Fatores que contribuem para adesão e desistência de um programa de atividades físicas para idosos / Factors contributing to adherence and abandonment of a physical activity program for elderly

Milena Fernandez Dias, Feng Yu Hua, Marisete Peralta Safons

Abstract


Objetivo: Investigar os fatores associados a adesão e desistência de um programa de atividade física para idosos, uma vez que superar a inércia e começar a exercitar-se não é tarefa fácil para essa parcela da população. Método: Trata-se de um estudo qualitativo, descritivo, realizado no Projeto de Extensão de Ação Contínua (PEAC) ofertado na Faculdade de Educação Física da Universidade de Brasília (UnB), coordenado pelos pesquisadores do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Atividade Física para Idosos (GEPAFI). O PEAC atende 120 idosos da comunidade e busca melhorar ou manter a saúde biopsicossocial dos participantes. As atividades ofertadas são musculação, circuito de equilíbrio, dança de salão e ioga. A amostra foi composta por 35 idosos (65,7% mulheres) com idade média e desvio padrão (± DP) de 72,76 ± 7,78 anos, aposentados (97,14%), com alta escolaridade e renda mensal acima de 6 salários/mínimos (80%). A coleta das informações foi realizada por meio de grupos focais e entrevistas semiestruturadas. Para a análise das informações foi utilizado o método de análise de conteúdo, com o auxílio do software IRAMUTEQ - versão 0,7/alpha 2.  Resultados: O conteúdo das transcrições gerou o primeiro corpus resultante das falas dos idosos ativos no PEAC e o segundo corpus resultante das falas dos idosos desistentes deste mesmo projeto. Posteriormente, esses dois corpus foram submetidos a classificações hierárquicas descendentes que deram origem a 10 classes de palavras, que foram distribuídas em um modelo ecológico que sugere níveis de influência e de interação envolvendo os fatores intrapessoais, socioculturais, organizacionais, ambientais e políticos. Das falas emergiram oito fatores que influenciaram na adesão a prática de atividade física (AF):  histórico da prática de AF; participação em pesquisas; recomendação médica; pertencimento; convivência; aposentadoria; férias, e qualidade técnica profissional. E, cinco fatores que influenciaram na desistência a prática de AF: estado de saúde; dificuldade de interação; horário das aulas; trânsito e poucos equipamentos. Conclusão: Adotar uma abordagem multinível permite analisar o fenômeno em questão em uma perspectiva que vai do microssistema ao macrossistema, ou seja, considerando o sujeito no contexto sociocultural ao qual está inserido, sofrendo as influências de fatores organizacionais e ambientais, o que pode auxiliar no desenvolvimento e implementação de projetos e programas de promoção de AF para idosos que favoreçam a adesão e minimizem a desistência.


Keywords


Adesão, Desistência, Exercício, Idoso.

References


AZEVEDO FILHO, E. R. et al. Percepção dos idosos quanto aos benefícios da prática da atividade física: um estudo nos Pontos de Encontro Comunitário do Distrito Federal. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 1, abr. 2018.

BAUMAN, A. E. et al. Correlates of physical activity: why are people physically active and others not? The Lancet, v. 380, n. 9838, p. 258-271, jul. 2012.

BOULTON, E. R.; HORNE, M.; TODD, C. Multiple influences on participating in physical activity in older age: Developing a social ecological approach. Health Expectations, v. 21, n. 1, p. 239-248, 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de vigilância em Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Vigitel Brasil 2016: Vigilância dos fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico, Brasília, 2016. Disponivel em: . Acesso em: 18 jan. 2017.

BRONFENBRENNER, U. A ecologia do desenvolvimento: experimentos naturais e planejados. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

BURTON, E. et al. Why do seniors leave resistance training programs? Clinical interventions in aging, v. 12, p. 585-592, mar. 2017.

CAMARGO, B. V.; JUSTO, A. M. IRAMUTEQ: um software gratuito para análise de dados textuais. Temas em psicologia, v. 21, n. 2, p. 513-518, 2013.

CARDOSO, A. S. et al. Fatores influentes na desistência de idosos em um programa de exercício físico. Movimento, v. 14, n. 1, 2008.

CENTRES FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION. How much physical activity do older adults need? Centres for Disease Control and prevention, 04 jun. 2015. Disponivel em: . Acesso em: 18 jan. 2018.

CHODZKO-ZAJKO, W. J. et al. American College Sports Medicine Position Stand. Exercise and physical activity for older adults. Med. Sci. Sports Exerc, v. 41, n. 7, p. 1510-1530, 2009.

EIRAS, S. B. et al. Fatores de adesão e manutenção da prática de atividade física por parte de idosos. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 31, n. 2, p. 75-89, 2010.

FRANCO, M. R. et al. Older people's perspectives on participation in physical activity: a systematic review and thematic synthesis of qualitative literature. BR. J. Sports Med, v. 19, p. 1268-1276, oct. 2015.

