Alterações de comportamento dos idosos após um evento estressor e antes do diagnóstico demencial: percepção do cuidador familiar / Behavior changes in the elderly after a stressful event and before the dementia diagnosis: perception of the family caregiver

Marili Calabro

Abstract


Diante do curso do envelhecimento, os familiares perceberam alterações de comportamento após um evento estressor vivido pelo idoso, o que levou a impactar todo núcleo familiar. Esses idosos, posteriormente, foram diagnosticados a quadros demenciais, e assim, institucionalizados. Dessa forma, o presente trabalho teve como objetivo, identificar os eventos estressores e eventuais alterações no comportamento dos idosos, antecedentes ao diagnóstico demencial, pela percepção do familiar cuidador.  Utilizamos como método, um estudo de campo qualitativo, baseado em entrevistas narrativas de 12 familiares de idosos demenciados e institucionalizados, encontramos resultados desvelando, se os idosos apresentaram mudanças de comportamento após o evento estressor, se os familiares associaram as mudanças de comportamento a uma demência, e se sabiam lidar com a doença. Concluiu-se que todos os idosos sofreram mudanças de comportamento após eventos estressores vivenciados antes do diagnóstico de demência, e que pela percepção dos familiares, entenderam que houve de fato uma possível correlação do evento com a potencialização do quadro, e que a maioria dos familiares não sabia lidar com a doença. Pretende-se com este estudo, o incentivo à novas pesquisas, acerca da importância de os familiares perceberem as alterações de comportamento dos idosos, e com isso, a possível antecipação do diagnóstico, o que permitiria o estabelecimento de ações mais efetivas de tratamento.


Keywords


Idosos. Demências. Envelhecimento.

References


BUSNELLO, F. B.; SCHAEFER, L. S.; KRISTENSEN, C. H. Eventos estressores e estratégias de coping em adolescentes: implicações na aprendizagem. Psicol. Esc. Educ. (Impr.), Campinas, v. 13, n. 2, p. 315-323, Dec. 2009. Available from . https://doi.org/10.1590/S1413-85572009000200014.

FONTES, A. P. Resiliência, segundo o paradigma do desenvolvimento ao longo da vida (life-span). Revista Kairós: Gerontologia, [S.l.], v. 13, out. 2010. ISSN 2176-901X. Disponível em: . doi:https://doi.org/10.23925/2176-901X.2010v13iEspecial7p%p.

MARINS, A. M. F.; HANSEL, C.G.; DA SILVA, J. Mudanças de comportamento em idosos com Doença de Alzheimer e sobrecarga para o cuidador. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 20, n. 2, p. 352-356, June 2016. Available from . https://doi.org/10.5935/1414-8145.20160048.

FREITAS, A.V.S.; NORONHA, C.V. Idosos em instituições de longa permanência: falando de cuidado. Interface (Botucatu), v. 14, n. 33, p. 359-369, June 2010. Available from . http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832010000200010.

MELO, R. L. P. ET AL. O efeito do estresse na qualidade de vida de idosos: o papel moderador do sentido de vida. Psicol. Reflex. Crit., Porto Alegre, v. 26, n. 2, p. 222-230, 2013. Available from . https://doi.org/10.1590/S0102-79722013000200002.

MENDES, C. F. M.; SANTOS, A. L. S. O cuidado na doença de Alzheimer: as representações sociais dos cuidadores familiares. Saude soc., São Paulo v. 25, n. 1, p. 121-132, Mar. 2016 Available from . http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902015142591.

HUANG, J. - Sintomas comportamentais e psicológicos da demência. [Memory Impairment and Neurodegenerative Dementia (MIND) Center, University of Mississippi Medical Center]. MANUAL MSD - Versão para Profissionais de Saúde, 2018. Disponível em: https://www.msdmanuals.com/pt/profissional/dist%C3%BArbios-neurol%C3%B3gicos/delirium-e-dem%C3%AAncia/sintomas-comportamentais-e-psicol%C3%B3gicos-da-dem%C3%AAncia

MENDES, C. F. M.; SANTOS, A. L. S. O cuidado na doença de Alzheimer: as representações sociais dos cuidadores familiares. Saude soc., São Paulo v. 25, n. 1, p. 121-132, Mar. 2016 Available from . http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902015142591.

