O impacto da atuação das unidades básicas de saúde na vida de pacientes em tratamento de hipertensão aterial sistêmica / The impact of the performance of basic health units on the life of patients under treatment of systemic arterial hypertension

Amanda Goia

Abstract


Objetivo: este trabalho teve como objetivo realizar um levantamento epidemiológico do número de casos de hipertensos, assim avaliando a patologia crônica hipertensão (HAS), que está ligada aos níveis pressóricos, constantemente elevados, esse descontrole corrobora para o surgimento de diversas outras doenças cardiovasculares conhecidas (DAC), em especial para o desenvolvimento da Insuficiência Cardíaca (IC). Frente a isso observamos que a atuação de uma UBS (Unidade Básica de Saúde) influência de forma positiva na vida de pacientes em tratamento, seja na resolução do problema ou até informando e prevenindo danos maiores. Metodologia: Levantamento do número de casos de pacientes hipertensos em tratamento, que estavam cadastrados nas bases de dados públicos e que frequentavam o atendimento com periodicidade, durante o período de 1 ano permitindo avaliar a evolução e/ou controle do seu quadro clínico. Resultados: Expresso em média, a partir de 27 casos encontrados, para as seguintes variáveis: Idade 61 anos; Peso de 91,200 kg; Altura de 179cm e IMC de 33,0 Kg/m2 ; Pressão Arterial Sistólica/Pressão Diastólica (PAS/PAD) de 160/100 mmHg, resultados evidenciados no momento que descobriram a patologia, após atendimento periódico de 12 meses na UBS foram identificados os seguintes resultados, expresso em média: Peso de 83,200 Kg e IMC de 27,5 Kg/m2, PAS/PAD de 134/82 mmHg. Conclusão: Portanto observa-se uma necessidade e influência direta da presença da UBS na vida de pacientes, sabendo que a  conscientização em saúde é o  primeiro passo, sendo desenvolvida a partir de campanhas, grupos de palestra, instalação de  programas de assistência como: Hiperdia, além da importância efetiva do tratamento e distribuição de medicamentos, que além de minimizar problemas futuros, reduz gastos com outras patologias.


Keywords


Hipertensão, tratamento e unidade básica de saúde

References


Sala Arnaldo , Avaliação da efetividade do controle da hipertensão arterial em unidade básica de saúde, Rev. Saúde Pública, 30 (2): 161-7, 1996, Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Silva, Simone P , ARTIGO ORIGINAL, Prática de grupo educativo de hipertensão arterial em uma unidade Básica de Saúde, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto – FAMERP (1)

Scielo consenso, III Consenso Brasileiro de Hipertensão Arterial, Sociedade Brasileira de Hipertensão, Sociedade Brasileira de Cardiologia, Sociedade Brasileira de Nefrologia( 2)

Urbana Maria , Exercício físico como tratamento não-farmacológico da hipertensão arterial, Revista Brasileira Hipertensão 10: 134-139, 2003 (3)

Lopez, Louisy Oliveira , Tratamento não medicamentoso para hipertensão arterial, Enfermagem em Cardiologia do Instituto de Ensino Superior de Londrina – INESUL. 2009 (4)

SCHEFFER, G, H. Tratamento não medicamentoso da hipertensão arterial. Hospital do Coração de Curitiba. 2011. (5)

RONDON, M, U, P.; BRUM, P, C. Exercício físico como tratamento não farmacológico da hipertensão arterial. Revista Brasileira de Hipertensão Arterial. 2003. (6)

Distúrbios Metabólicos e Adiposidade em uma População Rural, artigo original, Arq Bras Endrocrinol Metab 2008;52/3. Acesso em 2020/4 (7)

SILVA, Grazielle Roberta Freitas da; DOURADO, Cinthia Souto; MACÊDO-COSTA, Kátia Nêyla de Freitas; OLIVEIRA, Jacira Dos Santos; LEADEBAL, Oriana Deyze Correia Paiva. Adesão ao tratamento de idosos com hipertensão em uma unidade básica de saúde de João Pessoa, Estado da Paraíba. Acta Scientiarum. Health Science, vol. 33, nº 1, 19 maio 2011. DOI 10.4025/actascihealthsci.v33i1.7708. Disponível em: http://dx.doi.org/10.4025/actascihealthsci.v33i1.7708. (8)

Assunção TS, Ursine PGS. Estudo de fatores associados à adesão ao tratamento não farmacológico em portadores de diabetes mellitus assistidos pelo ProgramaSaúdedaFamília,Ventosa,BeloHorizonte. Cienc Saude Colet. 2008; 13(Sup 2):2189-97. (9)

Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe ,Fatores associados à adesão ao tratamento anti-hipertensivo em unidade básica de saúde* , artigo original, (10)

Demoner, Márcia Simonia, de Paula Ramos, Edivan Rodrigo, Ramos Pereira, Eliane Fatores associados à adesão ao tratamento anti-hipertensivo em unidade básica de saúde. Acta Paulista de Enfermagem [en linea]. 2012, 25(1), 27-34[fecha de Consulta 9 de Marzo de 2021]. ISSN: 0103-2100. Disponible en: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=307026828005 (11)

Marchi-Alves LM, Rigotti AR, Nogueira MS, Cesarino CB, Godoy S. Componentes da síndrome metabólica na hipertensão arterial. Rev Esc Enferm USP 2012; 46(6):1348-53. Disponível em: Acesso em: 09 março 2021 (12)




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-417

Refbacks

  • There are currently no refbacks.