Desprescrição aplicada à polifarmácia / Description applied to polypharmacy

Lucas Martins Ferreira, Mariana Pires Ferreira, Vicente Spinola Dias Neto

Abstract


A polifarmácia representa atualmente um problema de grande importância no atendimento ao idoso em correlação com os eventos adversos a medicamentos, redução da funcionalidade e comprometimento da qualidade de vida. Com o envelhecimento populacional, esta tem se tornando cada vez mais frequente, uma vez que a maior prevalência de doenças crônicas não transmissíveis entre os indivíduos idosos resulta em uma maior utilização simultânea de múltiplos medicamentos, caracterizando um importante preditor de prescrição inadequada e potenciais riscos de iatrogenia na assistência geriátrica. Nesse sentido, polifarmácia associa-se à piora do estado físico e mental do paciente, torna-o mais susceptíveis à morbidade, à mortalidade e à maior utilização dos serviços de saúde. Evidencia-se assim, como ferramenta intervencionista, a desprescrição, definida como processo sistemático de redução ou suspensão de medicamentos com o objetivo de reduzir a polifarmácia e melhoras os desfechos de saúde dos idosos. Considera-se então, de acordo com evidencias observacionais, protocolos de intervenção que coadune na verificação das medicações em uso pelo paciente, avalie os riscos individuais e as potenciais reações adversas dos fármacos, priorize medicações a serem descontinuadas e, por fim, implementa a descontinuação, acompanhando o paciente a longo prazo. Desse modo, a desprescrição aplicada à polifarmácia traz à tona considerações de grande relevância sobre a melhora clínica e funcional dos pacientes, favorecendo a qualidade de vida do idoso e proporcionando-o menor vulnerabilidade a reações adversas.


Keywords


Polifarmácia, Desprescrição

References


World Health Organization. Medication Without Harm – Global Patient Safety Challenge on Medication Safety. Geneva: World Health Organization, 2017

Lucchetti G, Granero AL, Pires SL, Gorzoni ML. Fatores associados à polifarmácia em idosos institucionalizados. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro, 2010; 13(1):51-58

McGrath K, Hajjar ER, Kumar C, Hwang C, Salzman B. Deprescribing: A simple method for reducing polypharmacy. J Fam Pract. 2017 Jul;66(7):436-445

Donis ACG, Oliveira HSB, Sousa JRP. Prescrição medicamentosa potencialmente inapropriada (PMPI): aplicação dos critérios de Beers 2015 em um grupo de idosos do setor suplementar de saúde. Monografia. São Paulo: Centro Universitário São Camilo; 2017.

Vera ECBA. Terapia medicamentosa do idoso: fatores de influência [dissertação]. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica, Programa de Estudos Pós-graduados em Gerontologia; 2017.

Rozenfeld S. Prevalência, fatores associados e mau uso de medicamentos entre os idosos: uma revisão. Rev Saude Publica 2003; 19(3):717-24.

Lima GB et al. Uso de medicamentos armazenados em domicílio em uma população atendida pelo Programa Saúde da Família. Ciênc. & Saúde Coletiva. v.15, supl.3, p.3517-3522, 2010.

Pereira KG et al. Polifarmácia em idosos: um estudo de base populacional. Rev Bras Epidemiol Abr-Jun 2017; 20(2): 335-344

Bueno CS et al . Perfil de uso de medicamentos por idosos assistidos pelo Programa de Atenção ao Idoso (P.A.I.) da UNIJUÍ. Rev. Bras. Ger. Gerontol., Rio de Janeiro, v.15, n.1, p.51-61, 2012.

Scott IA, Hilmer SN, Reeve E, et al. Reducing Inappropriate Polypharmacy: The Process of Deprescribing. JAMA Intern Med. 2015;175(5):827–34.

Garfinkel D, Ilhan B, Bahat G. Routine deprescribing of chronic medications to combat polypharmacy. Therapeutic Advances in Drug Safety. 2015; 6(6), 212–33.

Mukete BN, Keith C, Ferdinand MD, FACC FAHA. Polypharmacy in older adults with hypertension: a comprehensive review. J Clin Hypertens (Greenwich). 2016;18(1):10-8.

Fulton MM, Allen ER. Polypharmacy in the elderly: a literature review. J Am Acad Nurse Pract 2005 Apr; 17(4): 123-32.

Casey Carroll, MD; Ahmed Hassanin, MD. Polypharmacy in the Elderly – When Good Drugs Lead to Bad Outcomes. A Teachable Moment. Clinical Review & Education. JAMA Internal Medicine Published online April 24, 2017.

Secoli SR. Polifarmácia: interações e reações adversas no uso de medicamentos por idosos. Rev Bras Enferm. 2010;63(1):136-40.

Sharma, Manvi et al. Polypharmacy and potentially inappropriate medication use in geriatric oncology. J Geriatr Oncol. 2016 Sep;7(5): 346-53

Gomes HO, Caldas CP. Uso inapropriado de medicamentos pelo idoso: Polifarmácia e seus efeitos. Rev. HUPE, UERJ, Ano 7, p.88-99, 2008.

Lucchetti G et al. Fatores Associados ao uso de psicofármacos em idosos asilados. Rev. Psiquiatr. RS, v.32, n.2, p.38-43, 2010.

Steinman MA, Hanlon JT. Managing medications in clinically complex elders: “there’s got to be a happy medium”. JAMA. 2010;304(14):1592-1601.

Primary Health Tasmania. Deprescribing resources. Disponível em: . Acesso em: 18 fev. 2021

Bruyère Research Institute. Deprescribing Guidelines and Algorithms. Disponível em:

Acesso em: 22 fev. 2021

Marinho CL, Nascimento V, Bonadiman BSR, Torres SRF. Causes and consequences of fall among elderly people at home. Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, v.3, n.3, p. 6880-6896, 2020.

O’mahony D, O’sullivan D, Byrne S, O’connor MN, Ryan C, Gallagher P. STOPP/START criteria for potentially inappropriate prescribing in older people: Version 2. Age Ageing. 2015;44(2):213–218. doi:10.1093/ageing/afu145




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-070

Refbacks

  • There are currently no refbacks.