Estudo epidemiológico de nascidos vivos com Espinha Bífida no Brasil/ Epidemiological study of live births with Spina Bifida in Brazil

Júlia Reis Campos, João Vitor Oliveira Souto, Lara Cândida de Sousa Machado

Abstract


Defeitos do tubo neural são malformações congênitas decorrentes de uma alteração no seu fechamento durante o período gestacional. A Espinha Bífida é a malformação mais comum, de uma característica multifatorial, resultando no fechamento incompleto do tubo neural. Pode ser classificada em aberta ou oculta, e dentro das lesões abertas pode ser subdividida em Mielomeningocele e Meningocele. O pré-natal é a principal ferramenta para prevenção, diagnóstico precoce, tratamento e acompanhamento médico para neonatos com essa condição. Trata-se de um estudo epidemiológico descritivo sobre casos de nascidos vivos com Espinha Bífida de 2014 a 2018 no Brasil. Foram utilizados como referência as bases de dados da Scielo, PubMed e Medline, além da análise de dados proveniente do DATASUS. O objetivo do estudo foi apresentar a prevalência de casos de Espinha Bífida em nascidos vivos no Brasil, e a relação entre idade gestacional e sexo dos neonatos. De acordo com dados coletados entre os anos avaliados, a incidência foi de 7/10.000 nascidos vivos, sendo o maior número de casos notificados na região sudeste do país, maior taxa de nascimentos em gestações a termo, e o número de casos do sexo masculino foi superior ao feminino, assim como a raça branca foi mais acometida em relação a outras raças.


Keywords


Espinha Bífida, Congênito, Defeitos do Tubo Neural.

References


VENTURA, B.D.; FONSECA, B.F.; SANTOS, B.M.C.; MENEGHETE, A.R.; CHAVES, F.H.V.; ROCHA, L.H.L.; MATA, W.S.; KASHIWABARA, T.B.; ROCHA, LLV. Relação da Espinha Bífida e os fatores socioeconômicos. Centro Universitário de Caratinga. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research – BJSCR; Vol.13, n.4, pp.23-27; 2016.

PEREIRA-MATA, R.; FRANCO, A.; GAGO, C.; PACHECO, A. Prenatal diagnosis of neural tube defects. Centro Hospitalar Universitário do Algarve. Acta Obstet Ginecol Port;12(2):134-144; 2018.

FREIRE, V.R.B.P.; SILVA, S.S.C.; PONTES, F.A.R.; RAMOS, M.F.H.; CASTRO, F.F.S. Family of People with Spina Bifida: Goals and Strategies. Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde, SPPS. Psicologia, Saúde e Doenças; 18(2), 602-613; 2017.

NELSON. Tratado de Pediatria - Richard E. Behrman, Hal B. Jenson, Robert Kliegman. 18ª Edição. Elsevier. 2011.

BRONZERI, F.G.; FARIA, T.S.; SILVA, F.S.A.; COIMBRA, P.C.F.C.; FRANGELLA, V.S. Mielomeningocele e nutrição: proposta de protocolo de atendimento. O Mundo da Saúde, São Paulo; 35(2):215-224; 2011.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Programa Nacional de Triagem Neonatal. Disponível em: https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/doacao-de-sangue/programa-nacional-de-triagem-neonatal-pntn.

OMS. Diretriz: Suplementação diária de ferro e ácido fólico em gestantes. Genebra: Organização Mundial de Saúde; 2013.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos, SINASC, 2020. Acesso à Informação, DATASUS. Disponível em: https://datasus.saude.gov.br/nascidos-vivos-1994-a-2017/.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n3-008

Refbacks

  • There are currently no refbacks.