Uso de toxina botulínica na terapia da espasticidade de transtornos neurológicos: relato de caso / Botulinum toxin use in spasticity therapy of neurological disorders: a case report

Rodolfo Israel Rêgo Sousa, Graça Maria Lopes Mattos, Natália de Castro Corrêa, Cayara Mattos Costa, César Augusto Abreu -Pereira, Rosana Costa Casanovas

Abstract


O trabalho tem como objetivo relatar um caso clínico com o uso de Toxina Botulínica (TB) tipo A em paciente portador de espasticidade e autofagia. Paciente do gênero masculino, 43 anos, internado em enfermaria de Hospital de Alta Complexidade em São Luís, com diagnóstico de sequela de Acidente Vascular Cerebral isquêmico. Apresentando decorticação, espasticidade e hipertonia intensa com autofagia em lábio inferior, que causou traumatismo por mordedura. Foi proposta a terapia com o uso de duas aplicações de TB na região do músculo masseter. O paciente apresentou excelente resposta entre 24 e 48h e melhora do quadro pelas aplicações. A terapia com TB reduziu os episódios de contração muscular involuntária, possibilitando a involução da autofagia e lesão traumática de lábio. As ações terapêuticas não invasivas, quando possíveis, auxiliam da prevenção de novas lesões por automutilação e podem ser bastante eficientes. A presença de cirurgião-dentista capacitado em uso de TB nas equipes multiprofissionais hospitalares pode melhorar a qualidade de vida de pacientes submetidos a cuidados paliativos bem como auxiliam em práticas simples como ajuste de próteses mal adaptadas, instalações que protegem o paciente de sentir dor ou desconfortos inerentes a sua condição de pacientes internados, vulneráveis a maiores complicações.


Keywords


Espasticidade Muscular, Toxina Botulínica Tipo A, Equipe Hospitalar de Odontologia.

References


Teive HAG, Zonta M, Kumagai Y. Tratamento da Espasticidade. Arq Neuropsiquiatr. 1998;56(4):852-858

Brin MF. Treatment of spasticity using local injections of botulinum toxin. Skills Workshop Series Seattle: American Academy of Neurology. 1995

Young RR. Physiologic and pharmacologic approaches on spasticity. In Scheimberg L, Shahani BT (eds). Neurologic rehabilitation. Philadelphia: Neurologic Clinics, W.B. Saunders 1987;5:529-539

Mayer NH. Clinicophysiologic concepts of spasticity and motor dysfunction in adults with an upper motoneuron lesion. Muscle & Nerve. 1997;6(Suppl):S1-S13

Sírio Libanês. Dor e distúrbios de movimento. Disponível em: https://www.hospitalsiriolibanes.org.br/hospital/ especialidades/nucleo-avancado-dor-disturbios-movimentos/Paginas/espasticidade

Lianza S, Pavan K, Lourenço AF, Fonseca AP, Leitão AV, Musse CAI et al. Diagnóstico e Tratamento da Espasticidade. Projeto Diretrizes. 2001;11:1-12

Lianza S, Pavan K, Lourenço AF, Fonseca AP, Leitão AV, Musse CAI et al. Consenso Nacional Sobre Espasticidade: Diretrizes para Diagnóstico e Tratamento. Brasil: Sociedade Brasileira de Medicina Física e de Reabilitação. São Paulo: Claúdio Gomes. Disponível em: http://spmfr.org.br/Download/Consenso.pdf

Mizrahi EM, Angel RW. Prejuízo do movimento voluntário pela espasticidade. Ann Neurol. 1979;5:494-495

Brin MF. Treatment of spasticity using local injections of botulinum toxin. Skills Workshop Series Seattle: American Academy of Neurology. 1995

Gracies JM, Elovic, E, McGuire J, Simpson D. Traditional pharmacological treatments for spasticity. Part I. Local treatments. Muscle & Nerve 1997;6(Suppl):S61-S91.

Brin MF. Interventional neurology: treatment of neurological conditions with local injection of botulinum toxin. Arch Neurobiol. 1991;54:7-23.

Pullman SL, Greene P, Fahn S, Pederson SF. Approach to the treatment of limb disorders with botulinum toxin. Arch Neurol. 1996;53:617-624

Bobath B. Hemiplejia del adulto: valoracion e tratamiento. Buenos Aires: Panamericana; 1973.

Johnstone M. Home care for the stroke patient living in a pattern. 3.Ed. New York: Churchill Livingstone; 1996.

