Infecção de corrente sanguínea relacionada ao manuseio de cateter venoso central em pacientes internados na unidade de terapia intensiva: revisão interativa / Blood current infection related to handling of central venous catheter in patients in the intensive care unit: integrative review

Janaina Maria da Silva Vieira Pacheco, Beatriz Fernandes Dias

Abstract


Introdução:O uso dos cateteres venosos centrais nas unidades de terapia intensiva aumentam os riscos de infecção de corrente sanguínea relacionada ao uso esses cateteres, ocasionando a longa permanência do paciente no ambiente hospitalar e em alguns casos levá-los ao óbito.A enfermagem contribui diretamente nas medidas de barreira e preventivas que visam reduzir o índice dessas infecções.Objetivo: Evidenciar e discutir o manuseio e o cuidado do cateter venoso central.Método: Foi realizada uma revisão integrativa utilizando as seguintes bases de dados: LILACS(Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde), Banco de Dados em Enfermagem da Bibliografia Brasileira (BDENF) e MEDLINE (Medical Literature analysis and Retrieval Sistem on-line ) via PUBMED.Pergunta de pesquisaque orientou a busca: como o enfermeiro pode atuar para reduzir o índice de infecção por cateter venoso central em uma Unidade de Terapia Intensiva? A estratégia PICO foi: P – Paciente ou população: Paciente hospitalizado na Unidade de Terapia Intensiva; I - Interveção: atuação do enfermeiro; C - Controle se houver : não se aplica; O - Outcome: redução das infecções por cateter venoso central. Resultado: O estudo em questão deleita um discussão a respeito do conhecimento científico dos profissionais de saúde no manuseio do cateter venoso central para a prevenção das infecções de corrente sanguínea além de primar pela sua redução.Conclusão: Conclui-se que promovendo uma assistência segura na adesão das boas práticas da higenização das mãos, cuidado ao manusear com técnica asséptica sem quebra de barreira no momento da inserção, podemos reduzir os casos de infecção por corrente sanguínea nos pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva.


Keywords


Enfermagem, Infecção de Corrente Sanguínea e Unidade de Terapia Intensiva.

References


Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Segurança do paciente e qualidade em serviços de saúde: medidas de prevenção de infecção relacionada à assistência à saúde. Brasília (DF): ANVISA; 2017 Disponível http://biblioteca.cofen.gov.br/medidas-de-prevencao-de-infeccao-relacionada-a-assistencia-a-saude/ . Acesso em 29 de outubro de 2019.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária(ANVISA). Medidas de prevenção de infecção relacionada a assistência á saúde.Anvisa, 2017 https://int.search.tb.ask.com/search/GGmain.jhtml?searchfor=Ag%C3%AAncia+Nacional+de+Vigil%C3%A2ncia+Sanit%C3%A1ria(ANVISA).+Medidas+de+preven%C3%A7%C3%A3o+de+infec%C3%A7%C3%A3o+relacionada+a+assist%C3%AAncia+%C3%A1+sa%C3%BAde.Anvisa%2C+2017.&enableSearch=true&rdrct=no&st=sb&tpr=omni&p2=%5EY6%5Expu402%5ELMPTBR%5Ebr&ptb=72F763F4-BDB1-45A2-A016-475DC7CDF332&n=7857f5eb&si=EAIaIQobChMIuayZ_urq4AIVJMjjBx0UXAtVEAEYASAAEgKY0fD_BwE . Acesso em 29 de outubro de 2019.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Orientações para prevenção primária de corrente sanguínea:,2010.. Disponível https://int.search.tb.ask.com/search/GGmain.jhtml?searchfor=Ag%C3%AAncia+Nacional+de+Vigil%C3%A2ncia+Sanit%C3%A1ria+(ANVISA).+Infec%C3%A7%C3%A3o+prim%C3%A1ria+d+da+corrente+sangu%C3%ADnea%3A+an%C3%A1lise+do+indicador+nacional+das+unidades+de+terapia+intensiva+brasileira+no+ano+de&enableSearch=true&rdrct=no&st=sb&tpr=omni&p2=%5EY6%5Expu402%5ELMPTBR%5Ebr&ptb=72F763F4-BDB1-45A2-A016-475DC7CDF332&n=7857f5eb&si=EAIaIQobChMIuayZ_urq4AIVJMjjBx0UXAtVEAEYASAAEgKY0fD_BwE Acesso em: 29 outubro de 2019.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Infecção primária d da corrente sanguínea: análise do indicador nacional das unidades de terapia intensiva brasileira no ano de 2013.disponível;

https://int.search.tb.ask.com/search/GGmain.jhtml?searchfor=Ag%C3%AAncia+Nacional+de+Vigil%C3%A2ncia+Sanit%C3%A1ria+(ANVISA).+Orienta%C3%A7%C3%B5es+para+preven%C3%A7%C3%A3o+prim%C3%A1ria+de+corrente+sangu%C3%ADnea%3A%2C2010&enableSearch=true&rdrct=no&st=sb&tpr=omni&p2=%5EY6%5Expu402%5ELMPTBR%5Ebr&ptb=72F763F4-BDB1-45A2-A016-475DC7CDF332&n=7857f5eb&si=EAIaIQobChMIuayZ_urq4AIVJMjjBx0UXAtVEAEYASAAEgKY0fD_BwE Acesso 05 de setembro 2019..

