Contato pele a pele: estrutura e adequação hospitalar / Skin to skin contact: hospital structure and fitness

Amanda Araújo Lana, Mateus Oliveira Marcelino, Érika Marina Rabelo

Abstract


Objetivo: Analisar o grau de adequação os aspectos da estrutura de uma maternidade pública de Belo Horizonte relacionados à prática do contato pele a pele na primeira hora de vida. Método: Trata-se de um estudo transversal de abordagem quantitativa na perspectiva da análise do grau de adequação. Foram entrevistados gestores e trabalhadores. Os requisitos de estrutura avaliados foram: infraestrutura, disponibilidade de recursos humanos e capacitação profissional. Na estimativa do grau de adequação utilizou-se uma matriz de análise. Resultado:      Na matriz de Julgamento foi demonstrada quanto ao requisito infraestrutura, apresentou o grau de adequação incipiente.  O requisito capacitação profissional e recursos humanos foram classificadas com adequação satisfatória. Conclusão: Neste estudo, revelou que a estrutura da maternidade para realizar a prática do contato pele a pele na primeira hora de vida na perspectiva de gestores e profissionais de saúde está com a adequação satisfatória. No entanto, faz-se necessário melhorias nos requisitos da estrutura física e capacitação dos profissionais para o aperfeiçoamento do cuidado com a mãe e recém-nascido na manutenção desta prática.

Portanto, o resultado deste estudo contribui para que os gestores da neonatologia e obstetrícia possam compreender requisitos que precisam ser adequados para ter decisões mais assertivas.

 


Keywords


Amamentação, Pós-parto, Pele a pele

References


UNICEF, Organização Mundial de Saúde, Capturar el momento: Início temprano de la lactancia materna: El mejor comienzo para cada recién nacido. Nova Iorque: UNICEF, 2018.< HTTPS://WWW.UNICEF.ORG/SPANISH/PUBLICATIONS/INDEX_102949.HTML>

Karimi FZ, Sadeghi R, Saghooni NM, Khadivzadeh T. The effect of mother-infant skin to skin contact on success and duration of first breastfeeding: A systematic review and meta-analysis. Taiwanese Journal of Obstetrics and Gynecology. January 2019; 58:1-9. < HTTPS://PUBMED.NCBI.NLM.NIH.GOV/30638460/>

Silva CM, Pereira SCL, Passos IR, Santos LC. Fatores associados ao contato pele a pele entre mãe/filho e amamentação na sala de parto. Rev. Nutr., Campinas, Aug. 2016, 29(4):457-471.

Antunnes MB, Demitto MO, Soares LG, et al. Amamentação na primeira hora de vida: conhecimento e prática da equipe multiprofissional. Rev Av Enferm. 2017;35(1):19-29 < https://docs.bvsalud.org/biblioref/2020/09/888398/amamentacao-na-primeira-hora-de-vida-conhecimento-e-pratica-da-_KSofH2H.pdf>

Güleroğlu FT, Mucuk S, Özgürlük I. The effect of mother-infant skin-to-skin contact on the involution process and maternal postpartum fatigue during the early postpartum period. Women Health. Dec 2019; 26:1-12 < https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31878845/>

Ludington-Hoe SM. Skin-to-Skin Contact: A Comforting Place With Comfort Food. MCN Am J Matern Child Nurs. 2015 Nov-Dec;40(6):359-66.

Oliveira DS, Boccolini CS, Faerstein E, Verly-Jr E. Duração do aleitamento materno e fatores associados entre 1960 e 2000. J. Pediatr. (Rio J.) Apr 2017, 93( 2 ): 130-135.< https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0021-75572017000200130&lng=en&nrm=iso&tlng=pt>

Hartz ZMA. Avaliação em Saúde: dos modelos conceituais à prática na análise da implantação de programas. 1. ed. Rio de Janeiro: Fio Cruz, 1997 < http://books.scielo.org/id/3zcft>

Moraes JT, Amaral CFS, Borges EL, Ribeiro MS, Guimarães EAA. Avaliação da implantação do Serviço de Atenção à Saúde das Pessoas Estomizadas. REME – Rev Min Enferm. 2017 < http://reme.org.br/artigo/detalhes/1153>

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Atenção humanizada ao recém-nascido: Método Canguru: manual técnico / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – 3. ed. – Brasília: Ministério da Saúde, 2017 < https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_humanizada_metodo_canguru_manual_3ed.pdf>

Portes VM, Dallegrave D. Cargos de Gestão em Saúde: a (in)visibilidade de Gênero, Raça e Profissão. Saúde em Redes. 2020; 6(2):137151

Borges TMB, Detoni PP. Trajetórias de feminização no trabalho hospitalar. Cad. Psicol. Soc. Trab, 2017

Duryea, LD, Nelson DB, Wyckoff MH, et al. The impact of ambient operating room temperature on neonatal and maternal hypothermia and associated morbidities: a randomized controlled trial. American journal of obstetrics and gynecology, v. 214, n. 4, p. 505. e1-505. e7, 2016. < https://www.ajog.org/article/S0002-9378(16)00286-6/abstract>

Trevisanuto D, Testoni D, Almeida MFB. Maintaining normothermia: Why and how? Seminars in Fetal and Neonatal Medicine, 2018

Organização Pan-Americana da Saúde. Além da Sobrevivência: Práticas integradas de atenção ao parto, benéficas para a nutrição e a saúde de mães e crianças. Washington, D.C.: OPS ©2007 < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/alem_sobrevivencia_praticas_integradas_atencao.pdf>

Iniciativa Hospital Amigo da Criança: revista, atualizada e ampliada para o cuidado integrado: módulo 2: fortalecendo e sustentando a iniciativa hospital amigo da criança: um curso para gestores / Fundo das Nações Unidas para a Infância, Organização Mundial da Saúde. – Brasília: Ministério da Saúde, 2009.< https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/biblioteca/ihac-modulo-2-um-curso-para-gestores/>

Silva JLP, Linhares FMP, Barros AA, Souza AG, Alves DS, Andrade PON. Fatores associados ao aleitamento materno na primeira hora de vida em um hospital amigo da criança. Texto contexto - enferm. vol.27 no.4 Florianópolis 2018 < https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072018000400325>

Franchi JVO, Pelloso SM, Ferrari RAP, Cardelli AAM. A estrutura de maternidades como indicador de segurança materna. Cienc Cuid Saude 2019 Out-Dez 18(4) e45049

Genovesi FF, Canario MASS, Godoy CB, Maciel SM, Cardelli AAM, Ferrari RAP Atenção à saúde materno-infantil: índice de adequação em serviços públicos de saúde. Rev. Bras. Enferm. vol.73 supl.4 Brasília 2020 < https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S003471672020001600154&script=sci_arttext&tlng=pt>

Hausmann, Peduzzi M. Articulação entre as dimensões gerencial e assistencial do processo de trabalho do enfermeiro. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2009 Abr-Jun; 18(2): 258-65 < https://www.scielo.br/pdf/tce/v18n2/08>




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-042

Refbacks

  • There are currently no refbacks.