Tratamento oncológico e o impacto na vida de idosos / Câncer treatment and the impact on the life of the elderly

Danilo Munerato Barbosa, Lie Gabrielle Ogava, Maria Elisa Gonzalez Manso

Abstract


Introdução: São conhecidas diversas formas de tratamento e prevenção para o câncer, no entanto alguns desses tratamentos podem ser debilitantes principalmente para pessoas idosas. Metodologia: A pesquisa qualitativa mediante revisão do tipo integrativa foi realizada por meio da seleção de trabalhos publicados entre os anos de 2015-2020 nas bases de dados da Scientific Electronic Library Online e da Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde. Objetivo: O objetivo do estudo é realizar uma síntese dos principais impasses entre o tratamento oncológico e a autonomia da pessoa idosa, ressaltando seus impactos. Resultados: Observou-se que cada tratamento possui suas peculiaridades, porém a quimioterapia foi o tratamento mais abordado e referenciado durante a pesquisa, assim como o câncer de mama e próstata. Conclusão: O tratamento através da quimioterapia antineoplásica, se mostrou responsável por muitos dos efeitos colaterais relatados entre o grupo escolhido, entre eles: a queda de cabelo, prisão de ventre ou diarreia, feridas na boca, enjoo, vomito, hiperpigmentação, leucopenia, trombocitopenia, perda de apetite e diversos outros.


Keywords


Neoplasia. Câncer. Oncologia. Idosos. Pessoa de Idade

References


BRASIL. Ministério da Saúde. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Cadernos de Atenção Básica - n.º 19. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

CALCINOTTO, Arianna et al. Senescência celular: envelhecimento, câncer e lesões. Physiol Rev, União Europeia, v. 99, n. 2, p. 1047-1078, jan. 2019. Disponível em < https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30648461/ >. Acesso em: 12 abril. 2021.

COSTA, João Evangelista da et al. Percepção e impacto da dor na vida dos idosos com doença oncológica. Rev. Rene. Ceará, 2015, v.17, n. 1, 217-224, mar-abr. 2016. Disponível em: < http://www.periodicos.ufc.br/rene/article/view/3003/2318 >. Acesso em: 14 dez. 2020.

FERREIRA, Maria Luiza Ludermir et al. Qualidade de vida relacionada à saúde de idosos em tratamento quimioterápico. Rev. bras. geriatr. gerontol., Rio de Janeiro, v. 18, n. 1, p. 165-177, mar. 2015. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-98232015000100165&lng=en&nrm=iso >. Acesso em: 14 dez. 2020.

FRANCISCO, Priscila Maria Stolses Bergamo et al. Prevalência de diagnóstico e tipos de câncer em idosos: dados da Pesquisa Nacional de Saúde 2013. Rev. bras. geriatr. gerontol., Rio de Janeiro, v. 23, n. 2, 2020. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-98232020000200205&lng=en&nrm=iso >. Acesso em: 14 dez. 2020.

IBGE. Projeção da população do Brasil e das Unidades da Federação – Evolução dos grupos etários 2010-2060. Brasília, 2018. Disponível em: < https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/index.html?utm_source=portal&utm_medium=popclock&utm_campaign=novo_popclock >. Acesso em: 17 dez. 2020.

INCA. Quimioterapia. Brasília, 2018. Disponível em: < https://www.inca.gov.br/tratamento/quimioterapia >. Acesso em: 27 fev. 2021.

INCA. Radioterapia. Brasília, 2019. Disponível em: < https://www.inca.gov.br/tratamento/radioterapia >. Acesso em: 28 fev. 2021.

MALTA, Deborah Carvalho et al. As doenças e agravos não transmissíveis, o desafio contemporâneo na Saúde Pública. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 23, n. 5, p. 1350, maio 2018. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232018000501350&lng=pt&nrm=iso >. Acesso em: 14 mar. 2021.

MOHER, D; LIBERATI, A; TETZLAFF, J; ALTMAN, DG. The PRISMA Group (2009). Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses: The PRISMA Statement. PLoS Med 6(7): e1000097.Doi:10.1371/journal.pmed1000097. Acesso em: 30 abril. 2021.

ONU-OMS. OMS: em 2050 população global acima dos 60 anos deve passar dos 2 bilhões. [s. l.], 2014. Disponível em: < https://news.un.org/pt/story/2014/11/1491741-oms-em-2050-populacao-global-acima-dos-60-anos-deve-passar-dos-2-bilhoes > Acesso em: 22 dez. 2020.

ONU-OMS. OMS quer que mundo encontre estratégias para envelhecimento saudável. [s. l.], 2014. Disponível em: < https://news.un.org/pt/story/2014/11/1491691-oms-quer-que-mundo-encontre-estrategias-para-envelhecimento-saudavel > Acesso em: 20 dez. 2020.

SOUZA JANUARIO, Ionara de et al. Repercussão do diagnóstico de câncer em idosos no seio familiar. Rev. Cubana Enfermer., Ciudad de la Habana, v. 34, n. 1, marzo. 2018. Disponível em: < http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0864-03192018000100007&lng=es&nrm=iso >. Acesso em: 12 dez. 2020.

SANTOS, Carolina Araújo dos et al. Depressão, déficit cognitivo e fatores associados à desnutrição em idosos com câncer. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 20, n. 3, p. 751-760, mar. 2015. Disponível em < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232015000300751&lng=pt&nrm=iso >. Acesso em: 15 dez. 2020.

SBGG. População idosa corresponde a 60% dos brasileiros com câncer. Rio de Janeiro, 2020. Disponível em: < https://sbgg.org.br/populacao-idosa-corresponde-a-60-dos-brasileiros-com-cancer/ >. Acesso em: 18 dez. 2020.

SBGG. SBGG divulga recomendações sobre escolhas sensatas em saúde em parceria com Choosing Wisely Brasil. Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: < https://sbgg.org.br/cbgg-2018-sbgg-divulga-recomendacoes-sobre-escolhas-sensatas-em-saude-em-parceria-com-choosing-wisely-brasil/ >. Acesso em: 01 abril. 2021.

SOBREDIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE MAMA: RISCO OU BENEFÍCIO PARA IDOSAS?. São Paulo: Rev. Longeviver, 2020-. ISSN 2596-027X. Acesso em: 02 abril. 2021.

UNASUS. Casos de depressão entre idosos variam 4,7% a 36,8% no Brasil. [s. l.], 2013. Disponível em: < https://www.unasus.ufma.br/?p=2463 >. Acesso em: 17 dez. 2020.

XIMENES, Coeli Regina Carneiro. Qualidade de vida relacionada à saúde em idosos com câncer. 2017. Tese (Doutorado para obtenção do título de Doutor em Oncologia) – Programa de Pós-graduação em Oncologia - Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: < https://docs.bvsalud.org/biblioref/coleciona-sus/2017/36451/36451-1624.pdf >. Acesso em: 14 dez. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-190

Refbacks

  • There are currently no refbacks.