Davies, PM. Recomeçando outra vez: reabilitação precoce após lesão cerebral traumática ou outra lesão cerebral severa. São Paulo: Manole; 1997

Cash JE. Neurologia para fisioterapeutas. Buenos Aires: Panamericana; 1986

Gelber DA. Approach to the management of generalized spasticity. Boston: American Academy of Neurology; 1997

AACD, ABPC, Allergan. Workshop: Toxina botulínica. São Paulo; 1997

Carvalho MF, Alcântara APSL. Utilização da toxina botulínica em desordens temporomandibulares: uma revisão sistemática. Brazilian Journal of Health Review, 2020, 3(6): 19160-19168.

Silva IO, Amaral FR, Cruz PMda, Sales TO. A importância do cirurgião-dentista em ambiente hospitalar. Rev Med Minas Gerais. 2017;27:1-5

Mattevi GS, Figueiredo DR, Patrício ZM, Rath IBS. A participação do cirurgião-dentista em equipe de saúde multidisciplinar na atenção à saúde da criança no contexto hospitalar. Cienc Saúde Coletiva. 2011;16(10):4229-36

Souza AF, Guimaraes AC, Ferreira EF. Avaliação da implementação de novo protocolo de higiene bucal em um centro de terapia intensiva para prevenção de pneumonia associada a ventilação mecânica. REME. 2013;17(1):177-84

Dressler D; Saberi FA, Barbosa ER.Toxina botulínica: mecanismos de ação. Arq. Neuro-Psiquiatr. 2005;63(1):180-185

BRASIL. Decreto-lei No 5.081, de 24 de agosto de 1966. O exercício da Odontologia no território nacional. Diário Oficial da União: Brasília, DF. 1966.

Portal do conselho de Secretarias Municipais de Saúde [homepage na internet]. Portaria nº 1398/PROGEPE, de 06 de maio de 2020 [acesso em: 20/08/2020]. Disponível em: https://www.cosemsrn.org.br/wpcontent/uploads/2017/06/portaria 1398-ok.pdf

Picelli A et al. Adjuvant treatments associated with botulinum toxin injection for managing spasticity: An overview of the literature. Ann. Phys. Rehabil. Med. 2018;62(4):291-296

Hess D, Nishiwaki J, Liberatori MF, Eichinger FLF, Soares AV. Modalidades de tratamento da espasticidade uma revisão de literatura. Cad. Edu Sáude E Fis. 2017;4(7):46–56

Cosgrove AP, Corry IS, Graham HK. Botulinum Toxin in the Management of the lower limb in Cerebral Palsy. Dev. Med. Child Neurol. 1994;36(5):386-396

Foley N et al. Treatment with Botulinum Toxin improves upper-Extremity Function post stroke: A Systematic Review and Meta-Analysis. Arch. Phys. Med. Rehabil. 2013;94(5):977–989

Camargo CHF et al. Botulinum toxin type A in the treatment of lower-limb spasticity in children with cerebral palsy. Arq. Neuropsiquiatr. 2009;67(1):62-68

Safarpour Y, Mousavi T, Jabbari B. Botulinum Toxin Treatment in Multiple 60 Sclerosis—a Review. Curr. Treat. Options Neurol. 2017;19(10):33

Sampaio C, Ferreira JJ, Pinto AA, Crespo M, Ferro JM, Castro-Caldas A. Botulinum toxin type A for the treatment of arm and hand spasticity in stroke patients. Clin. Rehabil. 1997;11(1):3–7

Wissel J et al. Management of spasticity associated pain with Botulinum Toxin A. J. Pain Symptom Manage. 2000;20(1):44-49

Shaikh A, Phadke CP, Ismail F, Boulias C. Relationship between Botulinum Toxin, Spasticity, and Pain: A Survey of Patient Perception. Can. J. Neurol. Sci. 2015;43(2):311–315

Roze S, Kurth H, Hunt B, Valentine W, Marty R. Evaluation of the cost per patient per injection of botulinum toxin a in upper limb spasticity: Comparison of two preparations in 19 countries. Medical Devices: Evidence and Research. 2012;5:97-101

Shackley P et al. Cost-effectiveness of treating upper limb spasticity due to stroke with botulinum toxin type a: Results from the botulinum toxin for the upper limb after stroke (BoTULS) trial. Toxins (Basel). 2012;4(12):1415-1426.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-408

Refbacks

  • There are currently no refbacks.