Ameida,TM: GallaSch C H, Gomes, HF;Fonseca, BO; Pires, AS; Peres. EM.. Prevenção de infecções relacionadas ao cateter venoso central não implantado de curta permanência. Rev. enferm. UERJ [online]. 2018, vol.26 [citado 2019-08-30], e31771. Acesso em : 04 de março de 2020. Orientações para file:///C:/Users//Downloads/artigo%20catetre%20venoso%201.pdf

Prevenção de Infecção Primária de Corrente Sanguínea . Epub 07-ago 2019.ISSN 0104-3552. http://dx.doi.org/10.12957/reuerj.2018.317710.

Aubaniac R.L ’injectionintraveineuse sous-claviculaire: advantages et technique. Presse Med. 1952;60(68):1456. PMid:13027062.Disponível em:http://www.scielo.br/pdf/jvb/v16n2/1677-5449-jvb-1677-5449008216.pdf, acesso 04 de setembro de 19

Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo. Câmara Técnica. Orientação Fundamentada nº077/2014. Curativo de cateter central. [ Internet] 2014a. [citado em 06 jun 2017] Disponível em: http://portal.coren-sp.gov.br/sites/default/files/ Orienta%C3%A7%C3%A3o%20Fundamentada%20-%20077.pdf

Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo. Câmara Técnica. Orientação Fundamentada nº106/2014. Retirada de cateter venoso central. [Site de Internet] 2014. [citado em 06 jun 2017] Acesso em: 29 de outubro de 2019. http://portal.coren-sp.gov.br/sites/default/files/

Dantas,GD, Figueiredo DSTO, Nobre ERS . Adesão da equipe de enfermagem ás medidas de prevenção de infecção corrente sanguíneo. Rev. Enferm.UFPE. Recife 2017. https://int.search.tb.ask.com/search/GGmain.jhtml?searchfor=revista+ufpe+ades%C3%A3o+da+equipe+de+enferamgem+.disponível . Acesso em: 04 Março de 2020.

Dansky MTR, Schwanke, LPAA, Lind J. Infecção da corrente sanguínea relacionada ao cateter venoso central para hemodiálise.Rev.Baina de enfermagem. V.31,n,1.Bahia 2017.

Disponível:https://int.search.tb.ask.com/search/GGmain.jhtml?searchfor=revista+baiana+enfermagem+infec.https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/bde-30301. Acesso em 04 de março de 2020.

Mendonza, KM Neves HCC, Barbosa ACS , Trippe AFV, Prado MA. Atuação da enfermagem na prevenção e controle de infecão de corrente sanguínea relacionada a cateter. Rev. enferm. UERJ.[Internet] 2011[citado em 06 Jun 2017]; 19(2):330-. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v19n2/v19n2a26.pdf [ Links disponível em 04 de mar de 2020.

Monteiro TS ,Pedroza ,RM.Infecção hospitalar: visão dos profissionais da equipe de enfermagem.Revista de epidemiologia e Controle Hospitalar, estudo qualitativo,descritivos exploratório, 2015.Disponível:file:///C:/Users/J/Downloads/5665-27797-3-PB.pdf, Acesso em: 28 de Outubro de 2019

Silva AG, Oliveira AC. Estratégia multimoldal para prevenção da infecção de corrente sanguínea relacionada ao cateter venoso central. Rev. Med 0ut- Dez 90(94) 271-7.São Paulo Disponível.file:///C:/Users/Janaina/Downloads/133189-Texto%20do%20artigo-278287-1-10-20171218%20(1).pdf, acesso em: 04 de março de 2020.

Sousa MAS, Nascimeto GC, Bim FL, Oliveira LB, Oliveira ADS. Infecções hospitalares relacionadas a procedimentos invasivos em unidades de terapia intensiva: revisão integrativa. Rev Pre Infec e Saúde.2017;3(3):49-58. Available from: http://www.ojs.ufpi.br/index.php/nupcis/article/view/5848.Acesso em 28 de outubro de 2019.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-167

Refbacks

  • There are currently no refbacks.