Carga parasitária de Schistosoma Mansoni na Paraíba: estudo epidemiológico descritivo/ Schistosoma Mansoni parasite burden in Paraíba: a descriptive epidemiological study

Letícia Pereira Imperiano, Roberto Alves da Costa Júnior, Pablo Bernardo Moouzinho, Ana Karina Holanda Leite Maia, Isabela Tatiana Sales de Arruda

Abstract


Esquistossomose, popularmente conhecida como “barriga d’água”, “mal do caramujo” ou “xistose”, é uma doença de elevada morbidade e baixa mortalidade, apresentando prevalência em cerca de 54 países. No Brasil, é estimado que em torno de 2,5 milhões de pessoas estejam infectadas. O litoral nordestino, incluindo o paraibano, é uma das principais áreas endêmicas, apesar dos avanços em saneamento básico. A análise da distribuição da esquistossomose é de suma importância para a implantação de políticas públicas que visem limitar a proliferação e o risco de infecção dessa parasitose. Este trabalho possui como objetivo principal conhecer a distribuição, em termos quantitativos, dos casos de esquistossomose registrados em ações do Programa de Controle da Esquistossomose na Paraíba durante o período de 2004 a 2014, bem como a disposição da carga parasitária entre indivíduos com exame positivo para esquistossomose. Para essa análise foram utilizados dados obtidos, principalmente, das informações do Programa de Controle da Esquistossomose (PCE) disponíveis no portal de Informações em Saúde (TABNET). Uma diminuição quase contínua ao longo dos anos no número de exames coproscópicos realizados foi visível. Os dados trabalhados evidenciam a necessidade de intensificação das ações de controle e vigilância para combate da esquistossomose.

Esquistossomose, popularmente conhecida como “barriga d’água”, “mal do caramujo” ou “xistose”, é uma doença de elevada morbidade e baixa mortalidade, apresentando prevalência em cerca de 54 países. No Brasil, é estimado que em torno de 2,5 milhões de pessoas estejam infectadas. O litoral nordestino, incluindo o paraibano, é uma das principais áreas endêmicas, apesar dos avanços em saneamento básico. A análise da distribuição da esquistossomose é de suma importância para a implantação de políticas públicas que visem limitar a proliferação e o risco de infecção dessa parasitose. Este trabalho possui como objetivo principal conhecer a distribuição, em termos quantitativos, dos casos de esquistossomose registrados em ações do Programa de Controle da Esquistossomose na Paraíba durante o período de 2004 a 2014, bem como a disposição da carga parasitária entre indivíduos com exame positivo para esquistossomose. Para essa análise foram utilizados dados obtidos, principalmente, das informações do Programa de Controle da Esquistossomose (PCE) disponíveis no portal de Informações em Saúde (TABNET). Uma diminuição quase contínua ao longo dos anos no número de exames coproscópicos realizados foi visível. Os dados trabalhados evidenciam a necessidade de intensificação das ações de controle e vigilância para combate da esquistossomose.


Keywords


Esquistossomose, Paraíba, Epidemiologia, Carga parasitária.

References


BARRETO, Ana Virgínia Matos Sá et al. Analysis of Schistosomiasis mansoni positivity in endemic Health Regions in the State of Pernambuco, Brazil, 2005-2010. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, v. 24, n. 1, p. 87-96, mar. 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Ciência e Tecnologia. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Doenças negligenciadas: estratégias do Ministério da Saúde. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 44, n. 1, p. 200-202, Fev. 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Educação em saúde para o controle da esquistossomose. 1. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Vigilância da Esquistossomose Mansoni: diretrizes técnicas. 4. ed, p.143. Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

FERREIRA, M. U. Parasitologia Contemporânea. 1. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012.

KATZ, N.; CHAVES, A.; PELEGRINO, J. A simple device for quantitative stool thick-smear technique in Schistosomiasis mansoni. Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, São Paulo, v.14, p. 371-373, 1972.

MASSARA, Cristiano Lara; AMARAL, Graciela Larissa; CALDEIRA, Roberta Lima; DRUMMOND, Sandra Costa; ENK, Martin Johannes; CARVALHO, Omar dos Santos. Esquistossomose em área de ecoturismo do Estado de Minas Gerais, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, [S.L.], v. 24, n. 7, p. 1709-1712, jul. 2008.

MELO, Andrea Gomes Santana de; IRMÃO, José Jenivaldo de Melo; JERALDO, Verónica de Lourdes Sierpe; MELO, Cláudia Moura. Schistosomiasis mansoni in families of fishing workers of endemic area of Alagoas. Escola Anna Nery, [S.L.], v. 23, n. 1, p. 1-10, 10 dez. 2018.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-312

Refbacks

  • There are currently no refbacks.