Atuação do enfermeiro na prevenção da infecção associada a Cateter Venoso Central (CVC)/ Nurse’s performance in the prevention of infection associated with Central Venous Catheter (CVC)

Jucimara Nunes dos Santos, Rosana Maria Faria Vador, Fabíola Vieira Cunha, Fatima Aparecida Ferreira Barbosa

Abstract


As infecções de cateter venoso central (CVC) devem ser tratadas com um grave e importante problema de saúde. Por muitas vezes pacientes encontram-se imuno deprimidos, com doenças graves, com patologias graves que carecem de antibioticoterapia e monitoramento invasivo, tornando-os assim cada vez mais suscetíveis às infecções. Este estudo teve como objetivo demonstrar a importância da educação continuada como um grande fator relevante no tocante à prevenção das infecções sanguíneas anexas ao cateter venoso central, delinear cuidados de enfermagem no manejo do cateter venoso central, além de confeccionar um protocolo que visa nortear a prática profissional quando prestar assistência ao paciente em uso de cateter venoso central, fomentando assim a prevenção das infecções da corrente sanguínea associada. Utilizou-se revisão integrativa da literatura, por meio de artigos nacionais e internacionais publicados nos últimos dez anos, nas bases de dados ScientificEletronic Library Online (SCIELO), Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), National Library of Medicine, Estados Unidos (MEDLINE) e Google Acadêmico. Foram utilizados 27 artigos, dentre esses foi evidenciado o manejo incorreto do CVC, onde 12 artigos apontam a higienização como fator predominante para a diminuição da infecção do sítio, 08 artigos apontaram o conhecimento teórico e prático do enfermeiro para prevenção de infecção na inserção e manutenção do CVC, 12 artigos enfatizaram sobre a educação permanente da equipe de enfermagem. Devido ao alto índice de contaminação que pode ocorrer antes, durante e depois da implantação do cateter venoso central (CVC), o profissional enfermeiro possui um importante papel nos cuidados com esse cateter, sendo o mesmo responsável por cuidados diretos com a manutenção e a avaliação diária a fim de minimizar os riscos do desenvolvimento de infecção. Podendo assim se acreditar que, além de sua competência técnica e legal, a assistência do profissional enfermeiro deve estar explicitamente fortalecida através de conceitos e práticas atualizados, reduzindo assim riscos relacionados ao dispositivo. Tais fatores contribuem também para o estabelecimento de normas e rotinas institucionais que se voltem para a segurança e bem-estar dos pacientes assistidos no tocante à este dispositivo. Considera-se então que existe a relevância em capacitar os profissionais, que direta ou indiretamente manipulam o CVC para que estes possuam a autonomia, além de garantir assistência segura e de qualidade, aconselhando-se a aplicabilidade do instrumento recomendado neste estudo.


Keywords


enfermeiro, cateter de permanência, infecção.

References


ALMEIDA, T. M. et al. Prevenção de infecções relacionadas ao cateter venoso central não implantado de curta permanência. Rev enferm UERJ, Rio de Janeiro, 2018; 26:e31771.

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Medidas de Prevenção de

Infecção Relacionada à Assistência à Saúde. Brasília; 2017.

BEZERRA J. M., & FONSECA. A. C. (2019). Unidade de terapia intensiva adulto: Percepção da equipe de enfermagem sobre o cuidado ao paciente grave. Revista Eletrônica Acervo Saúde, (31).

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Orientações para Prevenção de Infecção Primária de Corrente Sanguínea. Brasília: Anvisa; 2010.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Critérios diagnósticos de infecção relacionada à assistência à saúde. Brasília, 2013.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Medidas de prevenção de infecção relacionada à assistência à saúde. Brasília: Anvisa, 2017.

DALLÉ,J.et al. Infecções relacionadas ao cateter venoso central após a implementação de um conjunto de medidas preventivas em centro de terapia intensiva. Rev. HCPA, v.32, n.1, 2012.

DUMONT C; NESSELRODT D. Prevenção associada às infecções da corrente sanguínea. CLABSI Enfermagem. 2012; 42 (6): 41-6

ENCARNAÇÃO, R Câmara; MARQUES, P. Permeabilidade do cateter venoso central: uma revisão sistemática da literatura. Revista de Enfermagem Referência. III Série - n.° 9 - Mar. 2013.

FAJURI M, Paula; PINO A, Paola; CASTILLO M, Andrés. Uso de cateter venoso central de inserção periférica em pediatria. Rev. chil. pediatra. Santiago, v. 83, n. 4, p. 352-357, agosto 2012.

