Investigação das medidas caseiras de alimentos que compõem a dieta da população brasileira/ Investigation of household food measures that make up the diet of the brazilian population

Ângela Ribeiro do Prado Mamedes, Andreia de Oliveira Massulo, Priscila Abrão Possik, Jeniffer Michelline de Oliveira Custódio, Patricia Cintra

Abstract


A proposta deste estudo foi atualizar e analisar os cálculos das medidas caseiras das porções alimentares (pequena, média e grande), que compõem a dieta da população brasileira. Trata-se de uma pesquisa descritiva, onde foi investigada a medida caseira de 372 alimentos divididos em 13 grupos alimentares. Durante a revisão das medidas caseiras, percebeu-se divergência entre a categorização dos grupos alimentares e erro na quantidade das medidas caseiras. Essas divergências foram corrigidas obedecendo à categorização organizada pelas autoras e para as quantificações foram usadas às tabelas TBCA (2020) e o aplicativo Desrotulando (2020). Comparando as medidas caseiras propostas com as tabelas já existentes, houve confronto de tamanho, peso, quantidade, denominação, informação dos ingredientes e especificidade na descrição do alimento. Isso significa que nem sempre os alimentos semelhantes apresentarão os mesmos valores de nutrientes. Pode-se sugerir que as informações contidas nas tabelas de composição de alimentos são muito amplas. Foi averiguado que muitos produtos não constam nas tabelas e aqueles que constam não possuem uma descrição detalhada da medida caseira e que são poucos os materiais que incluem as medidas caseiras em trabalhos que apresentam o estudo da porção do alimento. A revisão das medidas caseiras dos alimentos foi de extrema importância, pois avaliar o consumo alimentar de uma população é uma das maiores dificuldades da terapêutica nutricional.


Keywords


medida caseira, padronização, porção alimentar, food portion.

References


ALMEIDA, C. A. N.; FERNANDES, G. C. A importância do porcionamento na alimentação balanceada. International Journal of Nutrology, v. 4, n. 3, p. 53-59, Set./ Dez., 2011.

ANDRADE, J. C.; CAMPOS, F. M. Porcionamento, adequação energética e controle do desperdício em uma creche. Rev. Demetra: Alim. Nut. e Saúde, v. 7, n. 3, p. 157-180, Sergipe, 2012.

BERTIN, R. L.; PARISENTI, J.; DI PIETRO, P. F.; VASCONCELOS, F. A. G. Métodos de avaliação do consumo alimentar de gestantes: uma revisão. Rev. Bras. Saúde Materno Infantil, v. 6, n. 4, Recife, 2006.

BRASIL, Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC Nº 359, de 23 de dezembro de 2003. Aprova o Regulamento Técnico de Porções de Alimentos Embalados para Fins de Rotulagem Nutricional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 26. dez. 2003. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2003/rdc0359_23_12_2003.htmL. Acesso em: 18 nov. 2020.

BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira. 2 ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2014, 152p.

BRASIL, Ministério da Saúde. Hospital do Coração. Alimentação Cardioprotetora: manual de orientações para profissionais de saúde da atenção básica. Brasília, 2018. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/alimentacao_cardioprotetora.pdf. Acesso em: 21 jan. 2021.

BRASIL, Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Instrução Normativa N° 75 DE 8 de outubro de 2020. Estabelece os requisitos técnicos para declaração da rotulagem nutricional nos alimentos embalados. Brasília, 2020. Publicada no DOU em: 09/10/20, edição 195, seção 1, página 113. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/instrucao-normativa-in-n-75-de-8-de-outubro-de-2020-282071143. Acesso em: 18 dez. 2020.

