Conhecimento sobre a cirurgia vascular no contexto do projeto mais médicos / Knowledge about vascular surgery in the context of the more doctors project

Carla Cristina Gularte Liberato

Abstract


Introdução: O Projeto Mais Médicos para o Brasil, criado em 2013, visando prover médicos para áreas de difícil fixação de profissionais e oferecer treinamento em Saúde da Família para médicos brasileiros e estrangeiros, promoveu melhoria da infraestrutura das unidades de saúde, ampliando a oferta de vagas para graduação e residência médica. Com intuito de formar profissionais generalistas, alinhado ao projeto, entraram em vigor as novas Diretrizes Curriculares dos cursos de Medicina. A partir de então a visão do médico foi ampliada além de conhecimentos teóricos, diferenciando-se da formação inicial hospitalocêntrica e especializada, comum aos docentes e preceptores atuais. Objetivo: Com o objetivo de avaliar os conhecimentos dos médicos participantes do programa, elaboramos questionário sobre o conhecimento e prática de assuntos comuns na Cirurgia Vascular, Trombose Venosa Profunda e Pé diabético. Relato: Os resultados mostram que na região pesquisada, Região do Café e Zona da Mata, áreas do interior de Rondônia, a maioria dos médicos pertencentes ao programa são jovens, do sexo feminino, com tempo de formação entre um e dois anos, atuando também no programa, na sua maioria, neste período. A maioria domina os conhecimentos básicos sobre as duas patologias, o quadro clínico e a forma de diagnóstico, o equívoco ocorreu entre o diagnóstico de trombose venosa profunda e erisipela, e no manejo e cuidado das ulcerações, comuns no universo das doenças vasculares. Confrontando dados da literatura percebemos que as divergências são comuns em outros centros, estando os entrevistados aquém das estatísticas pois reconhecem a neuropatia na imensa maioria dos pacientes, examinando os pés dos mesmos na maioria dos atendimentos.Conclusão: Concluímos que estudos desta proporção são importantes para corrigir eventuais distorções durante o curso de Medicina, modificando o cenário de saúde no nosso país.


Keywords


Pé diabético, Programa mais médicos, Ensino de Cirurgia vascular, Ensino Médico, Trombose Venosa Profunda.

References


- Alessio, Maria Martins e Sousa, Maria Fátima de Regulação da formação de especialistas: inter-relações com o Programa Mais Médicos. Physis: Revista de Saúde Coletiva [online]. 2016, v. 26, n. 2 [Acessado 8 Dezembro 2019] , pp. 633-667. Disponível em: . ISSN 1809-4481. https://doi.org/10.1590/S0103-73312016000200015.

- Amoretti,R. A Educação Médica diante das Necessidades Sociais em Saúde. REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MÉDICA. Rio de Janeiro, v .29, nº 2, p. 136-146, maio/ago. 2005.

- BATISTA, K. B.F.;GONÇALVES, OSJ. Formação dos Profissionais de Saúde para o SUS: significado e cuidado. Saúde Soc. São Paulo, v.20, n.4, p.884-899, 2011.

- BRANDÃO, GM; SOBREIRA, ML; ROLLO, HA. Recanalização após trombose venosa profunda aguda. J Vasc Bras, v.12, n.4, p.296-302, 2013.

- Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Programa mais médicos – dois anos: mais saúde para os brasileiros / Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. – Brasília : Ministério da Saúde, 2015.

- Brasil. Caderno de Atenção Básica. Normas e Manuais Técnicos. 2006;16. [série A] FRANCO,C.A.G.S.;CUBAS,M.R.;FRANCO,R.S. Currículo de Medicina e as Competências Propostas pelas Diretrizes Curriculares. REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MÉDICA. 8 (2) : 221-230; 201.

- Boiteux,P.A. PROGRAMA MAIS MÉDICOS: LIMITES E POSSIBILIDADES PARA MUDANÇAS NOS PROCESSOS DE TRABALHO E NA PRODUÇÃO DO CUIDADO NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Espírito Santo, como requisito parcial para a obtenção do título de Mestre em Saúde Coletiva, na área de concentração: Política e Gestão em Saúde, linha de pesquisa: Política e Sistemas de Saúde. Orientadora: Profª. Dra. Rita de Cássia Duarte Lima. Vitória,2017.

- CALSOLARI,M.R.; CASTRO, R.F.; MAIA, R.M.; MAIA, F.C.P.; CASTRO,A.V.; REIS,R.; FERREIRA,A.R.; MARCO,L.; PURISCH,S. Análise retrospectiva dos pés de pacientes diabéticos do ambulatório de diabetes da Santa Casa de Belo Horizonte, MG. Arq Bras Endocrinol Metab 2002;46/2:173-176.

