Perfil Epidemiológico, Clínico e Assistência de Enfermagem ao Idoso internado em Unidade de Terapia Intensiva / Epidemiological Profile, Clinical and Nursing Care for the Elderly in Intensive Care Unit

Flávia Del Busso Peres, Camila Waters, Marcele Pescuma Capeletti Padula

Abstract


Objetivo: Identificar e descrever, através de material bibliográfico, o perfil epidemiológico, clínico e a assistência de enfermagem ao idoso internado em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Material e método: Pesquisa bibliográfica realizada na Biblioteca Virtual em Saúde, utilizando o descritor específico “Unidades de Terapia Intensiva”, que foi cruzando com os descritores gerais: “Idoso”; “Idoso de 80 anos ou mais”; “Idoso Fragilizado”; “Serviços de Saúde para Idosos”; e “Saúde do Idoso”. Incluídos artigos científicos escritos nos idiomas português e espanhol, utilizando o limite de “Idosos” e publicados entre janeiro de 2013 e dezembro de 2018. Excluídos artigos de revisão bibliográfica e os que não responderam ao objetivo da pesquisa. Resultados: Foram selecionados para esta pesquisa um total de onze artigos, sendo sete desenvolvidos no Brasil, dois em Cuba (cidade de Havana), outro no Chile (cidade de Santiago) e outro na Colômbia (cidade de Bogotá). Dos trabalhos desenvolvidos no Brasil, dois foram no Estado de São Paulo, dois no Rio de Janeiro, dois na Paraíba e um no Distrito Federal. Com relação ao ano de publicação, predominaram artigos publicados no ano de 2014 (quatro), seguido de três artigos publicados no ano de 2013, dois artigos no ano de 2015, um artigo em 2016 e outro em 2017. Não foram encontrados artigos publicados no ano de 2018, que respondessem ao objetivo desse estudo. A metodologia utilizada para o desenvolvimento dos trabalhos foi quantitativa, utilizada em seis artigos, seguida de qualitativa, desenvolvida em quatro artigos e um artigo desenvolveu a metodologia mista, utilizando dados quanti e qualitativos. Em relação aos dados epidemiológicos do idoso internado em UTI, predominou o sexo masculino em cinco artigos, o sexo feminino em um artigo e, em três artigos, ambos os sexos. Essa informação relacionada ao sexo, não constava em dois artigos. A faixa etária mostrada em todos os artigos, foram de idosos entre 60 a 80 anos. Com relação à escolaridade, apenas quatro artigos trouxeram essa informação, sendo que predominaram idosos analfabetos em dois artigos e idosos com ensino fundamental foi evidenciado em mais dois artigos. Com relação ao motivo de internação do idoso na UTI, predominaram as doenças do sistema cardiovascular, citada em oito artigos, seguido das doenças do sistema respiratório e outros acontecimentos ou agravos, citados em sete artigos cada, seguido das doenças infectocontagiosas, citadas em seis artigos. Outros sistemas também foram citados como motivos de internação, mas com uma menor frequência, a saber: sistema neurológico, digestório, músculo esquelético e renal. Com relação à Assistência de Enfermagem prestada ao idoso na UTI, apenas dois artigos trouxeram essa informação. Em um deles, foi citado que se houvesse uma maior quantidade de profissionais de enfermagem à beira leito, poderia atuar na prevenção do delirium no idoso. Outro artigo mostrou a importância da realização do Diagnóstico de Enfermagem e a realização de procedimentos simples, como a monitorização dos sinais vitais e nutricional e a realização do balanço hídrico. Conclusão: O estudo permitiu constatar dados epidemiológicos e clínicos importantes para aprimorar a assistência de enfermagem aos idosos internados em Unidades de Terapia Intensiva. Foi observado um predomínio de idosos na faixa etária de 60 a 80 anos, do sexo masculino e com baixa escolaridade. Quanto aos dados clínicos, as patologias que mais levam os idosos às internações, são as do sistema cardiovascular, seguida do sistema respiratório e outros agravos e acontecimentos. Com relação à assistência de enfermagem, foram exemplificados cuidados em apenas dois artigos pesquisados, evidenciando procedimentos de enfermagem e a importância de estar 24 horas à beira leito.


