Análise dos índices de mortalidade por HIV/AIDS no estado de Pernambuco, 2010 A 2019/ Analysis of HIV / AIDS mortality indices in the state of Pernambuco, 2010 to 2019

Aldair de Lima Silva, Fabiana Silva Cruz Cardoso, Gerlanie Rosilda da silva, Ilma da Silva Campos, Josefa Ioneide França de Souza, Manoel André Raimundo, Rosany Cinthia de Moura Castro, Marli Christiane Nogueira de Amorim

Abstract


A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida é considerada um problema de saúde pública no Brasil e no mundo, é uma doença de etiologia viral tendo como agente o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), é uma doença crônica que acomete o sistema imunológico do indivíduo, mais precisamente as células TCD4 o que deixa a pessoa mais susceptível a doenças consideradas como oportunistas, podendo evoluir ao óbito. Objetivou-se com essa pesquisa analisar a incidência da mortalidade causada pelo HIV/Aids no estado de Pernambuco do ano de 2010 a 2019 e o perfil sociodemográfico da população acometida, tendo como variáveis, o sexo, estado civil, faixa etária e escolaridade. Trata-se de um estudo transversal de caráter retrospectivo, baseado em dados secundários disponibilizados pelo Sistema de Informação de Mortalidade. Pernambuco registrou um número de óbitos significativo, tendo uma maior incidência no sexo masculino, os solteiros e os jovens considerados como população economicamente ativa foram os que registraram o maior número de óbitos seguidos dos indivíduos que apresentaram um menor grau de escolaridade. É importante intensificar as políticas públicas no que desrespeito a conscientização de como se dá a transmissão do HIV/Aids, sua prevenção e aumentar a demanda de testagem com o intuito de ter um diagnóstico precoce e consequentemente o tratamento para dessa forma se obter uma redução do número de óbitos.


Keywords


Síndrome de Imunodeficiência Adquirida, Mortalidade, Epidemiologia.

References


ALVES, D. N.; et al. Use of the Coding Causes of Death in HIV in the classification of deaths in Northeastern Brazil. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 51, n. 88, 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis – DCCI. Boletim Epidemiológico Especial HIV/Aids | 2020. Brasília-DF: MS/CGDI, 68 p. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2020/boletim-epidemiologico-hivaids-2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria MS/GM nº 1.271, de 06 de junho de 2014. Define a Lista Nacional de Notificação Compulsória de doenças, agravos e eventos de saúde pública nos serviços de saúde públicos e privados em todo o território nacional, nos termos do anexo, e dá outras providências [Internet]. Diário Oficial da União, Brasília (DF), [citado 2021 mar 28]; Seção I:67. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2014/prt1271_06_06_2014.html.

CABRERA, S. et al . Mortalidad por sida en Uruguay: perfil de las personas fallecidas en 2014. Rev. Méd. Urug., Montevideo , v. 35, n. 3, p. 31-57, sept. 2019.

CASTEJON, M. J.; et al . Avaliação do desempenho de testes para diagnóstico da infecção pelo HIV. J. Bras. Patol. Med. Lab. Rio de Janeiro, v. 56, e1842020, 2020.

CASTRO, S. S. et al. Tendência temporal dos casos de HIV/aids no estado de Minas Gerais, 2007 a 2016. Epidemiol. Serv. Saúde. Brasília, v. 29, n. 1, e2018387, mar. 2020.

COELHO, L. E.; et al. O tratamento da coinfecção HIV-TB. The Brazilian Journal of Infectious Diseases, v. 2, p. 134-148, 2016.

COSTA, V. S.; et al. AIDS in the meeting of the Tapajós and Amazon rivers: deaths in the period 2010-2018 in Santarém, Pará, Brazil. ABCS health sci,v. 46, n. [S.I.], fev. 2021.

COUTINHO, M. F. C.; et al. Tratamento antirretroviral: adesão e a influência da depressão em usuários com HIV/Aids atendidos na atenção primária. Saúde debate, v. 42, n. 116, 2018.

FURTADO, F. M. S. F.; et al. Percepção de docentes de enfermagem sobre o cuidado: uma construção heideggeriana. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo, v. 50, n. spe, p. 74-80, jun. 2016.

GONÇALES, L. F. R.; et al. Caracterização epidemiológica e clínica do HIV/Aids: associações com a mortalidade. REAS/EJCH , v. 13, n. 1, p. e5293, jan. 2021.

HENGSHENG G.; et al. Análise do status de sobrevivência de HIV / AIDS e fatores de influência em Liuzhou de 2008 a 2018 [J]. Chinese Journal of Epidemiology, n. 41, v. 12, p. 2098-2103, 2020. DOI: 10.3760 / cma.j.cn112338-20200228-00211.

LIMA, R. L. F. C.; et al. Estimativas da incidência e mortalidade por vírus da imunodeficiência humana e sua relação com os indicadores sociais nos estados do Brasil. R bras ci Saúde, v. 21, n. 2, p. 139-144, 2017.

LINS, M. E. V. S.; et al. Perfil epidemiológico de óbitos por HIV/AIDS na região nordeste do Brasil utilizando dados do sistema de informação de saúde do DATASUS. Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, v. 2, n. 4, p. 2965-2973, jul./aug. 2019.

MARANHÃO, T. A.; et al. Padrão espaço-temporal da mortalidade por Aids. Rev Enferm UFPE on line, v. 14, e244407, 2020. DOI: https://doi.org/10.5205/1981-8963.2020.244407.

MARQUES, S. C.; et al. Avaliação da qualidade de vida de pessoas vivendo com HIV/AIDS: revisão integrativa. Revista Enfermagem UERJ, [S.l.], v. 28, p. e39144, ago. 2020.

RIBEIRO, L. C. S.; et al . Diagnóstico tardio de infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana e fatores associados. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 28, e3342, 2020.

RITTO, M. S. A.; GIMENEZ, V. G. Concepções e adesão do portador de hiv frente ao tratamento medicamentoso. Unesc em Revista, v. 3, n. 2, p. 36-44, jun. 2020.

SILVA. S. R. A.; et al. Pessoas com 50 anos e mais com hiv/aids no Brasil: quem são? Estud. interdiscipl. envelhec., Porto Alegre, v. 23, n. 2, p. 149-165, 2018.

SOUZA JÚNIOR E. V.; et al. Aspectos epidemiológicos da morbimortalidade pelo vírus da imunodeficiência humana no nordeste brasileiro. Rev Fund Care Online, v. 13, n. [S.I.], p. 144-149, jan/dez 2021. DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v13.8025.

TRINDADE, F. F.; et al. Perfil epidemiológico e análise de tendência do HIV/Aids. Journal Health NPEPS, v. 4, n. 1, p. 153-165, jan-jun. 2019.

VIEIRA, A. S.; et al. Profissionais da SAE e as estratégias utilizadas no manejo ao paciente HIV/AIDS. Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, v. 3, n. 3, p.5459-5468 may./jun. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-203

Refbacks

  • There are currently no refbacks.