BRASIL, Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 429, DE 8 DE OUTUBRO DE 2020. Dispõe sobre a rotulagem nutricional dos alimentos embalados. Brasília, 2020. Publicada no DOU nº 195, de 9 de outubro de 2020. Disponível em: http://antigo.anvisa.gov.br/documents/10181/3882585/RDC_429_2020_.pdf/9dc15f3a-db4c-4d3f-90d8-ef4b80537380. Acesso em: 18 nov. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Universidade de São Paulo. FASCÍCULO 1

PROTOCOLOS DE USO DO GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA NA ORIENTAÇÃO ALIMENTAR: BASES TEÓRICAS E METODOLÓGICAS E PROTOCOLO PARA A POPULAÇÃO ADULTA. Brasília – DF

CARLOS, J. V.; ROLIM, S.; BUENO, M. B.; FISBERG, R. M. Porcionamento dos principais alimentos e preparações consumidas por adultos e idosos residentes no município de São Paulo. Rev. Nutr., v. 21, n. 4, p. 383-391, São Paulo, 2008.

DESROTULANDO. Aplicativo de avaliação de rótulos alimentares. Disponível em: https://desrotulando.com/#features-icons. Acesso em: 29 dez. 2020.

FAQUIM, N. B.; OLIVEIRA, T.; SPINELLI, M. G. N. Porcionamento, consumo e desperdício em um restaurante escolar. Rev. Univap, v. 18, n. 31, São Jose dos Campos, Junho, 2012.

LEÃO, J. M.; NEVES, C. V. B.; RODRIGUES, F. A. Elaboração de registro fotográfico como ferramenta de educação nutricional para pacientes com doença renal crônica. III Congresso Nacional de Alimentos e Nutrição | VI Congresso Nacional de Alimentação e Nutrição. Ouro Preto, 2017.

LEITE, Fábio Henrique Cardoso; BIN, Marcia Crestani; SCHMITZ, Wanderlei Onofre. Produção do artigo científico. 3. ed. Dourados: Unigran, 2015.

LOPEZ, R. P. S.; BOTELHO, R. B. A. Identificação de porções alimentares em fotografias. Rev. Nutrire, v. 35, n. 1, p. 1-14, São Paulo, Abril, 2010.

OLIVEIRA, S. P.; THEBAUD-MONY, A. Estudo do consumo alimentar: em busca de uma abordagem multidisciplinar. Rev. Saúde Publica, v. 31, n. 2, p. 201-208, São Paulo, Abril, 1997.

PINHEIRO, A. B.V, et al. Tabela para Avaliação de Consumo Alimentar em Medidas Caseiras. Editora: Atheneu. 4ed. São Paulo, 2001.

PHILIPPI, Sônia Tucnduva. Pirâmide dos alimentos: Fundamentos básicos da nutrição. Barueri, SP: Manole, 2014. 399p.

PHILIPPI, S. T. Nutrição e Técnica Dietética. 2. ed. São Paulo: Editora Manole, 2006. 402p.

RETAMOSO, V.; MESQUITA, M; OLIVEIRA, V. R. Padronização de medidas caseiras como instrumento facilitador para discentes e docentes do curso de Nutrição. Rev. Disciplinarum Scientia, v. 10, n.1, p. 127-136, Santa Maria, 2009.

RODRIGUES, A. G. M.; PROENÇA, R. P. C. Relação entre tamanho da porção de comida e ingestão alimentar: uma revisão. Rev. Ceres: Nutrição e Saúde, v. 6, n. 1, p.23-33, Florianópolis, 2011.

SOUZA, R. G. M.; CAMPOS, M. I. V. A. M.; CORDEIRO, M. M.; MONEGO, E. T.; PEIXOTO, M. R. G. Validação de fotografias de alimentos para estimativa do consumo alimentar. Revista Nutrição, v. 29, n. 3, p.415-424, Campinas, Maio/ Junho, 2016.

Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TBCA). Universidade de São Paulo (USP). Food Research Center (FoRC). Versão 7.1. São Paulo, 2020. Disponível em: http://www.fcf.usp.br/tbca. Acesso em: 27 dez. 2020.

VARGAS, V. de S. Padronização de medidas caseiras como ferramenta à Dietoterapia. Vittalle. Rio Grande, RS, v. 19, n. 1 p. 29-34, 2007.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-126

Refbacks

  • There are currently no refbacks.