FARIA V, Renata; GOMES L, Luísa; BRANDÃO C, Adriana; SILVEIRA P Carla; SILVA R P, Cristiane; MONTEIRO S A, Luciana; SANTOS F, Leila; TAKESHITA M, Isabela Infecção de corrente sanguínea relacionada a cateter venoso central: avaliação dos fatores de riscos. Brazilian Journal of Health Review, Curitiba, v.4, n.3, p. 10143-10158 may. /jun. 2021

JARDIM, J. M. et al. Avaliação das práticas de prevenção e controle de infecção da corrente sanguínea em um hospital governamental. Rev. Esc. Enferm. USP, São Paulo, v. 47, n. 1, p. 38-45, fev. 2013.

JÚNIOR, Milton Alves das Neves et al. Infecções em cateteres venosos centrais de longa permanência: revisão da literatura. J VascBras 2010, Vol. 9, N° 1 4

LOPES, A.P.A.T.; OLIVEIRA, S.L.C.B.; SARAT, C.N.F. Infecções relacionadas ao cateter venoso central em unidades de terapia intensiva. Ensaios e Ciência Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde, v. 16, n. 1, p. 25-41, 2012.

MARTINHO, GH. Complicações infecciosas associadas ao uso de cateteres venosos centrais em pacientes submetidos a transplante de células-tronco hematopoiéticas [manuscrito]: incidência, fatores de risco e impacto em desfechos clínicos. Dissertação (mestrado): Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Medicina. Belo Horizonte: 2012.

MENDONÇA KM, NEVES HCC, BARBOSA DFS, SOUZA ACS, TIPPLE AFV, PRADO MA. Atuação da enfermagem na prevenção e controle de infecção de corrente sanguínea relacionada a cateter. Rev. Enferm UERJ. 2011;19(2):330-3.

NEVES JUNIOR MA, MELO RC, GOES Junior AMO, PROTTA TR, ALMEIDA CC, FERNANDES AR. Infecções em cateteres venosos centrais de longa permanência: revisão de literatura. J Vasc. Bras. 2010;9(1):46-50.

OGSTON-TUCK S. Terapia intravenosa: orientação sobre dispositivos, gestão e cuidado. Br J Community Nurs. 2012; 17 (10): 474.476-9.482-4.

OLIVEIRA, F.J.G. Avaliação das práticas de prevenção e controle de infecção relacionadas ao cateter venoso central: indicadores clínicos. 2013. 98f. (Dissertação) - Mestrado em Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018

OLIVEIRA JR NJ; CARDOSO KE. O papel do enfermeiro frente à auditoria hospitalar. Rev. Adm. Saúde. 2017;17(68):1-15.

PEDROLO, E. CURATIVO DE CLOREXIDINA PARA CATETER VENOSO CENTRAL: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Universidade do Paraná, p. 12-72, 2012.

PIEROTTO, AAS. Infecção de corrente sanguínea relacionada ao uso de cateteres venosos centrais em pacientes pediátricos de um hospital terciário. (Dissertação de Mestrado). Porto Alegre: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; 2015.

RODRIGUEZ, IC; LEMUS, MAB; CREHUET, MR; BRISO-MONTIANO,PM; LOPEZ, CR. Bioconectores: são realmente eficazes na redução de bacteremia associada a um cateter permanente hemodiálise? EnfermNefrol. 2013;16(4):235-40.

SANTOS, SFD; VIANA, RS; ALCOFORADO, CLGC; CAMPOS, CC. Ações de enfermagem na prevenção de infecções relacionadas ao cateter venoso central: uma revisão integrativa. Rev. SOBECC, São Paulo. out./dez. 2014; 19(4): 219-225

SHINTANI, Corinny; RAU, Carina. Cateter Venoso Central (CVC): Análise de risco na perspectiva sanitária e controle de infecção. Universidade Federal do Paraná (UFPR). Paraná, 2012.

TOMAZ VS; NETO FHC; ALMEIDA PC; MAIA RCF; MONTEIRO WMS, CHAVES EMC. Medidas de prevenção e controle de infecções neonatais: opinião da equipe de enfermagem. Rev. Rene. 2011; 12(2):271-8.

VIEIRA, Geandro Figueiredo; BEZERRA, Rosana Mendes. PREVENÇÃO DE INFECÇÃO RELACIONADA AO CATETER

VENOSO CENTRAL EM PACIENTES DE UNIDADE DE

TERAPIA INTENSIVA. Associação Educativa Evangélica – Uni EVANGÉLICA. Anápolis, 2019.

VILELA, R.; DANTAS, S.R.P.E.; TRABASSO, P. Equipe interdisciplinar reduz infecção sanguínea relacionada ao cateter venoso central em Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica. Rev. Paul. Pediatra. v.28, n.4, p. 292-98, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-209

Refbacks

  • There are currently no refbacks.