Percepção de acadêmicos de enfermagem sobre a humanização da assistência ao parto/ Perception of nursing academics on humanization of birth care

Camille Graziele Alves, Geraldo Mota de Carvalho, Rosemeire dos Santos Vieira

Abstract


Objetivo: Conhecer a percepção de graduandos dos 7º e 8º semestres de Enfermagem sobre a humanização da assistência ao parto. Método: Pesquisa de campo, exploratória, descritiva e qualitativa. Os dados foram analisados segundo o referencial de análise de conteúdo de Bardin. Resultados e discussão: Participaram 25 acadêmicos. Três atuavam como técnicos de enfermagem, quatro estagiavam na área de enfermagem; 15 eram apenas estudantes e um trabalhava fora da área da saúde. A amplitude da idade dos participantes variou de 20 a 47 anos sendo somente um participante do sexo masculino. A partir da análise das convergências temáticas de seus discursos emergiram quatro categorias: autonomia da parturiente e direitos humanos, acolhimento, empatia e mecanicismo do cuidado. Baseado nas percepções dos acadêmicos a assistência obstétrica vivenciada por eles está muito aquém daquela preconizada pelos órgãos governamentais e o parto humanizado é um direito e um dever que, ainda deverá ser conquistado por clientes e profissionais. Conclusão: Tendo em vista a melhoria da qualidade da assistência obstétrica torna-se imperativo cada vez mais uma visão ética e humanística no processo formativo do profissional de enfermagem, pois estes são elementos basilares da nossa profissão.


Keywords


Parto humanizado, Humanização da assistência, Enfermagem obstétrica

References


Brasil. Ministério da Saúde. Parto, aborto e puerpério: assistência humanizada à mulher. Brasília (DF): MS; 2001.

OMS. Organização Mundial da Saúde. Maternidade segura. Assistência ao parto normal: um guia prático. Genebra: OMS; 1996.

Brasil. Ministério da Saúde. Universidade Estadual do Ceará. Caderno HumanizaSUS – Volume 4: Humanização do parto e do Nascimento. Brasília, DF: MS; 2014.

Bardin L. Análise de conteúdo. 70ª ed. Portugal: Lisboa; 2011.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria no 569/00. Institui o Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento, no âmbito do Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da União, 8 de jun. 2000; Seção 1.

WHO. World Health Organization. WHO recommendations: intrapartum care for a positive childbirth experience. Genebra: WHO; 2018.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização. Formação e intervenção / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Política Nacional de Humanização. – Brasília: Ministério da Saúde; 2010.

Motta BFB, et al. O acolhimento em Saúde no Brasil: uma revisão sistemática de literatura sobre o tema. Rev. SBPH [periódico na Internet] 2014 Jun; 17(1):121-139.

Morais AVF, et al. A importância da ambiência no serviço de assistência ao parto: um estudo reflexivo. Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, jul./aug. 2020; 3(4):11304-315.

Calegari RC, et al. Humanização da assistência à saúde na percepção de enfermeiros e médicos de um hospital privado. Rev. esc. enferm. USP [periódico na Internet] 2015; 49(spe2 ): 42-47.

Costa PCP, et al. Acolhimento e cuidado de enfermagem: um estudo fenomenológico. Texto Contexto Enferm [periódico na Internet] 2016; 25(1):e4550015.

Gualda DMR. O significado do processo de parto no contexto do conceito de saúde reprodutiva.Cap. 2. In: Ciaciarullo, TI et al. Indicadores de qualidade: uma abordagem perinatal. São Paulo: Ícone; 1998. p.33-40.

Kuramoto C. Assistência ao parto de mulheres imigrantes: a vivência do enfermeiro obstetra/obstetriz, RP. Dissertação [Mestrado em Enfermagem Saúde Pública] – Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto/USP; 2016.

Pellegrino ED. Professionalism, profession and the virtues of the good physician. Mt Sinai J Med. 2002;69(6):378-84.

Krznaric R. O poder da empatia: a arte de se colocar no lugar do outro para transformar o mundo. 1a ed. Rio de Janeiro: Zahar; 2015.

Hotimsky SN, et al. O parto como eu vejo... ou como eu o desejo?: expectativas de gestantes, usuárias do SUS, acerca do parto e da assistência obstétrica. Cad. Saúde Pública [periódico na Internet] 2002; 18(5):1303-1311.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-354

Refbacks

  • There are currently no refbacks.