References


Brito AMM. Conselho Regional de Psicologia. Autocuidado na velhice: componente essencial para a saúde da pessoa idosa. [online]. Mato Grosso do Sul; 2014. [citado 30 abril 2021]. Disponível em: http://www.crpms.org.br/noticia/autocuidado-na-velhice-componente-essencial-para-a-saade-da-pessoa-idosa/97#.W2JvTNVKjIV.

Nascimento e Silva IR, Araújo NM, Fernandes ML, Laurentino AMA, Dantas DV. Complicações em idosos internados em unidade de terapia intensiva no brasil: revisão sistemática. Anais - Congresso Internacional de Envelhecimento Humano. [online]. Rio Grande do Norte; 2017. [citado 30 abril 2021]. Disponível em: http://www.editorarealize.com.br/editora/anais/cieh/2017/TRABALHO_EV075_MD4_SA4_ID2624_17102017124310.pdf.

Organização Mundial da Saúde (OMS). Relatório Mundial de Envelhecimento e Saúde. Organização Mundial da Saúde. [online]. Suiça; 2015. [citado 30 abril 2021]. Disponível em: https://sbgg.org.br//wp-content/uploads/2015/10/OMS-ENVELHECIMENTO-2015-port.pdf.

Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). Envelhecimento no Século XXI: Celebração e Desafio. [online]. Nova York e Londres; 2012. [citado 30 abril 2021]. Disponível em: https://www.unfpa.org/sites/default/files/pub-pdf/Portuguese-Exec-Summary_0.pdf.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mudança Demográfica no Brasil no Início do Século XXI. [online]. Brasil. [citado 30 abril 2021]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/sociais/populacao/9197-mudanca-demografica-no-brasil-no-inicio-do-seculo-xxi.html?=&t=o-que-e.

Moraes EN. Fisiologia do Envelhecimento Aplicada à Prática Clínica. In: Moraes EN. Princípios Básicos de Geriatria e Gerontologia. Belo Horizonte: Coopmed; 2008. p. 37-60.

Chaimowicz F, Barcelos EM, Madureira MDS, Ribeiro MTF. Núcleo de Educação em Saúde Coletiva. Saúde do Idoso. 2ª ed. [online]. Belo Horizonte: Nescon UFMG; 2013. p. 55-88. [citado 30 abril 2021]. Disponível em: https://sbgg.org.br//wp-content/uploads/2014/10/saude-do-idoso-2edicao-revisada.pdf.

Cunha BSS, Nascimento AAS, Sá SPC. Perfil clínico e sociodemográfico de internação de idosos na unidade de emergência de um hospital geral. Estud. Interdiscipl. Envelhec. [periódico online] 2014. [citado 30 abril 2021]; 19(1): 189-200. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/RevEnvelhecer/article/viewFile/20963/31009.

Bonfada D, Santos MM, Lima KC, Atlés AG. Análise de sobrevida de idosos internados em Unidades de Terapia Intensiva. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. [periódico online] 2017; [citado 30 abril 2021]; 20(2): 198-206. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgg/v20n2/pt_1809-9823-rbgg-20-02-00197.pdf.

Loyola Filho AI, Matos DL, Giatti L, Alfradique ME, Peixoto SV, Lima-Costa MF. Causas de internações hospitalares entre idosos brasileiros no âmbito do Sistema Único de Saúde. Epidemiol. Serv. Saude. [periódico online] 2004; [citado 30 abril 2021]; 13(4): 229-38. Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/pdf/ess/v13n4/v13n4a05.pdf.

Pedreira LC, Brandão AS, Reis AM. Evento adverso no idoso em Unidade de Terapia Intensiva. Rev Bras Enferm. [periódico online] 2013; [citado 30 abril 2021]; 66(3): 429-36. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/reben/v66n3/a19v66n3.pdf.

Barros MAA. Delirium em Idosos Criticamente Enfermos: Um Estudo Utilizando a Ferramenta CAM-ICU. Dissertação (Mestrado). João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2014; [citado 30 abril 2021]. Disponível em: https://repositorio.ufpb.br/jspui/bitstream/tede/5153/1/arquivototal.pdf.