FREITAS, C. M. S. M. et al. Aspectos motivacionais que influenciam a adesão e manutenção de idosos a programas de exercícios físicos. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano, Florianópolis, v. 9, n. 1, p. 92-100, 2007.

FREITAS, V. et al. Influência do nível de atividade física e da mobilidade sobre o estresse emocional em idosos comunitários. Revista de psicología del deporte, Barcelona, v. 27, n. 4, p. 75-81, 2018.

GOMES, K. V.; ZAZÁ, D. C. Motivos de adesão a prática de atividade física em idosas. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, v. 14, n. 2, p. 132-138, 2009.

GUEDES, D. P.; GUEDES, J. E. R. P. Esforços físicos nos programas de educação física escolar. Revista Paulista de Educação Física, v. 15, n. 1, p. 33-44, 2017.

HALLAL, P. C. et al. Avaliação do programa de promoção da atividade física Academia da Cidade de Recife, Pernambuco, Brasil: percepções de usuários e não-usuários. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 26, n. 1, p. 70-78, jan. 2010.

HARTLEY, S. E.; YEOWELL, G. Older adults’ perceptions of adherence to community physical activity groups. Ageing & Society, v. 35, n. 8, p. 1635-1656, 2015.

HEALTH DIRECT AUSTRALIA. Health Direct Australia. Physical activity guidelines for older adults, 2015. Disponivel em: . Acesso em: 18 jan. 2018.

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Mudança demográfica no Brasil no início do século XXI: Subsídios para as projeções da população do Brasil e das Unidades da Federação, 2015. Disponivel em: . Acesso em: 10 fev 2018.

LUCAS, C. et al. Exercício físico e satisfação com a vida. PsychTech & Health Journal, v. 1, n. 2, p. 38-47, 2018.

MACIEL, M. G. Atividade física e funcionalidade do idoso. Motriz, v. 16, n. 4, p. 1024-1032, 2010.

MATSUDO, S. M.; MATSUDO, V. K. R.; BARROS NETO, T. L. Atividade física e envelhecimento: aspectos epidemiológicos. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 7, n. 1, p. 2-13, 2001.

MENDONÇA, I. B. et al. Extensão universitária em parceria com a sociedade. Caderno de Graduação-Ciências Humanas e Sociais-UNIT, v. 1, n. 2, p. 149-155, 2013.

MENEZES, G. R. S. et al. Impacto da atividade física na qualidade de vida de idosos: uma revisão integrativa/impact of physical activity on the quality of life of the elderly: an integrative review. Brazilian Journal of Health Review, v. 3, n. 2, p. 2490-2498, 2020.

MOSCHNY, A. et al. Barriers to physical activity in older adults in Germany: a cross-sectional study. International Journal of Behavioral Nutrition and Physical Activity, v. 8, n. 1, p. 121, 2011.

NASCIMENTO, M. C. et al. O desafio da adesão aos exercícios físicos em grupos de idosos em Palmitos/SC: Motivos para a prática e para a desistência. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, v. 15, n. 3, p. 140-144, 2012.

PEREIRA, J. R. P.; OKUMA, S. S. The profile of the initiators in a physical education program for elderly and the reasons for the initial adherence. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 23, n. 4, p. 319-334, 2009.

PICORELLI, A. M. et al. Adherence to exercise programs for older people is influenced by program characteristics and personal factors: a systematic review. Journal of physiotherapy, v. 60, n. 3, p. 151-156, 2014.

RIBEIRO, J. A. B. et al. Adesão de idosos a programas de atividade física: motivação e significância. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 34, n. 4, 2012.

RIGO, M. L. N. R.; TEIXEIRA, D. C. Efeitos da atividade física na percepção de bem-estar de idosas que residem sozinhas e acompanhadas. Journal of Health Sciences, v. 7, n. 1, 2015.

SALLIS, J. F. et al. An ecological approach to creating active living communities. Annu. Rev. Public Health, v. 27, p. 297-322, 2006.

SANT’ANNA, R. M. Mobilidade e segurança no trânsito da população idosa: um estudo descritivo sobre a percepção de pedestres idosos e de especialistas em engenharia de tráfego. 2006. 203 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Transportes) - Universidade Federal do Rio de JaneiroRio de Janeiro: UFRJ, 2006.

SANTOS, S. C.; KNIJNIK, J. D. Motivos de adesão à prática de atividade física na vida adulta intermediária. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 5, n. 1, 2009.

SAWCHUK, C. N. et al. Barriers and facilitators to walking and physical activity among American Indian elders. Prev Chronic Dis, v. 8, n. 3, p. A63, 2011.

SCHUTZER, K. A.; GRAVES, B. S. Barriers and motivations to exercise in older adults. Preventive medicine, v. 39, n. 5, p. 1056-1061, 2004.

TRIBESS, S. Prescrição de exercícios físicos para idosos. Saúde.com, v. 1, n. 2, 2016.

WEINBERG, R. S.; GOULD, D. Fundamentos da psicologia do esporte e do exercício. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 2016.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-235

Refbacks

  • There are currently no refbacks.