- Diretriz Brasileira de Profilaxia de TEV em Paciente Clínico Internado. Disponível online em http://www.projetodiretrizes.org.br/4_volume/;

- ERZINGER,F.L.;CARNEIRO,M.B.. Prevenção de tromboembolismo venoso em hospital com perfil oncológico: como melhorá-la? J Vasc Bras. 2016 Jul-Sep; 15(3): 189–196.

- Engstrom,E.M.; Carvalho,L.C.; Romano,V.F.; Castro,A.A.C. O supervisor e as estratégias educacionais dos encontros locorregionais no Programa Mais Médicos do Brasil: reflexões acerca de concepções e práticas. Tempus, actas de saúde colet, Brasília, 10(1), 241-252, mar, 2016.

- Fernandes,J W. O Ensino da Cirurgia Plástica na Graduação em Medicina no Contexto da Realidade Brasileira. REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MÉDICA.286 40 (2) : 286-294; 2016.

- Ferraz,D.P.;Almeida,M.A.S.;Papazogli,M.Crispim,P.;Faria e Silva, T. Aplicabilidade do conhecimento dos médicos no cuidado do pé diabético em Belo Horizonte. Rev Med Minas Gerais 2007; 17(1/2): 17-22

- Franco Garcia, A. C.; Vicente de Souza, B.; Espíndola Volpato, D.; Deboni, L.M.; Vicente de Souza, M.; Martinelli, R.; Gechele, S..Realidade do uso da profilaxia para trombose venosa profunda: da teoria à prática. Jornal Vascular Brasileiro, vol. 4, núm. 1, março, 2005, pp. 35-41

-Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatistica (IBOPE). Trombose Venosa Profunda e Embolia pulmonar. São Paulo:IBOPE;2010

-International Diabetes Federation – IDF. IDF Diabetes Atlas. Disponível em: http://www.diabetesatlas.org

-Ilveira,JAA, Resende,HMP, Lucena filho,AA, Pereira,JG. Características da assistência à saúde a pessoas com diabetes mellitus acompanhadas na Unidade de Saúde da Família Pedregal II, em Cuiabá, MT: reflexões para a equipe de saúde. O Mundo da Saúde, São Paulo: 2010;34(1):43-49.

- Kemper,E.S.; Mendonça,A.V.M.; Sousa,M.F.. Programa Mais Médicos: panorama da produção científica. Ciência & Saúde Coletiva, 21(9):2785-2796, 2016.

-Kemper, E.S. ;Tasca,R.; Harzheim,E.; Jiménez,J.M.S.;Hadad,J.;Sousa,M.F de. Cobertura universal em saúde e o Programa Mais Médicos no Brasil. Revista Panamericana de Salud Pública [online]. 2018, v. 42 [Acessado 8 Dezembro 2019] , e1. Disponível em: . Epub 07 Jun 2018. ISSN 1680-5348. https://doi.org/10.26633/RPSP.2018.1.

-LIMA,V.V;KOMATSU,R.S.;PADILHA, R.Q.; Desafios ao desenvolvimento de um currículo inovador: a experiência da Faculdade de Medicina de Marília. Interface - Comunic, Saúde, Educ, v7, n12, p.175-84, fev 2003.

-Lima,J.R.;Nascimento,T.F.;Assis,A.B.N.;Freitas, A.P. ANÁLISE DA REDE URBANA RONDONIENSE: Estudo de caso da Microrregião de Cacoal. Anais XVIII ENANPUR 2019. Código verificador: ZeaivLGuquZa verificar autenticidade em: http://anpur.org.br/xviiienanpur/anais

-Massa, Kaio Henrique Correa, Duarte, Yeda Aparecida Oliveira e Chiavegatto, Alexandre Dias PortoAnálise da prevalência de doenças cardiovasculares e fatores associados em idosos, 2000-2010. Ciência & Saúde Coletiva [online]. 2019, v. 24, n. 1 [Acessado 8 Dezembro 2019] , pp. 105-114. Disponível em: . ISSN 1678-4561. https://doi.org/10.1590/1413-81232018241.02072017.

-Matias, M.C.;Verdi,M.;Finkler,M.;Ros M.A. O Programa Mais Médicos no contexto das estratégias de mudança da formação médica no país: reflexões e perspectivas. Saúde e Sociedade [online]. v. 28, n. 3 [Acessado 8 Dezembro 2019] , pp. 115-127. Disponível em: . ISSN 1984-0470. https://doi.org/10.1590/S0104-12902019170830.

-Moreira,R.C.R. Critical issues in vascular surgery: Education in Brazil. JOURNAL OF VASCULAR SURGERY. Volume 48, Edição 6, Suplemento, Dezembro de 2008, Páginas 87S-89S.

-Neto,J.A.C.;Sirimarco,M.T.;Cândido,T.C.;Ulhoa,C.M.;Reis,B.P.;Lima,V.M. Formação médica generalista: percepção do profissional e do estudante. HU Revista, Juiz de Fora, v. 40, n. 1 e 2, p. 13-23, jan./jun. 2014.

