A utilização medicinal do THC na doença de Alzheimer/The medicinal use of THC in Alzheimer's disease

Eduarda Paula Markus Xavier, Luiz Henrique Lepesqueur Botelho Lobão, Pedro Henrique Zorzetti Camara, Andréia Lívia Gonzalez Napoli, Maria Clara Spadoni Pacheco, Henrique de Castro e Santos, Daniel Vasconcelos de Oliveira, Lenise Maria Spadoni Pacheco

Abstract


Objetivo: Demonstrar a utilização medicinal do tetrahidrocanabinol na doença de Alzheimer, com a finalidade de demonstrar as implicações do composto ativo da Cannabis Sativa para amenizar os efeitos de tal demência neurodegenerativa. Método: Foi realizada uma revisão da literatura com busca no PubMed, Medline e SciELO. Utilizaram-se os descritores “Medical Marijuana AND Alzheimer Disease”, pesquisados no DeCS/MeSH. Foram pesquisados artigos que estavam nos idiomas português e inglês, que foram publicados entre 2016 e 2021. Resultados: Existem maneiras de proporcionar alívio dos sintomas e melhor qualidade de vida aos enfermos da Doença de Alzheimer. No sentido do tratamento sintomático, estudos vêm demonstrando que os canabinoides podem combater características da doença, como o estresse oxidativo e a neuroinflamação, envolvidas na formação de placas amiloides e emaranhados neurofibrilares, responsáveis pelas manifestações do Alzheimer. Para o uso medicinal, tem se optado por um tratamento com proporções mais equilibradas de THC e CBD. Os canabinóides melhoram as disfunções comportamentais, cognitivas, agem visando vários processos de sinalização, como dor, processamento anormal de peptídeos beta amiloides (Ab) e da proteína TAU, neuroinflamação, excitotoxicidade, estresse oxidativo e disfunção mitocondrial, os quais desempenham um papel fundamental no tratamento da DA. Conclusão: A terapia feita com canabinóides pode ser segura, confiável, de baixo custo e com efeitos colaterais limitados, proporcionando um tratamento mais humanizado e menos invasivo ao paciente que sofre com a doença.


Keywords


Doença de Alzheimer, Tetra-Hidrocanabinol, Maconha Medicinal.

References


SCHELTENS, P. et al. Alzheimer’s disease. Lancet (Lond Engl) 388: 505–517. 2016.

LOPEZ, JA Soria; GONZALEZ, H. M.; LÉGER, G. Alzheimer disease. Handb Clin Neurol, v. 167, p. 231-255, 2019.

ALZHEIMER'S ASSOCIATION et al. 2016 Alzheimer's disease facts and figures. Alzheimer's & Dementia, v. 12, n. 4, p. 459-509, 2016.

CAPRIOTTI, Teri. Medical Marijuana. Home healthcare now, v. 34, n. 1, p. 10-15, 2016.

CRISTINO, Luigia; BISOGNO, Tiziana; DI MARZO, Vincenzo. Cannabinoids and the expanded endocannabinoid system in neurological disorders. Nature Reviews Neurology, v. 16, n. 1, p. 9-29, 2020.

VRY, Sarah Vignoto et al. Evidências científicas da associação de canabidiol e tetrahidrocanabinol na ansiedade, na depressão e na esquizofrenia. 2019

CARVALHO, Virgínia M. et al. QUANTIFICAÇÃO DE CANABINOIDES EM EXTRATOS MEDICINAIS DE Cannabis POR CROMATOGRAFIA LÍQUIDA DE ALTA EFICIÊNCIA. Química Nova, v. 43, n. 1, p. 90-97, 2020.

UDDIN, Md Sahab et al. Emerging Promise of Cannabinoids for the Management of Pain and Associated Neuropathological Alterations in Alzheimer’s Disease. Frontiers in Pharmacology, v. 11, 2020.

BOGGS, Douglas L. et al. Clinical and preclinical evidence for functional interactions of cannabidiol and Δ 9-tetrahydrocannabinol. Neuropsychopharmacology, v. 43, n. 1, p. 142-154, 2018.

COORAY, R.; GUPTA, V.; SUPHIOGLU, C. Current aspects of the endocannabinoid system and targeted THC and CBD phytocannabinoids as potential therapeutics for Parkinson’s and Alzheimer’s diseases: a review. Molecular Neurobiology, v. 57, n. 11, p. 4878-4890, 2020.

KIM, Seok Hee et al. A Review on Studies of Marijuana for Alzheimer’s Disease–Focusing on CBD, THC. Journal of pharmacopuncture, v. 22, n. 4, p. 225, 2019.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-212

Refbacks

  • There are currently no refbacks.