A influência da alimentação no tratamento da doença de alzheimer / The influence of food in the treatment of alzheimer's disease

Carolina de Souza Balbino

Abstract


A doença de Alzheimer (DA) é um distúrbio neurodegenerativo causado pela deposição excessiva da proteína b-amilóide no cérebro. O b-amilóide é formado durante o processamento da proteína precursora do amilóide, um composto que pode participar da manutenção da integridade e da regulação sináptica (JONES JR, 2006). Em geral, o primeiro aspecto clínico é a deficiência da memória recente, enquanto as lembranças remotas são preservadas até um certo estágio da doença. A doença de Alzheimer (DA) vem atingindo grande parte da população, ela acomete principalmente indivíduos a partir dos 65 anos. Pesquisas apontam que um estilo de vida mais saudável pode ajudar a reduzir o risco desta e outras demências. A influência dos aspectos nutricionais no processo de neurodegeneração vem sendo estudada desde sua participação protetora até a sua possível ação no retardo das disfunções e alterações degenerativas. Este estudo vem da demanda de oferecer informações para melhora da qualidade de vida de indivíduos acometidos pela doença de Alzheimer. Foi realizada uma revisão bibliográfica. Para tanto serão utilizadas como fonte de pesquisa livros, dissertações, teses e artigos científicos em sites especializados no período de 2005 ao ano corrente, com o objetivo de verificar a produção cientifica relacionada ao cuidado nutricional do paciente com Alzheimer. Estudos apontam que há ligações, ainda que não muito significativas, entre a alimentação e Alzheimer, são necessários mais estudos nesta área para que haja mais evidencias que comprovem se essa ligação pode ser significativa ou não.

Keywords


Alzheimer, nutrição

References


Middleton, L.E.; Yaffe, K. Promising Strategies for the Prevention of Dementia. Archives of Neurology, 66,1210-1215.2009.Disponível em Acesso em; 13 out. 2018

Alzheimer Society of Canada. Alzheimer fatores de risco. Disponível em: . Acesso em: 13 out. 2018.

ÁVILA et al. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. I Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq. Bras. Cardiol. São Paulo, v. 95, n. 1. p.4, 2010.Disponível em: Acesso: em: 13 out. 2018.

BARBOSA, S. A.; CAMBOIM, F. E. F. Diabetes mellitus: cuidados de enfermagem para controle e prevenção de complicações. Temas em Saúde. v. 16, n. 3, 2016.

BORGHI, Ana Carla et al. Qualidade de vida de idosos com doença de Alzheimer e de seus cuidadores. Revista Gaúcha de Enfermaria. Porto Alegre, v. 32, n. 4, p. 751-758. Dec. 2011.

BUSNELLO, F. Aspectos Nutricionais No Processo Do Envelhecimento. São Paulo: Atheneu, 2007. 292p.

CARRETTA, M.; SCHERER, S. Perspectivas atuais na prevenção da doença de Alzheimer. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento, Porto Alegre, v. 17, n. 1, p. 37-57, 2012.

CECÍLIO, A; OLIVEIRA, J. Educação Nutricional Para Idosos Intitucionalizados no Recanto Nossa Senhora do Rosário em Limeira, SP. Estudo Interdisciplinar do envelhecimento. Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 413-426, 2015

CORREIA, A; FILIPE, J; SANTOS, A; GRAÇA, P. Nutrição e Doença de Alzheimer. Disponível em: Acesso: em: 13 out. 2018.

COUTINHO, C. As influências da prática de atividade física nas funções cognitivas em idosos. Lecturas: Educación Física y Deportes, Buenos Aires. n. 118, p. 1-1, 2008.

ESPIRITO-SANTO, H; DANIEL. Trajetos do Envelhecimento Perspectivas Teóricas e Empíricas. Coimbra: imprensa universidade de Coimbra, 2019. 395p.

FALCO, A. et al. Doença de Alzheimer: hipóteses etiológicas e perspectivas de tratamento. Quím. Nova, São Paulo, v. 39, n. 1, p. 63-80, Jan. 2016. Disponível em . access on 19 Nov. 2019.

GREGORIO, E. et al. Nutritional and hematological factors associated with the progression of Alzheimer's disease: a cohort study. Revista Associação Medica Brasileira. São Paulo, v.65, n.2.p.222-231, fev.2019 Disponível em . Acesso em 30 jun. 2019.

GUERREIRO R. HARDY J. Genetics of Alzheimer’s disease. Neurotherapeutics. 2014. HUANG, Y.; MUCKE, L. Alzheimer mechanisms and therapeutic strategies. Cell. San Francisco, p. 1204-1222, 2012.

JONES JR, H. HOYDEN. Neurologia de Netter.1.ed.Porto Alegre: Artmed, 2006. 1008 p.

MACHADO, J. et al. Estado nutricional na doença de Alzheimer. Revista Associação Medica Brasileira. v.55, n.2, p.188-191, 2009.

MAHAN, L. K.; ESCOTT- STUMP, S. Alimentos nutrição & dietoterapia. 13. Ed. Rio de Janeiro, 2012.

MATIOLI, M. Associação entre diabetes mellitus e demência: estudo neuropatológico. 2016. Tese (Doutorado em Neurologia) - Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. doi:10.11606/T.5.2016.tde-18112016-111336. Acesso em: 03 set. 2018.

MEDEIROS, G. et al. Perfil nutricional de idosos portadores de Alzheimer atendidos em homecare. Revista Brasileira de Neurologia. v.52 n.4. Out/Nov/Dez 2016.

PRINCE, M. et al. Dementia and Risk Reduction. Alzheimer’s Disease International. London, Sept. 2014.

PRINCE, M. et al. The global impact of dementia. Alzheimer’s Disease International. London, Oct. 2015.

RADOVANOVIC, C.A; SANTOS, L; CARVALHO, M.D; MARCON, S. Hipertensão arterial e outros fatores de risco associados às doenças cardiovasculares em adultos. Rev. Latino-Am. Enfermagem, São Paulo, v.22 n.4 p. 547-553, jul.-ago. 2014.

RÉQUIA, C.; OLIVEIRA, V. Aspectos Fisiológicos e Nutricionais na Doença de Alzheimer. Revista Nutrição em Pauta, São Paulo, n.80. Out. 2006.

SERENIKI, A; VITAL, M.A. A doença de Alzheimer: aspectos fisiopatológicos e farmacológicos. Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul, v.30 n.1 p. 2008.

SILVA, S; OLIVEIRA, S; PIERIN, A.M. O controle da hipertensão arterial em mulheres e homens: uma análise comparativa. Arquivo Brasileiro de Cardiologia. vol.95 no.1 supl.1 São Paulo, 2010.

WESCHENFELDER MAGRINI, D; GUE MARTINI, J. Hipertensão arterial: principais fatores de risco modificáveis na estratégia saúde da família. Revista Electrónica Trimestral de Emfermaria.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-055

Refbacks

  • There are currently no refbacks.