Veiga EP, Gomes L, Melo GF. Fatores estressores em Unidade de Terapia Intensiva: percepção de pacientes idosos e adultos no pós-operatório de cirurgia cardíaca. Rev. Kairós Gerontologia. [periódico online] 2013; [citado 30 abril 2021]; 16(3): 65-77. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/18524/13713.

Pivatto Júnior F, Teixeira Filho GF, Sant'anna JRM, Py PM, Prates PR, Nesralla IA, et al. Idade avançada e incidência de fibrilação atrial em pós-operatório de troca valvar aórtica. Rev Bras Cir Cardiovasc. [periódico online] 2014; [citado 30 abril 2021]; 29(1): 45-50. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbccv/v29n1/0102-7638-rbccv-29-01-0045.pdf.

Oliveira DST. Adaptação Fisiológica de Idosos com Sepse: Diagnósticos e Intervenções de Enfermagem. Dissertação (Mestrado). João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2013. [citado 30 abril 2021]. Disponível em: https://repositorio.ufpb.br/jspui/bitstream/tede/5113/1/ArquivoTotalDanielleSamara.pdf.

Barros MAA, Figueirêdo DSTO, Fernandes MGM, Ramalho Neto JM, Macêdo-Costa KNF. Delirium em idosos em unidades de terapia intensiva: revisão integrativa da literatura. Rev. Pesqui. (Univ. Fed. Estado Rio J.). [periódico online] 2015; [citado 30 abril 2021]; 7(3): 2738-48. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/3347/pdf_1614.

Dias MAF. Idosos em Unidades de Terapia Intensiva na perspectiva de médicos em hospital brasileiro. São Paulo. Tese (Doutorado). São Paulo: Universidade de São Paulo; 2014. [citado 30 abril 2021]. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6135/tde-14052014-160512/publico/MariaAngelicaRevisada.pdf.

Pedrosa IL, Freire DMC, Schneider RH. Construção de um instrumento de avaliação prognóstica para idosos em unidade de terapia intensiva. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. [periódico online] 2017; [citado 30 abril 2021]; 20(3): 319-29. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbgg/v20n3/pt_1809-9823-rbgg-20-03-00319.pdf.

Prieto RG, Navas AM, Mendivelso FO. Enfermedad diarreica aguda en pacientes con nutrición enteral en Unidad de Cuidados Intensivos: serie de casos. Rev Col Gastroenterol. [periódico online] 2016; [citado 30 abril 2021]; 31(3): 235-41. Disponível em: http://www.scielo.org.co/pdf/rcg/v31n3/v31n3a07.pdf.

Gómez AG, Capdesuñer OL, Llano YM, Blanco OLS, Machado JLC. Morbi - mortalidad del paciente adulto mayor en una sala de cuidados intensivos. Revista Cubana de Medicina Militar. [periódico online] 2015; [citado 30 abril 2021]; 44(4): 389-97. Disponível em: http://scielo.sld.cu/pdf/mil/v44n4/mil03415.pdf.

Suarez LC, Valdés MAS, Lazo RO. Factores de riesgo y mortalidad por neumonía intrahospitalaria en la Unidad de Terapia Intensiva de Ictus. Medwave. [periódico online] 2013; [citado 30 abril 2021]; 13(2):e5637. Disponível em: http://www.medwave.cl/link.cgi/Medwave/Estudios/Investigacion/5637.

Pomar CCB, Santiesteban RR, Fuentes IAP, Blanco JCG. Caracterización de ancianos hospitalizados en una Unidad de Cuidados Intensivos. MEDISAN. [periódico online] 2014; [citado 30 abril 2021]; 18(4): 537-543. Disponível em: http://scielo.sld.cu/pdf/san/v18n4/san11414.pdf.

Azevedo AP, Nobre GPT, Dantas TA, Silva MLF, Muniz JA, Assis RP, Medeiros MIF. Fatores que interferem no desempenho da utilização de leitos em unidade de terapia intensiva (UTI). Braz. J. Hea. Rev. [periódico online] 2020; [citado 18 maio 2021]; 3(4): 7421-38. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/viewFile/12698/10656.

Sales DO, Waters C. O uso da Escala de Braden para prevenção de lesão por pressão em pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva. Braz. J. Hea. Rev. [periódico online] 2019; [citado 18 maio 2021]; 2(6): 4900-25. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/4300/5555.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-201

Refbacks

  • There are currently no refbacks.