PEREIRA, A. ET AL. Envelhecimento, estresse e sociedade: uma visão psiconeuroendocrinológica.Ciênc. cogn., Rio de Janeiro, v. 1, p. 34-53, mar 2004 Disponível em .

ILHA, S. ET AL Doença de Alzheimer na pessoa idosa/família: Dificuldades vivenciadas e estratégias de cuidado. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 20, n. 1, p. 138-146, Mar 2016 Available from . http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20160019.

PEREIRA, A. ET AL. Envelhecimento, estresse e sociedade: uma visão psiconeuroendocrinológica.Ciênc. cogn., Rio de Janeiro, v. 1, p. 34-53, mar 2004 Disponível em .

MARRA, T.A. ET AL. Avaliação das atividades de vida diária de idosos com diferentes níveis de demência. Rev. bras. fisioter., São Carlos, v. 11, n. 4, p. 267- 273, Aug 2007. Available from.http://dx.doi.org/10.1590/S1413-35552007000400005.

FERRARI, E. A. M. ET AL - Plasticidade neural: relações com o comportamento e abordagens experimentais. Psic.: Teor. e Pesq Brasília v. 17, n. 2, p. 187-194, Aug. 2001. Available from . https://doi.org/10.1590/S0102-3772200100020001

JANSEN, K. ET AL. Eventos de vida estressores e episódios de humor: uma amostra comunitária. Ciência & Saúde Coletiva [online]. 2014, v. 19, n. 9 [Acessado 15 julho 2020], pp. 3941-3946. Disponível em: . ISSN 1678-4561. https://doi.org/10.1590/1413-81232014199.12932013.

e 16 JUSTICE, N. J. (2018). The relationship between stress and Alzheimer’s disease. Neurobiology of Stress, 8, 127–133. doi: 10.1016/j.ynstr.2018.04.002. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2352289518300031#! Stress and the General Adaptation Syndrome - Br Med J 1950; 1 doi: https://doi.org/10.1136/bmj.1.4667.1383 (Published 17 June 1950) Cite this as: Br Med J 1950;1:1383. Disponível em: https://www.bmj.com/content/1/4667/1383

JURUENA, M. F., CLEARE, A. J., PARIANTE, C. M. (2004). O eixo hipotálamopituitária-adrenal, a função dos receptores de glicocorticóides e sua importância na depressão [The hypothalamicpituitary adrenal axis, glucocorticoid receptor function and relevance to depression]. Revista Brasileira de Psiquiatria, 26(3), 189-201. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-44462004000300009. Disponível em:

MELLO, A. F. ET AL. Depressão e estresse: existe um endofenótipo? Rev. Bras. Psiquiatr., São Paulo, v. 29, supl. 1, p. s13-s18, May 2007. Available from .

STELLA F., GOBBI, S., CORAZZA, D.I., COSTA, J.L.R. - Depressão no Idoso: Diagnóstico, Tratamento e Benefícios da Atividade Física - Motriz, Rio Claro, Ago/Dez 2002, Vol.8 n.3, pp. 91-98, disponível em: https://s3.amazonaws.com/academia.edu.documents/31114044/6473-33320-1-SM.pdf?AWSAccessKeyId=AKIAIWOWYYGZ2Y53UL3A&Expires=1558192919&Signature=opWaf08T0G%2FgElBZaknygqgCrK8%3D&response-contentdisposition=inline%3B%20filename%3DDepressao_no_idoso_diagnostico_tratament .pdf. Acesso em: 18 maio 2019.

ORTIZ, S.R.M., NUNES, A., OLIVEIRA, W.F. – Somos a Memória que temos: O que fazer diante do Alzheimer? - Universidade Cidade de São Paulo (UNICID), Faculdade das Américas (FAM) – 2017.

FORLENZA, O. V. Transtornos depressivos na doença de Alzheimer: diagnóstico e tratamento. Rev. Bras. Psiquiatria, São Paulo, v. 22, n. 2, p. 87-95, June 2000. Available from.accesson 16 May 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-44462000000200010.

MINAYO, M. C. de S.; DESLANDES, S.F.; GOMES, R. - Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2016. CHAGAS, T.A. - O questionário na pesquisa científica. ISSN 1517-7912 Volume 1 Número 1 - 2000. Disponível em: https://moodle.ufsc.br/pluginfile.php/1255609/mod_resource/content/0/O_qestio nariona_pesquisacientifica.pdf




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-155

Refbacks

  • There are currently no refbacks.