Incidência de acidentes com idosos atendidos pelo Samu em Juiz de Fora – MG / Incidence of elderly accidents attended by Samu in Juiz de Fora – MG

Bruna Braga Esteves, Flavia Souza Pinheiro, Gabriel Rodrigues Carvalho, Lara Faria Renó, Leonardo Lima Dornela, Anna Marcella Neves Dias, Nathália Barbosa do Espírito Santo Mendes, Clorivaldo Rocha Corrêa, Danielle Cristina Zimmermann Franco

Abstract


Objetivo: Identificar a prevalência dos tipos de acidentes com idosos atendidos pelo SAMU no município de Juiz de Fora, Minas Gerais. Métodos: Foi realizado um estudo retrospectivo a partir da coleta e análise de 34.411 prontuários de pacientes atendidos pelo SAMU em Juiz de Fora, MG, no período de 2014 a 2019. Foram incluídos na análise, prontuários de idosos, ou seja, indivíduos com faixa etária acima de 60 anos de idade. Resultados: Verificou-se que de abril de 2017 a março de 2018 correspondeu ao período com maior número de ocorrências em idosos (n=7.887), sendo a maioria das intercorrências em indivíduos do sexo feminino (55,0%) e com predominância de causas clínicas (81,29%), as intercorrências traumáticas temos 20,2% no total, sendo que as quedas contribuem com 16,8% com 10,3% de predomínio para as quedas da própria altura e 6,5% demais quedas. As demais intercorrências traumáticas resultam 3,4%. Conclusão: Concluiu-se que houve predominância de atendimentos a idosos do sexo feminino, na faixa etária de 60 a 70 anos, principalmente devido à intercorrência clínicas, dos tipos de acidentes ocorridos, a queda da própria altura foi a mais prevalente. O tempo resposta esta dentro do padrão Golden Hour, porém alterações de melhoria da mobilidade urbana e conscientização da população poderiam contribuir para um atendimento mais rápido e de qualidade.

 

 


Keywords


Idosos, Acidentes, Serviço Médico de Emergência, Emergências.

References


Larrey DJ. Mémories de Chirurgie Militare. Wentworth press: Paris; 2018.

Samu Urgences de France. Objectifs & Historique. [texto na internet]. 2018 [cited 2018 Ago 29]. Available from: http://www.samu-urgences-de-france.fr/fr/sudf/objectifs

Brasil. Ministério da Saúde. Política nacional de atenção às urgências / Ministério da Saúde. – Brasília: Ministério da Saúde, 2006. [citado 2018 Dez 21]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_atencao_urgencias_3ed.pdf.

Mato Grosso. Serviço de atendimento móvel de urgência. Quem somos.[texto na internet] s.d.[citado 2019 Fev 20]. Disponível em: http://www.saude.mt.gov.br/samu/pagina/324/quem-somos

- Conselho Federal de Medicina. Saúde inaugura Samu/192 em três estados. [texto na internet]. 2004. [citado 2019 Fev 15]. Disponível em: http://portal.cfm.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=5250:&catid=3

Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Sudeste – Juiz de Fora/MG. Apresentação. [texto na internet] s.d. [citado 2019 Fev 15]. Disponível em: https://www.cisdeste.com.br/institucional/apresentacao

Mendonça MFS, Silva APSC, Castro CCL. Análise espacial dos acidentes de trânsito urbano atendidos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência: um recorte no espaço e no tempo. Rev Bras Epidemiol. 2017; 20(4): 727-41.

Brasil. Ministério da Saúde. Estatuto do Idoso. [texto na internet]. 2013. [citado 2018 Ser 22]. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/estatuto_idoso_3edicao.pdf. Acesso em 22/12/2018.

Machado RL, David CMN, Luiz RR, Amitrano DA, Salomão CS, Oliveira GMN. Análise exploratória dos fatores relacionados ao prognóstico em idosos com sepse grave e choque séptico. Rev Bras Ter Intensiva. 2009; 21(1):9-17.

Barros MAA, Oliveira DST, Carvalho MAP, Fernandes MGM, Costa KNFM, Santos KFO. Características dos agravos e da assistência prestada aos idosos em um serviço pré-hospitalar móvel. Rev enferm UERJ. 2013; 21(esp.1):569-74.

Mello ALSF, Moysés SJ. Análise diagnóstica do atendimento pré-hospitalar para acidentes e violências contra idosos em Curitiba (PR, Brasil). Rev Ciência e Saúde Coletiva. 2010; 15(6): 2709-18.

Silva HC, Pessoa RL, Menezes RMP. Trauma em idosos: acesso ao sistema de saúde pelo atendimento pré-hospitalar móvel. Rev Latino-Am. Enfermagem. 2016; 24: 2690.

Gonçalves AML, Amorim FMSB, Pessoa LMB, Almeida MTG, França AMB. Trauma em idosos: Como deve ser realizado o atendimento. Ciências Biológicas e de Saúde Unit. 2018; 4(2): 77-86.

Lima RS, Campos MLP. Perfil do idoso vítima de trauma atendido em uma unidade de urgência e emergência. Rev. Esc. Enferm. USP. 2011; 43(3):657-62.