-Oliveira, H B de; Oliveira, E F B; Yepes, J A R. O ensino de angiologia e cirurgia vascular nos cursos de graduação em medicina em Minas Gerais. J. vasc. bras;2(4):346-348, dez. 2003.

-Organização Mundial da Saúde. Cuidados Inovadores para Condições Crônicas: Componentes Estruturais de Ação. Relatório Mundial. Genebra/Brasil; 2002.

-Ozaki CK , Perler BA , Mitchell ME , Gahtan V . O papel do Conselho de Cirurgia Vascular na educação cirúrgica.Semin Vasc Surg. 2019 Mar - Jun; 32 (1-2): 5-10.

-Parisi. M.C.R. Capítulo 05 - A síndrome do pé diabético, fisiopatologia e aspectos práticos. Diabetes na prática Clínica. Sociedade Brasileira de Diabetes. e-book 2.0. disponível em 02/10/20017http://www.diabetes.org.br/ebook/component/k2/item/42-a-sindrome-do-pe-diabetico-fisiopatologia-e-aspectos-praticos

-Raskob,G.;McLintock,C. WTD Steering Commitee. Awareness to Action Partner Toolkit. http://www.worldthrombosisday.org/issue/thrombosis/acesso em 13/08/2018

-Reis, A. Prevenção e tratamento do tromboembolismo venoso: o lugar dos novos anticagulantes orais. Rev Port Cardiol.2012. Volume 31, pp. 45-50.

-reis, A. et al. Normas para a prevenção, diagnóstico e tratamento do tromboembolismo venoso no doente médico. Sociedade Portuguesa de Medicina Interna,2010. Jan/Mar, pp. 37-58.

-Rios, D. R. da S. e Teixeira, C. Mapeamento da produção científica sobre o Programa Mais Médicos. Saúde e Sociedade [online]. 2018, v. 27, n. 3 [Acessado 8 Dezembro 2019] , pp. 794-808. Disponível em: . ISSN 1984-0470. https://doi.org/10.1590/S0104-12902018170887.

-Rodrigues,C.C.P.; Quaresma,M.S.M.; Monteiro,R.C. Educação em saúde no Programa Mais Médicos para o Brasil: O papel do supervisor no processo educacional. Tempus, actas de saúde colet, Brasília, 9(4), 151-158, dez, 2015.

-Sad, EF. profilaxia para tromboembolismo venoso em pacientes cirúrgicos: quem sabe faz a hora, não espera acontecer!!! Editorial Arq Bras Cir Dig 2012;25(4):215.

-Souza,I Q;Silva,C P;Caldas, C A M. Especialidade Médica: Escolhas e Influências. REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MÉDICA.38 (1) : 79-86; 2014.

-Spanos K, De Maeseneer M , Nicolaides A , Giannoukas AD. Uma pesquisa do Fórum Venoso Europeu sobre educação e treinamento em cirurgia venosa e flebologia na Europa. Int Angiol. Abr 2015; 34 (2): 182-7. Epub 2014 23 de dezembro.

-Silva,R M,D da. analisar o nível de conhecimento do profissional de enfermegem relacionado à educação em saúde na prevenção das complicações dos pacientes diabéticos. monografias Brasil Escola. http://brasilesco.la/m14621. ACESSO EM 29/03/2019.

-Silva, H P.; Bittencourt T R; Comes, Y; Luiz Pereira, L; Eri Shimizu, H; Merchan-Hamann, E; Bermúdez, X P. O Projeto Mais Médicos para o Brasil: desafios e contribuições à Atenção Básica na visão dos médicos cooperados.Interface - Comunicação, Saúde, Educação, vol. 1, núm. 21, 2017, pp. 1257-1268.Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.Botucatu, Brasil

-Silveira,D. M.; Ferreira, L. V;Fraga, G.H.W.S.;Sousa, I. S. de S.;Costa, M.B. Pé Diabético: onde podemos intervir?. HU Revista, Juiz de Fora, v. 43, n. 1, p. 13-18, jan./jun. 2017

- Tosone, NC; Costanzo, C. Development of a Guideline for Treatment of Deep and Superficial Venous Thrombosis in the Emergency Department. Advanced Emergency Nursing Journal. v.34, n.2, p.133–146, 2012.

-Presidência da República (BR). Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Medida Provisória nº 621/2013. Institui o Programa Mais Médicos; altera as Leis nºs 8.745, de 9/12/1993, e 6.932, de 07/07/1981; e dá outras providências [internet]. Diário Oficial da União. 10 Jul 2013. Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_imp;jsessionid=7CD6D0862880808789CE90287211EDB4.node2?idProposicao=584020&ord=1&tp=reduzida.

- Presti,C;Miranda JR,F. Projeto Diretrizes Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. Trombose Venosa Profunda. Diagnóstico e Tratamento.2015.

- Projeto Diretrizes Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. Trombose venosa profunda diagnóstico e tratamento. 2012-2015.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-115

Refbacks

  • There are currently no refbacks.