Identificação do perfil epidemiológico e dos fatores de risco pré-gestacionais e gestacionais relacionados ao desenvolvimento da síndrome hellp / identification of the epidemiological profile and pre-gestional and gestational risk factors related to the development of hellp syndrome

Luana Assunção Fialho, Bárbara Andressa Silva Ferreira, Fernanda Beatriz Galvani, Gabriele Rocha Sant’Ana Queiroz, Guilherme Cincinato de Almeida, Ítalo Thiago Tavares Vasconcelos, Natália de Fátima Gonçalves Amâncio, Adelaide Maria Ferreira Campos D'Avila

Abstract


O objetivo da pesquisa foi descrever o perfil epidemiológico e identificar os fatores de risco pré-gestacionais e gestacionais relacionados ao desenvolvimento da síndrome HELLP, na tentativa de prevenir o desenvolvimento da síndrome, facilitar o diagnóstico precoce e minimizar os agravos desta doença, considerada de alto risco para a gestante e também para o feto. Trata-se de um estudo do tipo documental, descritivo e retrospectivo, com abordagem quantitativa, que foi desenvolvido no Hospital Regional Antônio Dias, situado na cidade de Patos de Minas, Minas Gerais. O estudo incluiu todos os prontuários das gestantes que foram diagnosticadas com a síndrome HELLP e que deram entrada no hospital no período de 1º janeiro de 2017 a 31 de dezembro de 2018. Foram selecionadas 53 gestantes, das quais 58,49% tinham entre 26 e 35 anos, 96,23% eram de cor parda, 56,60% eram solteiras, 69,81% tinham o ensino médio e 58,49% exerciam atividade remunerada. Quanto aos fatores de risco pré-gestacionais e gestacionais das gestantes selecionadas, 54,72% eram multíparas, houve planejamento familiar em 50,94% das gestações, 98,11% tiveram acesso ao pré-natal, 47,17% possuíam o histórico de complicações obstétricas, 62,07% tiveram alguma Síndrome Hipertensiva Gestacional em gestação anterior, 66,04% não tinham histórico familiar de Síndrome Hipertensiva Gestacional, 73,58% não possuíam patologias anteriores associadas e 50,94% foi diagnosticada com pré-eclâmpsia grave. A falta de concordância de alguns dados encontrados na pesquisa com os dados encontrados na literatura mostra que o desenvolvimento da síndrome HELLP não segue um padrão, dessa forma, são necessários estudos adicionais.

 


Keywords


Síndrome HELLP. Gravidade. Perfil epidemiológico. Fatores de risco.

References


ANTUNES, M. B. et al. Síndrome hipertensiva e resultados perinatais em gestação de alto risco. Revista Mineira de Enfermagem. v. 21, e-1057, p. 1-6, 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Gestação de alto risco: manual técnico / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – 5. ed. – Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2012. 302 p. – (Série A. Normas e Manuais Técnicos)

CARVALHO, L. F. P. de et al. 50 casos cli?nicos: que todos ginecologistas e obstetras devem conhecer. Sa?o Paulo: AC Farmacêutica, 2012.

COELHO, F. F.; KUROBA, L. S. Emergência Hipertensiva Na Gestação: Síndrome HELLP Uma Revisão De Literatura. Revista Saúde e Desenvolvimento. vol.12, n.13, p. 159-175, 2018.

FALAVINA, L. P. et al. Hospitalização durante a gravidez segundo financiamento do parto: um estudo de base populacional. Revista da Escola de Enfermagem da USP [Internet]. USP, São Paulo, v. 52, e03317, maio, 2018.

FIORIO, T. A. et al. Doença Hipertensiva Específica da Gestação: prevalência e fatores associados. Brazilian Journal of Develop. Curitiba, v. 6, n.6, p.35921-35934, jun.2020.

GUIMARÃES, J. P. et al. A prevalência de gestantes portadoras de SHEG que evoluíram para síndrome HELLP em uma maternidade pública. Revista Brasileira de Educação e Saúde. v. 4, n. 1, p. 1-17, 2014.

KAHHALE, S.; FRANCISCO, R.; ZUGAIB, M. Pré-eclampsia. Revista de Medicina. v. 97, n. 2, p. 226-234, 15 jun. 2018.

LIMA, J. P. et al. Perfil socioeconômico e clínico de gestantes com Síndrome Hipertensiva Gestacional. Revista Rene [Internet]. v. 19, e3455. p. 1-7, 2018.

MARTINS-COSTA, S. H. et al. Rotinas em obstetrícia. 7. ed. Porto Alegre: Artmed, 2017.

MIRANDA, F.K. et al. Atuação da enfermagem na síndrome de HELLP – Uma revisão da literatura. Revista Gestão & Saúde. v. 15, n. 1, p. 39 - 45, 2016.

NÓBREGA, M. F. et al. Perfil de gestantes com síndrome hipertensiva em uma maternidade pública. Revol – Revista de enfermagem da UFPE. Recife, n.10(5), p.1805-1811, 2016.

RIBEIRO, J. F. et al. Perfil sociodemográfico e clinico de mulheres com síndrome Hellp. Revista de Enfermagem da UFSM. [s.i.], v. 6, n. 4, p. 569 - 577, mar. 2017.

SASS, N.; OLIVEIRA, L. G. de. Obstetrícia. 1. ed. – [Reimpr.] – Rio de Janeiro: Guanabara ¬Koogan, 2017.

SBARDELOTTO, T. et al. Características definidoras e fatores associados à ocorrência das síndromes hipertensivas gestacionais. Revista Cogitare Enfermagem. Curitiba, v. 23, n.2, julho, 2018.

SILVA, J. A. da. et al. Fatores de risco para a Doença Hipertensiva Específica da Gestação no Brasil. Artigos publicados em periódicos (UNIT-AL_BIO). Z12:42:90T. Centro Universitário Tiradentes - UNIT/AL, 2019.

URBANETZ, A. A. (Coord.). Ginecologia e obstetri?cia Febrasgo para o me?dico residente. 1. ed. Barueri, SP: Manole, 2016.

VANELLI, C. M.; CAMARGO, I. T. de; RIBAS, J. L. C. Síndrome HELLP: Fisiopatologia e acompanhamento laboratorial. Revista Saúde e Desenvolvimento. vol.11 n.6, p. 242-247, jan-mar, 2017.

ZUGAIB, M.; FRANCISCO, R. P. V. Zugaib Obstetrícia. 3. ed. Barueri, SP: Manole, 2016.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-330

Refbacks

  • There are currently no refbacks.