Estresse e ansiedade estado em atletas profissionais de futebol masculino lesionados e não lesionados da Cidade de Maringá –PR / Stress and state anxiety in male soccer athletes injured and non-injured of Maringá – PR

Paulo Vitor Suto Aizava, Marcio Cristiano dos Santos Rodrigues, Ana Flávia Lopes Freitas -Silva, Caroline Carneiro Xavier, Daniel Vicentini de Oliveira, Igor Fabricio dos Santos Oliveira, Jaqueline Gazque Faria, Lenamar Fiorese

Abstract


A reabilitação de um atleta não é algo simples de lidar, devido à grandes influências negativas. Desta forma este estudo teve por objetivo analisar os níveis de estresse e ansiedade estado de atletas de futebol masculino lesionado e não lesionados da cidade de Maringá- PR. Foram analisados 30 atletas de Futebol com idade entre 18 e 27 anos e do sexo Masculino, sendo 16 lesionados e 14 não lesionados. Os instrumentos utilizados foram: Ficha de Identificação do atleta, Escala de percepção de estresse 10 e Inventário de Estado de Ansiedade Competitiva 2 (CSAI-2.). A coleta de dados foi realizada em uma clínica de fisioterapia e um clube de futebol da cidade de Maringá – PR. A análise dos dados ocorreu através de estatística descritiva e inferencial (Mediana e intervalo interquartílico) utilizando os testes, Shapiro wilk, Teste “U” de Mann- Whitnney, correlação de Spearman e coeficiente Alpha de Cronbach (p < 0,5). A partir de todas as informações obtidas através da análise de dados, pode-se concluir que atletas lesionados possuem níveis de estresse e ansiedade maiores que os não lesionados sendo necessário seu controle em um processo de reabilitação.

 


Keywords


Ansiedade, Estresse, Futebol, Lesão, Reabilitação.

References


Alves RN, Costa LOP, Samulski DM. Monitoramento e prevenção do supertreinamento em atletas. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, 2006, vol. 12, n.5, p. 291- 296.

Carvalho RC. Aspectos psicológicos das lesões Desportivas: Prevenção e tratamento. O Portal dos Psicólogos, 2009.

Castillo AR, Recondo R,; Asbahr FR, Manfro GG. Transtornos de ansiedade. Revista Brasileira Psiquiátrica, Porto Alegre, 2000, Supl. II, p. 20-23.

Coelho E, Vasconcelos-Raposo J, Fernandes H. Análise factorial confirmatória da versão portuguesa do CSAI-2. rev. Motricidade, 3(3), 73-82, 2007.

Freire VM, Pereira ME. Crenças estereotipadas acerca de atletas que sofreram lesões. Revistas Ciências e Cognição, 2009, Rio de Janeiro, v.14, n.2.

Junior DR, Vasconcellos EG. Ansiedade traço competitiva e atletismo: Um Estudo Com Atletas Infanto-Juvenis. Revista Paul. Educ. Fis. São Paulo,1997

Júnior JV, Assis TO. Lesões em atletas de futebol profissional de um clube da cidade de Campina Grande, no Estado da Paraíba. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, 2010, Campina Grande, ano8, nº 26.

Lavoura TN, Zanetti MC, Machado AA. Os estados emocionais e a importância do treinamento psicológico no esporte. Motriz, Rio Claro, 2008, v.14 n.2, p. 115- 123.

Nunes CRO, Jaques M, Almeida FT, Heineck GIU. Processos e intervenções psicológicas em atletas lesionados e em reabilitação. Revista Brasileira de Psicologia do Esporte, São Paulo, 2010, v. 3, n. 4, p. 130- 146.

Pesca AD. Intervenção Psicológica em um trabalho interdisciplinar na recuperação de atletas lesionados de Futebol. 116 f. Tese (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

Reis RS, Hino AAF, Añez CRR. Perceived Stress Scale: Reliability and Validity Study in Brazil. Journal of Health Psychology, Los Angeles, 2010.

Sá AKG, Rocha AWO, Oliveira AJS, Perondi BLB, Souza PVN, Chaves SN, Clael S, Ribeiro ALA. Associação Entre Posição e Diferentes Tipos de Lesões em Membros Inferiores em Atletas de Futebol. Brazilian Journal of Health Review, v.4, n.1, p.1478-1486, 2021.

Sakamoto M, Parcesepe R, Bojikian, JCM. A contribuição da intervenção psicológica na recuperação do atleta de voleibol lesionado. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, Barueri, 2008, vol. 7 n°3, p. 103- 109.

Samulski D. Psicologia do Esporte. 2002, 1° Ed. Barueri – SP: Manole Ltda.

Santos PB. Estresse psicofiosiológico em atletas de Futebol de campo da categoria sub-17. 126 f. Tese (Mestrado em Educação Física) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2011.

Thomas JR, Nelson JK, Silverman SJ. Métodos de pesquisa em atividade física. 5ª edição. Artmed: porto alegre, 2007.

Vasconcelos-Raposo J, Coelho E, Mahl A, Fernandes H. Intensidade e negativismo e autoconfiança e, jogadores de futebol profissionais brasileiros. rev. Motricidade, 2007, p. 7-15, v.3.

Veloso S, Pires AP. A Psicologia das Lesões Desportivas: importância da intervenção psicológica. Revista Portuguesa de Fisioterapia no Desporto, Cascais, 2007, vol. 1, n°2, p. 38- 47.

Verissimo SMAC. Relações entre ansiedade-estado e ansiedade-traço, sintomas depressivos e sensibilidade ao estresse em puérperas. 120 f. Tese (Mestrado em Psicologia) Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, 2010.

Weinberg RS, Gould D. Fundamentos da Psicologia do Esporte e do Exercício. 2° Ed. Porto Alegre: Artmed, 2001. 11.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-394

Refbacks

  • There are currently no refbacks.