Rodrigues J, Ciosak SI. Idosos vítimas de trauma: análise de fatores de risco. Rev Esc Enferm USP. 2012; 46(6):1400-5.

Pereira LC, Alencar, AA, Fortes Figueiredo, ML, Beleza CMF. Caracterización de la atención de hombres ancianos por servicio de atención móvil de urgência. Cultura de los Cuidados. 2017; 19(41).

Degani GC, Pereira Júnior GA, Rodrigues RAP, Luchesi BM, Marques S. Idosos vítimas de trauma: doenças preexistentes, medicamentos em uso no domicílio e índices de trauma. Rev Bras Enferm. 2014;67(5):759-65.

Comitê do PHTLS da National Association of Emergency Medical Technicians (NAEMT) em cooperação com o Comitê de Trauma do Colégio Americano de Cirurgiões, PHTLS Prehospital Trauma Life Support (Atendimento Pré hospitalar ao Traumatizado), 8th ed. Jones & Bartlett, 2016.

Hanauer MC, Moser GAS, Souza SS, Oliveira D, Celich KLS, Paz M, Oliveira RC. Caracterização dos atendimentos realizados pelo SAMU. Rev eferm UFPE on line. 2018; 12(12):3476-83.

Dias JMC, de Lima MSM, Dantas RAN, Costa IKF, Leite JEL, Dantas DV. Perfil de atendimento do serviço pré-hospitalar móvel de urgência estadual. Cogitare Enferm. 2016;21(1): 01-09.

Belon AP, da Silveira NYJ, Barros MBA, Baldo C, da Silva MMA. Atendimentos de emergência a vítimas de violências e acidentes: diferenças no perfil epidemiológico entre o setor público e o privado. VIVA – Campinas/SP, 2009. Ciência & Saúde Coletiva. 2012; 17(9):2279-90.

Duarte SJH, Lucena BB, Morita LHM. Atendimentos prestados pelo serviço móvel de urgência em Cuiabá, MT, Brasil. Rev. Eletr. Enf. 2011;13(3):502-7.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. População. [texto na internet]. 2010. [citado 2019 Nov 08]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/juiz-de-fora/panorama

Omran AR. The epidemiologic transition in the Americas. Maryland: Pan American Health Organization; 1996.

Costa AJL. Metodologias e indicadores para avaliação da capacidade funcional: análise preliminar do Suplemento Saúde da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD, Brasil, 2003. Ciênc Saúde Coletiva 2006; 11(4): 927-40.

Silva APF, Silva LL. Perfil epidemiológico dos idosos atendidos pelo serviço de atendimento móvel de urgência (SAMU) na cidade de Maceió/ AL. Cadernos de Graduação - Ciências Biológicas e da Saúde Fits 2013; 1(2): 135-43.

Mendoza-Sassi R, Béria JU, Barros AJD. Fatores associados à utilização de serviços ambulatoriais: estudo de base populacional. Rev Saúde Pública 2003; 37(3): 372-8.

Pinheiro RS, Viacava F, Travassos C, Brito AS. Gênero, morbidade, acesso e utilização de serviços de saúde no Brasil. Ciênc Saúde Coletiva 2002; 7(4): 687-707.

Rebêlo FL, Santos RS, Santana NMS, de Moraes SR, Amado E, Wanderley TCF et al. Fatores associados a capacidade funcional em idosos que frequentam um programa de prevenção de quedas. Braz. J. Hea. Rev. 2020; 3(6): 17061-71.

Espírito Santo. Atendimento ao paciente politraumatizado – Diretrizes clínicas. [texto na internet]. 2018 [citado 2019 Nov 08]. Disponível em: https://saude.es.gov.br/Media/sesa/Consulta%20P%C3%BAblica/Diretriz%20Trauma%2013%2008%20_2_.pdf

Sousa-Araújo IV, Gomes NC, Santos-Nascimento J, Ribeiro CCNR, Tavares DMS. Queda entre idosos: preditores e distribuição espacial. Rev. Salud Pública. 2019; 21(2): 187-94.

Guerra HS. Prevalência de quedas em idosos na comunidade. Revista Saúde e Pesquisa. 2016; 9(3): 547-55.

Katz, M. Epidemiologia das lesões traumáticas de alta energia em idosos. Acta ortop. bras. [online]. 2008; 16 (5): 279-83.

Abrantes, KSM. Trauma em idosos socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de urgência. [Dissertação]. Campina Grande: Universidade Estadual da Paraíba; 2013.

Lacerda BCE, Figueiredo PBA, Sousa MNA, Assis EV, Isidório UA, Feitosa ANA. Perfil do idoso vítima de queda atendido pelo serviço de atendimento móvel de urgência. Revista Interdisciplinar em Saúde. 2016; Cajazeiras, 3 (1): 93-107.

Felipe F, Mesadri PS, Teixeira S, Santos J, Pelegrini A. Atendimentos de emergência por causas externas não intencionais envolvendo idosos de Florianopolis, SC: viva 2006-2007. Estud. interdiscip. Envelhec. 2016; 21(1): 235-48.

McNicholl BP. The Golden hour and prehospital trauma care. Injury. 1994; 25:251-4.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-386

Refbacks

  • There are currently no refbacks.