Saúde Mental na Atenção Primária: um Estudo sobre a Atuação dos Agentes Comunitários de Saúde/ Mental Health in Primary Care: a Study of the Performance of Community Health Workers

Carlos Gabriel de Souza Soares, Maheli Giovanna Amaro, Eduardo Jorge Sant’Ana Honorato, Sônia Maria Lemos

Abstract


O objetivo desse estudo foi investigar o cuidado em saúde mental na atenção primária a partir da produção científica dos últimos 5 anos (2015-2019), referente a atuação do Agente Comunitário de Saúde (ACS), analisando e descrevendo as práticas em saúde mental identificadas. O método utilizado foi a revisão integrativa da literatura, com buscas nas bases de dados LILACS e SciELO. Para a seleção das publicações foram utilizados os descritores: Atenção Básica; Saúde Mental; Agentes Comunitários de Saúde; Cuidado em saúde mental; Políticas Públicas; Práticas em saúde mental e combinações dos descritores. Foram usados os filtros: Texto completo; Idioma, sendo português, inglês e espanhol; Assunto principal; Tipo de documento, sendo artigo a única modalidade de literatura aceita; Ano de Publicação 2015 a 2019. Através dessa pesquisa foi possível identificar 37 estudos posteriormente categorizados em 5 temas principais: Acolhimento, Identificação e acompanhamento das demandas em saúde mental, Formação de estratégia pela Inserção Social comunitária, Capacitação profissional em saúde mental para ACS e Visita domiciliar. Os principais cuidados em saúde mental destacados na atuação do ACS na atenção primária são a escuta qualificada, apontada na maioria dos estudos como formadora de vínculos valiosos para o acolhimento dos usuários em sofrimento psíquico, a identificação de demandas em saúde mental e acompanhamento da trajetória do usuário através da corresponsabilização de cuidados, o conhecimento dos dispositivos de apoio social, recursos do território que podem auxiliar na abordagem das demandas de saúde mental na comunidade, a criação de ações de cuidado adaptados à situações comunitárias específicas.


Keywords


Saúde Mental, Atenção Primária, Agente Comunitário de Saúde.

References


BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Caderno de Atenção Básica n. 34 Saúde Mental. 176 p. Brasília. 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília. 110 p. 2012.

SOUZA, Jacqueline; ALMEIDA, Letícia; Veloso, Tatiana; Barbosa, Sara; VEDANA, Kelly. Estratégia de Saúde da Família: recursos comunitários na atenção à saúde mental. Acta Paul Enferm., v. 26, n. 6, p. 594-600. 2013.

SOUZA, J; ASSAD, FB; BARBOSA, SP; BADAGNAN, HF; ALMEIDA, LY; GARLA, CC. Situações de Saúde Mental nas Unidades de Saúde da Família: Percepção dos Agentes Comunitários de Saúde. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, Jan-Mar, v. 24, n. 1, p. 204-11. 2015.

PAULON, Simone; NEVES, Rosana. Saúde mental na atenção básica: a territorialização do cuidado. Porto Alegre: Sulina. Meridional, 151 p, 7-9. 2013.

BORGES, Silier; DUARTE, Marco. Surfando no controle: os lugares que os agentes comunitários ocupam na produção de saúde mental. Saúde debate. Rio de Janeiro, v. 41, n. 114, p. 920-931, jul-set 2017.

PAIVA, PC; TORRENTÉ, MON; LANDIM, FLP; BRANCO, JGO; TAMBORIL, BCR; CABRAL, ALT. Sofrimento psíquico e a abordagem da comunidade na voz do agente comunitário de saúde. Rev Esc Enferm USP, v. 50 n.esp, p. 139-144, 2016.

PEREIRA, Maria; BARBIERII, Liliane; PAULA, Virginia; FRANCO, Melissa. Saúde mental no Programa de Saúde da Família: conceitos dos agentes comunitários sobre o transtorno mental. Ver. Esc. Enferm. USP, v. 41, n. 4, p. 567-72. 2007.

SILVA, Cristiane; SANTOS, Josenaide; SOUZA, Rozemere. Estratégia de Apoio em Saúde Mental aos Agentes Comunitários de Saúde de Salvador–BA. Saúde Soc. São Paulo, v.21, n.1, p.153-160. 2012.

WHITTEMORE, R; KNAFL, K. The integrative review: updated methodology. J Adv Nurs., v. 52, n. 5, p. 546-53. 2005.

MENDES, Karina Dal Sasso; SILVEIRA, Renata Cristina de Campos Pereira; GALVAO, Cristina Maria. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto contexto – enferm., Florianópolis, v. 17, n.4, p. 758-764, dez. 2008. Disponível em: Acesso em: 17 Jan 2019.

VIVA COMUNIDADE; CENTRO DE REFERÊNCIA DE REDUÇÃO DE DANOS (CRRD). Cartilha de redução de danos para agentes comunitários de saúde: diminuir para somar. Porto Alegre:

VIVA COMUNIDADE, 2010. Disponível em: . Acesso em 30. jul. 2020.

BRASIL. Secretaria de Atenção à saúde. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Acolhimento nas práticas de produção de saúde. 2. ed. 5. reimp. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2010. Disponível em: < https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/acolhimento_praticas_producao_saude.pdf>. Acesso em 28 jul. 2020.

