta Paul Enferm. 2021. No prelo.

FLORÊNCIO RS et al. Mapeamento dos estudos sobre vulnerabilidade em saúde: uma revisão de escopo. Research, Society and Development, 2020; 9(10): e2079108393.

OVIEDO RA, CZERESNIA D. O conceito de vulnerabilidade e seu caráter biossocial. Interface (Botucatu), 2015; 19(53): 237-250.

KUHN TS. A Estrutura das Revoluções Científicas. São Paulo: Editora Perspectiva, 2006.

LOH LW. The Importance of Recognizing Social Vulnerability in Patients during Clinical Practice. J Health Care Poor Underserved, 2017; 28(3): 869-80.

PETERS MDJ, et al. Guidance for conducting systematic scoping reviews. Int. J. Evid. Based. Healthc, 2015; 13: 141–146.

Santos EIC, Andrade DS, Carvalho KS, Alves VS. Vulnerabilidade programática de mulheres assistidas em um Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Outras Drogas. Braz. J. Hea. Rev., 2020; 3(5): 12345-12361.

TIPPENS JA. Urban Congolese Refugees in Kenya: The Contingencies of Coping and Resilience in a Context Marked by Structural Vulnerability. Qual Health Res, 2017; 27(7): 1090-1103.

TRICCO AC, et al. PRISMA extension for scoping reviews (PRISMA-ScR): Checklist and explanation. Annals of Internal Medicine, 2018; 169(7): 467-473.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-243

Refbacks

  • There are currently no refbacks.