Os reflexos da territorialização na longitudinalidade do processo saúde-doença / The reflexes of territorialization in the longitudinality of the health-disease process

Julia Stahelin, Lívia de Aragon Arias, Fernanda Koehler dos Santos, Felipe Arão Nunes, Raiane Suzana Gaiki, Inajara Carla Oliveira, Clarice Aparecida Munaro, Leonardo Augusto Esteves Lopes de Oliveira

Abstract


Desbravar e entender a estrutura e a dinâmica espacial da sociedade é o ponto de partida para a caracterização de situações de saúde. Além disso, esclarecer esse cenário permite planejar ações de controle de saúde e atribuir recursos que beneficiem a estrutura social. A compreensão do espaço propicia o entendimento máximo e a resolução do contexto no qual um evento ocorre. A importância e eficiência da aplicabilidade desses princípios simultaneamente são evidenciadas no atendimento diário da UBS Jardim Esperança, em Itajaí – SC. Desenvolvimento: Diante desse cenário, vimos a aplicabilidade da relação territorialização e longitudinalidade em uma de nossas vivências diárias na UBS, exemplificado pela nossa experiência com o paciente V.B. e sua esposa D.B. O primeiro, hipertenso e diabético compensado, pelo entendimento da importância do tratamento. Já ela, também hipertensa e diabética, todavia descompensada, por negligenciar a medicação. Após visitas domiciliares frequentes e o estabelecimento de um vínculo baseado na longitudinalidade, D.B. acabou entendendo a importância do tratamento, aceitando-o. Considerações Finais: Este caso foi a prova que o trabalho da equipe no atendimento tem-se mostrado eficiente no que se diz respeito ao conhecimento espacial da sociedade, bem como no destaque dado no processo de geração de vínculo com essas pessoas. A análise dessa evolução em relação à eficiência do atendimento tem como objetivo aprimorar ainda mais o mesmo, aproximando realidade e eficiência.


Keywords


Territorialização, Longitudinalidade, Adesão.

References


BARCELLOS, Christovam de Castro et al. Organização espacial, saúde e qualidade de vida: análise espacial e uso de indicadores na avaliação de situações de saúde. Inf. Epidemiol. Sus, Brasília, v. 11, n. 3, p. 129-138, set. 2002. Disponível em . acessos em 16 maio 2021. http://dx.doi.org/10.5123/S0104-16732002000300003.

DA SILVA, Áchelles Monise Batista; ROLIM, Héryka Wanessa do Nascimento; PEREIRA, Priscilla Letícia Sales; SOUZA, Giovanna Araújo; DE MEDEIROS, Paula Kaliana Fernandes; SIQUEIRA, Camilla Borja. Territorialização em saúde na atenção primária: relato de experiência de acadêmicos em medicina. Braz. J. Hea. Rev, Curitiba, v.3, n.4, p. 8793-8805 jul./aug. 2020.

MINISTE?RIO DA SAU?DE. Atenção Primária e Promoção da Saúde. Brasília: CONASS, 2007.

OLIVEIRA, Maria Amélia de Campos; PEREIRA, Iara Cristina. Atributos essenciais da atenção Primária e a estratégia Saúde da família. Revista Brasileira de Enfermagem [Internet]. 2013;66():158-164. Recuperado de: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=267028669020




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-184

Refbacks

  • There are currently no refbacks.