Indícios da doença da folha verde do tabaco e avaliação da qualidade de vida de fumicultores no interior do Paraná/ Indication of green tobacco sickness and evaluation of life quality among tobacco farmers in Paraná countryside

Tatiane Schamne, Stella Bortoli, Danielle Cristyane Kalva- Borato, Bruno Pedroso, José Carlos Rebuglio Vellosa

Abstract


O Brasil é um dos maiores produtores de tabaco do mundo. Na produção do tabaco, o produtor fica exposto a substâncias como a nicotina, presente na folha do tabaco e a agrotóxicos. O objetivo deste trabalho foi observar a ocorrência de sintomas associados à doença da folha verde do tabaco e avaliar a qualidade de vida dos fumicultores. Trata-se de um estudo descritivo do tipo transversal com abordagem quantitativa, utilizando dois questionários como instrumentos: um sobre informações sociodemográficas e condições de saúde dos produtores e outro sobre qualidade de vida (WHOQOL-bref). A maioria dos participantes eram homens, com idade inferior a 40 anos e ensino fundamental incompleto. Grande parte dos participantes da pesquisa relatou sintomas durante a fase da colheita, como enjoo, vômito e dor abdominal, o que reforça a ocorrência da doença da folha verde do tabaco. Dos entrevistados, 77,42% relataram usar equipamento de proteção individual no período da colheita. Algumas que medidas caseiras são adotadas por 41,94% dos produtores na tentativa de amenizar estes sintomas, tais como uso de chás e de bebida de cola. Em relação à qualidade de vida, os domínios com maiores interferências na avaliação da qualidade de vida foram os domínios ambiental e psicológico.


Keywords


Fumicultura, Qualidade de vida, Exposição Ocupacional, Tabaco, Doença da Folha Verde do Tabaco.

References


Associação dos Fumicultores do Brasil (AFUBRA). Fumicultura no Brasil 2012. [acessado 2018 out 17]. Disponível em: http://www.afubra.com.br

Schoenhals M, Follador FAC, Silva C. Análise dos impactos da fumicultura sobre o meio ambiente, a saúde dos fumicultores e iniciativas de gestão ambiental na indústria do tabaco. Eng Amb 2009; 6(2):16-37.

Riquinho DL, Hennington EA. Cultivo do tabaco no sul do Brasil: doença da folha verde e outros agravos à saúde. Cien Saude Colet 2014; 19(12): 4797-808.

Troian A, Oliveira SV, Dalcin D, Eichler ML. O Uso de agrotóxicos na Produção de fumo: algumas percepções de agricultores da comunidade Cândido Brum no Município de Arvorezinha- RS. Apresentado no 47º Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural 2009 jul 26-30; Porto Alegre, Brasil.

Martins VA, Renner JDP, Corbellini VA, Pappen M, Krug SBF. Doença da Folha Verde do Tabaco no período da classificação do tabaco: perfil sociodemográfico e ocupacional de fumicultores de um município do interior do Rio Grande do Sul. R Epidemiol Control Infec 2016; 6(4):206-210.

Silva JB, Xavier DS, Barboza MCN, Amestoy SC, Trindade LL, Silva JRS. Fumicultores da zona rural de Pelotas (RS), no Brasil: exposição ocupacional e a utilização de equipamentos de proteção individual (EPI). Saúde em Debate 2013; 37(97):347-353.

Organização Mundial de Saúde (OMS). WHOQOL -ABREVIADO Coordenação do GRUPO WHOQOL no Brasil. 1998.

WHO. WHOQOL: measuring quality of life. Psychol Med, v. 28, n. 3, p. 551–558, maio 1998.

THE WHOQOL GROUP. Whoqol-Bref: Introduction, Administration, Scoring and Generic Version of the Assessment. Programme on Mental Health, n. December, p. 16, 1996.

Pedroso B, Pilatti LA, Gutierrez GL, Picinin CT. Cálculo dos escores e estatística descritiva do WHOQOL-bref através do Microsoft Excel. Revista Brasileira de Qualidade de Vida 2010; 2(1): 31–36.

Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (IPARDES). Relação dos municípios do estado ordenados segundo as mesorregiões e as microrregiões geográficas do IBGE - Paraná – 2012. [acessado 2019 abril 17]. Disponível em: http://www.ipardes.gov.br/pdf/mapas/base_fisica/relacao_mun_micros_mesos_parana.pdf

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Brasil em síntese/Paraná/Palmeira – 2010. [acessado 2019 abril 17]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr/palmeira/panorama

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Produção Agrícola Municipal – PAM, Tabelas – 2017. [acessado 2019 abril 17]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/agricultura-e-pecuaria/9117-producao-agricola-municipal-culturas-temporarias-e-permanentes.html?=&t=resultados

Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (SEAB). Departamento de Economia Rural (DERAL). PROGNÓSTICO FUMO. Novembro de 2017. [acessado 2019 abril 17]. Disponível em: http://www.agricultura.pr.gov.br/arquivos/File/deral/Prognosticos/2018/Fumo_2017_18.pdf

Oliveira PPV, Sihler CB, Moura L, Malta DC, Torres MCA, Lima SMCP, et al. First reported outbreak of Green tobacco sickness in Brazil. Cadernos de Saúde Píblica 2010; 26(12):2263-2269.

Cargnin MCS, Teixeira CC, Mantovani VM, Lucena AF, Echer IC. Cultura do tabaco versus saúde dos fumicultores. Texto contexto – enfermagem 2016; 25(2): e2940014.

Fotedar S, Fotedar V. Green Tobacco Sickness: A Brief Review. Indian Journal of Occupational and Environmental Medicine. 2017; 21:101-104.

Fassa AG, Faria NMX, Meucci RD, Fiori NS, Miranda VI, Facchini LA. Green tobacco sickness among tobacco farmers in southern Brazil. American Journal of Industrial Medicine. 2014; 57:726-35.

Reis MM, Oliveira APN, Turci SRB, Dantas RM, Silva VSP, Gross C, et al. Conhecimentos, atitudes e práticas de agricultoras sobre o processo de produção do tabaco em um município da Região Sul do Brasil. Cadernos de Saúde Pública. 2017; 33 Sup 3:e00080516.

Park, SJ, Lim HS, Lee K, Yoo SJ. Green Tobacco Sickness Among Tobacco Harvesters in a Korean Village.Safety and Health at Work 2018; 9(1):71-74.

Faria NMX, Fassa AG, Meucci RD, Fiori NS, Miranda VI. Occupational exposure to pesticides, nicotine and minor psychiatric disorders among tobacco farmers in southern Brazil. NeuroToxicology 2014; 45: 347-354.

Selmi GFR, Correa CL, Zambrone FAD. Avaliação da vestimenta-padrão utilizada durante a colheita das folhas do tabaco e implicações na prevenção da Green Tobacco Sickness (GTS). Revita Brasileira de Medicina do Trabalho. 2016; 14(3):184-9.

Schoenhals M, Follador FAC, Silva C. Análise dos impactos da fumicultura sobre o meio ambiente, à saúde dos fumicultores e iniciativas de gestão ambiental na indústria do tabaco. Engenharia Ambiental. 2009; 6(2): 16-37.

Sousa DHAV, Araújo EA, Furtado FMSF, Lima FLAL e Saldanha AA. Acesso aos serviços e percepções acerca da qualidade de vida e saúde: aspectos de vulnerabilidade ao adoecimento em cidades rurais. Brazilian Journal of Health Review. 2020. v. 3, n.5. p.11419-11431.

Riquinho DL, Hennington EA. Health, environment and working conditions in tobacco cultivation: a review of the literature. Ciência e Saúde Coletiva 2012; 17(6):1587-1600.

Heemann F. O cultivo de fumo e condições de saúde e segurança dos trabalhadores rurais [Dissertação de Mestrado]. Porto Alegre: Escola de Engenharia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2009.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-337

Refbacks

  • There are currently no refbacks.