Perfil epidemiológico de intoxicações por agrotóxicos notificadas no Estado de Goiás entre os anos de 2011 e 2016 / Epidemiological profile of pesticide poisonings reported in the State of Goiás between the years 2011 and 2016

Lanna Tarce Gonçalves de Morais, Henrique Augusto Nascimento, Ana Carolina Lobato Maya, Larissa Amorim Silva, Victória Oliveira Prados, Raphael Rocha de Oliveira, Thaissa Faustino Nogueira de Deus Couto, Victória Reis Silva

Abstract


O Brasil se destaca no cenário mundial como o maior consumidor de agrotóxicos, respondendo na América Latina por 86% dos produtos. As intoxicações causadas por agrotóxicos resultam de uma interação complexa entre as propriedades do produto e a exposição do agricultor aos agrotóxicos.  O objetivo é estabelecer um perfil populacional epidemiológico acerca intoxicações causadas por agrotóxicos no estado de Goiás, no período de 2011 a 2016. Para tal, foi realizado um estudo retrospectivo, quantitativo, qualitativo, bibliográfico, do tipo transversal, baseado no estudo de literatura científica em bases de dados como Scielo, PubMed, Liliacs MedLine, e na busca ativa de dados epidemiológicos na base de dados DATASUS. Os resultados revelam que no estado de Goiás, os casos se concentram no território urbano – com 52% das notificações, a principal causa é por tentativa de suicídio, sobrepondo as demais como os acidentes de trabalho. A idade prevalente se deu entre a faixa etária de 20-39 anos, representando 25% dos casos e o sexo masculino corresponde a mais de 54% dos casos. Tais dados podem ser explicados pelo maior uso de agrotóxicos em trabalhadores rurais, os quais são homens adultos. Os resultados concluem que apesar das subnotificações, tanto nos casos que evoluíram para cura quanto nos óbitos constatados, para elementos agrotóxicos, existem dados que oferecem informações que traçam o perfil epidemiológico dessas intoxicações. Em geral, é o trabalhador rural do sexo masculino, jovem, com baixa escolaridade, com prováveis problemas psiquiátricos e com pouca informação quem mais se intoxica no Centro – Oeste.


Keywords


Intoxicação, Agrotóxicos, Pesticidas.

References


Scardoelli MGdC, Buriola AA, Oliveira MLFd, Waidman MAP. Intoxicações por agrotóxicos notificadas na 11a regional de saúde do estado do Pará. Ciência, Cuidado e Saúde. 2011; 10(3).

Matos AS. Análise das intoxicações exógenas por agrotóxicos no Brasil, entre 2007 a 2012. 2013.

Brasil. Agrotóxicos x Saúde Pública. Ministério da Saúde, Departamento de Vigilância em Saúde; 2012.

Faria NMX, Fassa AG, Facchini LA. Intoxicação por agrotóxicos no Brasil: os sistemas oficiais de informação e desafios para realização de estudos epidemiológicos. Ciência saúde coletiva. 2007; 12(1): p. 25-38.

Lima MAd, Bezerra EP, Andrade LMd, Caetano JA, Miranda MDC. Perfil epidemiológico das vítimas atendidas na emergência com intoxicação por agrotóxicos. Ciência, Cuidade e Saúde. 2008 jul/set; 7: p. 288-294.

Fehlberg MF, Santos Id, Tomasi E. Prevalência e fatores associados a acidentes de trabalho em zona rural. Revista de Saúde Pública. 2001; 35: p. 269-275.

Ruppenthal JE. Toxicologia Santa Maria; 2013.

Malaspina FG, Zinilise ML, Bueno PC. Perfil epidemiológico das intoxicações por agrotóxicos no Brasil, no período de 1995 a 2010. Caderno de Saúde Coletiva.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-370

Refbacks

  • There are currently no refbacks.