Trombose Venosa Profunda: “Conhecer é a melhor maneira de prevenir!” / Deep Vein Thrombosis: "Knowing is the best way to prevent it!"

Carla Cristina Gularte Liberato

Abstract


INTRODUÇÃO: O Tromboembolismo venoso e suas manifestações possuem alta morbimortalidade, são a principal causa de morte evitável em pacientes hospitalizados. Embora tenha mortalidade superior ao câncer não vislumbramos nenhuma campanha alusiva ao tema. Objetivos: Realizar campanha a nível municipal para divulgação do assunto e avaliar o conhecimento de nossa população sobre Trombose Venosa Profunda (TVP), suas manifestações clínicas, diagnóstico e formas de prevenção. Material e métodos: estudo prospectivo e transversal avaliando o conhecimento sobre a doença, através de questionário estruturado. Palestras alusivas ao tema serão realizadas com aplicação do questionário previamente; os acadêmicos do curso de Medicina de uma instituição do interior de Rondônia também participarão. Disponibilizar-se-á termo de consentimento livre e esclarecido. Resultados: entrevistamos 106 pacientes e 81 discentes, a maioria do sexo feminino, adultos jovens. A maioria dos discentes pertenciam ás séries iniciais do curso. A maioria dos entrevistados entendiam que TVP é doença vascular, acometendo membros inferiores, confundindo, em ambos os grupos, sintomas com erisipela, tratamento com necessidade de cirurgia e até amputação. A maioria, de ambos os grupos, descreve fatores de risco adequadamente. Alta incidência do uso de contracepção hormonal entre os discentes, destacando-se ansiedade e depressão como comorbidades. Na população predomínio de pacientes portadores de varizes. Discussão: análise da literatura indica que 51% dos brasileiros desconhecem a Trombose e suas manifestações. Embora de alta prevalência e morbimortalidade, a Trombose Venosa Profunda é desconhecida, pode ser evitada e prevenida.

Keywords


trombose venosa profunda, educação médica, doenças vasculares.

References


ISTH Steering Committee for World Thrombosis Day. Thrombosis: a major contributor to the global disease burden. J Thromb Haemost 2014; 12: 1580–90.

Wendelboe AM, McCumber M, Hylek EM, Buller H, Weitz JI, Raskob G, for the ISTH Steering Committee for World Thrombosis Day. Global public awareness of venous thromboembolism. J Thromb Haemost 2015; 13: 1365–71.

Raskob G, McLintock,C. WTD Steering Commitee. Awareness to Action Partner Toolkit.http://www.worldthrombosisday.org/issue/thrombosis/acessoem 13/08/2018

Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatistica (IBOPE). Trombose Venosa Profunda e Embolia pulmonar. São Paulo:IBOPE;2010

Presti C, Miranda F. Projeto Diretrizes Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. Trombose Venosa Profunda. Diagnóstico e Tratamento.2015.

TOSONE NC, COSTANZO C. Development of a Guideline for Treatment of Deep and Superficial Venous Thrombosis in the Emergency Department. Advanced Emergency Nursing Journal. 2012;34(2):133–146.

Franco Garcia AC, Vicente de Souza B, Volpato DE, Deboni LM, Souza MV, Martinelli R, Gechele S. Realidade do uso da profilaxia para trombose venosa profunda: da teoria à prática. Jornal Vascular Brasileiro, março 2005,vol. 4(1):35-41

National Institute for Health and Clinical Excellence. Venous tromboembolism: reducing the risk of venous thromboembolism (deep vein thrombosis and pulmonary embolism) in inpatients undergoing surgery. London: NICE; 2007. [citado 2016 abr 22]. http://www.venous-thromboembolism.org/reports/CG046NICEguideline.pdf

Erzinger FL, Carneiro MB. Prevenção de tromboembolismo venoso em hospital com perfil oncológico: como melhorá-la? J Vasc Bras. 2016 Jul-Sep; 15(3): 189–196.

Bastos M, Barreto SM, Caiafa JS, Rezende SM. Thromboprophylaxis: medical recommendations and hospital programs. Rev Assoc Med Bras 2011; 57(1):87-97

Normas de orientação clínica para a prevenção, o diagnóstico e o tratamento da trombose venosa profunda. J Vasc Bras. 2005;4(3):S214-215.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-117

Refbacks

  • There are currently no refbacks.