Incidência de nefropatia diabética tipo 1 e tipo 2 em pacientes internados em clínica médico-cirúrgica: subsídios para elaboração de um protocolo de assistência de enfermagem / Incidence of type 1 and type 2 diabetic nephropathy in patients admitted to a medical-surgical clinic: subsidies for the elaboration of a nursing care protocol

Heloisa Sedano Carneiro, Luciana Soares Costa Santos, Ana Carolina Germano da Silva

Abstract


Objetivo: Avaliar a incidência de nefropatia diabética em pacientes portadores de diabetes mellitus tipo 1 e tipo 2 em unidades de internação clínica e cirúrgica. Elaborar um protocolo de assistência de enfermagem para pacientes com nefropatia diabética tipo 1 e 2. Método: Trata-se de um estudo exploratório, descritivo, de corte transversal e com abordagem quantitativa. A pesquisa foi realizada nas unidades de Internação clínica e cirúrgica de um hospital de ensino na zona central do município de São Paulo. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética e Pesquisa (CEP) da ISCMSP, atendendo a resolução 466/2012, registrado sob nº CAAE 20709219.9.0000.5479. Resultados: A amostra foi composta por 27 pacientes, com idade média foi de 62,2 anos, predomínio de mulheres (74,0 %), negras (40,7 %), solteiras (40,7 %), do lar (55,6%), católicas (51,8 %), procedente da região sudeste, da cidade de São Paulo (44,4%), com predomínio do DM tipo 2 (88,9 %), com tempo médio de diagnóstico da doença de 144 meses, HAS e outras cardiopatias como IAM e IC, 85,2%, com antecedentes familiares de DM 44,4%, em uso de insulina como tratamento do DM (85,1%), com tempo médio de uso de insulina de 52 meses. Já para os hipoglicemiantes orais a média foi de 81,6 meses, que não internaram por descompensação diabética (74%), sem complicações decorrentes do DM (66,7%), que reconhecem os sinais e sintomas da doença quando descompensada (70,4%) e que tem conhecimento sobre as complicações da doença (51,9%). Observa-se um perfil de pacientes que não usam insulina (37%), os que usam fazem rodízio nos locais de aplicação (48,1%) e tem uma média de UI aplicadas de 4,4, com DP ±8,4. Em relação à avaliação renal na admissão do paciente, os pacientes tinham uma média de 1,27 mg/dL para creatinina, 49,2 para ureia mg/dL e 321,5 mL de volume urinário 24 horas. No dia da coleta de dados, média de 1,21 mg/dL de creatinina, 55,7 de uréia mg/dL e 215,5 mL de volume urinário. O desfecho de alteração da função renal mostra que 85,2% (n=23) dos pacientes não apresentaram disfunção renal e 14,8% (n=4) apresentaram alterações (LRA, DRC e ttansplantes). Conclusão: o DM é um problema de saúde relevante, o qual está associado a fatores demográficos, como idade avançada e outras condições de saúde, como a HAS, somando-se a isso, as complicações renais irreversíveis que o DM pode desencadear. Tais condições levam a uma condição de controle de saúde e da qualidade de vida dos pacientes comprometidas pelo DM descontrolado, desconhecimento da forma de controle e eficácia do tratamento além dos desfechos diante das complicações, do impacto emocional que podem ser observados. A proposta de intervenção pode ser de acesso a todos os pacientes de forma a prevenir o agravo do DM e enfrentamento da doença.


Keywords


Complicações do Diabetes, Diabetes Mellitus, Diabetes Mellitus Tipo 1, Diabetes Mellitus tipo 2, Nefropatias Diabéticas.

References


Soares FC et al. Prevalência de hipertensão arterial e diabetes mellitus em portadores de doença renal crônica em tratamento conservador do serviço ubaense de nefrologia. Rev Científica Fagoc Saúde.2017;21-26.

Bastos MG, Bregman R, Kirsztajn GM. Doença renal crônica: frequente e grave, mas também prevenível e tratável. Rev Assoc Med Bras. 2010;56(2):248-56.

Brasil. Ministério da Saúde. Diabetes Mellitus. Brasília-DF. Caderno de atenção básica, 2006.

Mascarenhas NB, Pereira A, Silva RSS, Silva MG. Sistematização da Assistência de Enfermagem ao portador de Diabetes Mellitus e Insuficiência Renal Crônica. Rev. Bras. Enferm. 2011;64(1):203-8.

Goldenberg P, Schenkman S, Franco LJ. Prevalência do diabetes mellitus: diferenças de gênero e igualdade entre os sexos. Rev. Bras. Epidemiol. 2003; 6(1):18-28.

Flor LS, Campos MR. Prevalência do diabetes mellitus e fatores associados na população adulta brasileira: evidências de um inquérito de base populacional. Rev. Bras. Epidemiol. 2017;20(1):16-29.

Vieira VAS, Azevedo C, Sampaio FC, Oliveira PP, Morais JT, Mata LRF. Cuidados de enfermagem para pessoas com diabetes mellitus e hipertensão arterial: mapeamento cruzado. Rev. Baiana enferm. 2017;31(4):e21498.

Sociedade brasileira de diabetes: Epidemiologia e prevenção do diabetes mellitus [internet]. São Paulo; 2015. [Acesso em: 02 dez. 2020]. Disponível em: https://www.diabetes.org.br/profissionais/images/pdf/diabetes-tipo-2/001-Diretrizes-SBD-Epidemiologia-pg1.pdf

Assunção SC, Fonseca AP, Silveira MF, Caldeira AP, Pinho L. Conhecimento e atitude dos pacientes com diabetes mellitus da atenção primária à saúde. Esc. Anna Nery. 2017;21(4):e20170208.

Thomé FS, Lopes AA, Lugon JR, Martins CT. Inquérito Brasileiro de diálise Crônica 2017. J. Bras. Nefrol. 2019;41(2):208-214.

National Diabetes Statistics Report: Estimates of Diabetes and Its Burden in the United States [internet]. São Paulo; 2020. [Acesso em: 08 abril 2020]. Disponível em: https://www.diabetes.org.br/profissionais/images/national-diabetes-statistics-report.pdf

Murussi M, Coester A, Gross JL, Silveiro SP. Nefropatia diabética no diabete melito tipo 2: fatores de risco e prevenção. Arq Bras Endocrinol Metab, 2003;47(3):207-219.

Hinkle JL, Cheever KH. Brunner & Suddarth - Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. 14 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2020. vol. I e II.

Diagnósticos de enfermagem da NANDA-I: definições e classificação 2018-2020 / [NANDA International]; 11. ed. – Porto Alegre: Artmed, 2018.

Bulechek GM, Butcher HK, Dochterman JM, Wagner CM. Prefácio. In: Bulechek GM, Butcher HK, Dochterman JM, Wagner CM. NIC - Classificação das intervenções de enfermagem. 6ª. ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2016. p. vii-iii.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-241

Refbacks

  • There are currently no refbacks.