LIMA, A. I. O.; SEVERO, A. K.; ANDRADE, N. L.; SOARES, G. P.; SILVA, L. M. O Desafio da Construção do Cuidado Integral em Saúde Mental no Âmbito da Atenção Primária. Temas em Psicologia, v. 21, n. 1, p. 71-82. 2013. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2020.

CAÇAPAVA, J. R; COLVERO, L. A. Estratégias de atendimento em saúde mental nas Unidades Básicas de Saúde. Rev Gaúcha Enferm, Porto Alegre (RS), v. 29, n. 4, p. 573-80. 2008. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2020.

TEIXEIRA, Ricardo Rodrigues. Humanização e atenção primária à saúde. Ciência e Saúde Coletiva, v. 10, n. 3, p. 585-598, 2005. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2020.

BARONI, D. P. M; FONTANA, L. M. Ações em Saúde Mental na Atenção Primária no município de Florianópolis, Santa Catarina. Mental, v. 7, n. 12. p. 15-37. 2009. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2020.

Brasil. Saúde mental / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – Brasília: Ministério da Saúde, 2013. 176 p.: il. (Cadernos de Atenção Básica, n. 34). Disponível em: Acesso em: 25 mai. 2020.

GRYSCHEK, Guilherme; PINTO, Adriana Avanzi Marques. Saúde Mental: como as equipes de Saúde da Família podem integrar esse cuidado na Atenção Básica? Ciência & Saúde Coletiva. São Paulo, v. 20, n. 10, p. 3255-3262, 2015.

CAMURI, D; DIMENSTEIN, M. Processos de trabalho em saúde: práticas de cuidado em saúde mental na Estratégia de Saúde da Família. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 19, n. 4, p. 803-13, 2010. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2020.

FORTES, P. A. C; SPINETTI, S. R. O agente comunitário de saúde e a privacidade das informações dos usuários. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 20, n. 5, p. 1328-1333, set-out, 2004. Disponível em: < https://www.scielo.br/pdf/csp/v20n5/27.pdf>. Acesso em: 18 jul. 2020.

DIMENSTEIN, M.; SANTOS, Y. F.; BRITO, M.; SEVERO, A. K.; MORAIS, C. Demanda em saúde mental em unidades de saúde da família. Mental, v. 3, n. 5, p. 23-41. 2005. Disponível em: < http://pepsic.bvsalud.org/pdf/mental/v3n5/v3n5a03.pdf>. Acesso em: 28 jul. 2020.

NUNES, M.O. et al. O agente comunitário de saúde: construção da identidade desse personagem híbrido e polifônico. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 18, n. 6, p. 1639-1646, 2002.

SANTOS, George Amaral; NUNES, Mônica de Oliveira. O cuidado em saúde mental pelos agentes comunitários de saúde: o que aprendem em seu cotidiano de trabalho? Physis Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p.105-125, 2014.

LAVOR, A. C. H. O. Agente Comunitário: um novo profissional da saúde. In: BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Memórias da saúde da família no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde, p. 16-19. 2010. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2020

LANCETTI. Notas sobre clínica e política. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, São Paulo, v. 7, n. 3, p. 67-69, 2004. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2020.

SAMUDIO, J. L. P. et al. Agentes Comunitários de Saúde na Atenção Primária no Brasil: Multiplicidade de Atividades e Fragilização da Formação. Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, v. 15 n. 3, p. 745-770, set./dez. 2017. Disponível em: . Acesso em: 23 dez. 2019.

WAIDMAN, M. A. P.; COSTA, B.; PAIANO, M. Percepções e atuação do Agente Comunitário de Saúde em saúde mental. Rev Esc Enferm USP, São Paulo, v 46, n. 5, p. 1170-1177. 2012. Disponível em: . Acesso em: 21 jul. 2020.

GONÇALVES, R. C.; PERES, R. S. Matriciamento em Saúde Mental: Obstáculos, Caminhos e Resultados. Revista da SPAGESP, São Paulo, v 19, n. 2, p. 123-136. 2018. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2020.

RODRIGUES, E. S.; MOREIRA, M. I. B. A. A Interlocução da Saúde Mental com Atenção Básica no município de Vitória/ES. Saúde e Sociedade, v. 23, n. 3, p. 599-616, 2012. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2020.

MINOZZO, F; COSTA, I. I. Apoio matricial em saúde mental entre CAPS e Saúde da Família: trilhando caminhos possíveis. Psico-USF, Bragança Paulista, v. 18, n. 1, p. 151-160, jan./abril 2013. Disponível em: . Acesso em: 22 jul. 2020.

SCAFUTO, J. C. B; SARACENO, B; DELGADO, P. G. G. Formação e educação permanente em saúde mental na perspectiva da desinstitucionalização (2003-2015). Com. Ciências Saúde, v. 28 n. 3/4, p. 350-358. 2017. Disponível em: Acesso em: 26 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n. 2.488, de 21 de outubro de 2011. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da atenção básica, para a Estratégia Saúde da Família-ESF e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde-Pacs. Diário Oficial, República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 24 out. 2011. Disponível em: < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2488_21_10_2011.html>. Acesso em: 29 jul. 2020.

BARALHAS, M.; PEREIRA, M. A. O. Prática diária dos agentes comunitários de saúde: dificuldades e limitações da assistência. Rev. Bras. Enferm., Brasília, v. 66, n. 3, p. 358-365, 2013. Disponível em: < https://www.scielo.br/pdf/reben/v66n3/a09v66n3.pdf>. Acesso em: 29 jul. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-164

Refbacks

  • There are currently no refbacks.