Coinfecção de Criptococose e Histoplasmose em Imunocompetentes - Revisão de Literatura / Coinfection of Cryptococcosis and Histoplasmosis in Immunocompetent Individuals - A Review of the Literature

Roosevelt Guimarães Soares Júnior, Gabriel Oliveira Souza

Abstract


A criptococose é taxonomicamente descrita como parte da classe Basidiomycetes, família Cryptococcaceae e gênero Cryptococcus. Este gênero engloba mais de 50 espécies que se caracterizam morfologicamente por se apresentarem na forma de levedura esférica, que variam de 4 a 10 μm de diâmetro, possuem cápsula e reproduzem-se assexuadamente por brotamento. A histoplasmose é uma doença causada pelo Histoplasma capsulatum, fungo dimórfico, onde seu reservatório ambiental é o solo. Infecções sistêmicas por criptococoses e histoplasmoses são frequentemente encontradas em pacientes imunocomprometidos, particularmente em pacientes HIV/AIDS positivo, com baixa contagem de CD4. No entanto, a coinfecção com histoplasmose e criptococose é considerada rara mesmo no grupo de indivíduos imunocomprometidos, embora existam casos relatados da coinfecção em pacientes sem HIV/AIDS.


Keywords


Criptococose, Histoplasmose, Coinfecção.

References


ASIF, S; BENNETT, J; PAULY, R. A Unique Case of Cryptococcus and Histoplasmosis Co-infection in na HIV-Negative Male on Chronic Steroid Therapy. Cureus: 2019. Disponível em: . Acesso em 18 de setembro de 2019.

BOVERS, M; HAGEN, F; BOEKHOUT, T. Diversity of the Cryptococcus neoformans – Cryptococcus gatti species complex. Rev Ibero Micol: 2008. Disponível em: . Acesso em: 20 de setembro de 2019.

COELHO-CASTELO, A. A. M. et. al. Resposta Imune a doenças infecciosas. Ribeirão Preto: 2009. Disponível em: . Acesso em: 20 de setembro de 2019.

COOKE, A. et. al. Infection and autoimmunity: are we winning war, only to lose the peace?. Trends Parasitol: 2004. Disponível em: . Acesso em: 20 de setembro de 2019.

EMMONS, C. W. Saprophtic sources of Cryptococcus neoformans associated with the pigeon (Columba livia). Am J Epidemiol: 1955. Disponível em: . Acesso em: 20 de setembro de 2019.

GOLDENBERG, S; PRICE, N. Oportunistic fungal lung infections. Medicine: 2008. Disponível em . Acesso em 22 de setembro de 2019.

HATIPOGLU, N; HATIPOGLU, H. Combination antifungal therapy for invasive fungal infections in children and adults. Expert Rev. Anti Infect. Ther: 2013. Disponível em . Acesso em 10 de Dezembro de 2020.

KAUFFMAN, C. A. Histoplasmosis: A Clinical and Laboratory Update. Clinical mycology. Clin Microbiol Rev: 2007. Disponível em: . Acesso em 22 de setembro de 2019.

LILIE, D. New perspectives on the immunology of chronic mucocutaneous candidiasis. Curr Opin Infect Dis: 2002. Disponível em: . Acesso em: 20 de setembro de 2019.

LIMA, A., SHIZUOU, I., MAKSYMCZUK, D. Neurocriptococose por Cryptococcus gattii resistente a fluconazol em imunocompetente. Rev Soc Bras Clin Med: 2017. Disponível em

. Acesso em: 10 de dezembro de 2020.

MACHADO, P. R. L. et. al. Mecanismos de resposta imune às infecções. Anais Brasileiros de Dermatologia: 2004. Disponível em: . Acesso em: 20 de setembro de 2019.

NUNES, J. et. al. The Simultaneos Occurrence of Histoplasmosis and Cryptococcal Fungemia: A Case Report and Review of the Literature. Mycopathologia: 2016. Disponível em: . Acesso em: 08 de dezembro de 2020.

ROMANI, L. Immunity to fungal infections. Nat Rev Immunol: 2004. Disponível em: . Acesso em: 20 de setembro de 2019.

STEENBERGEN, J. N; CASADEVALL, A. The origin and maintenance of virulence for the human pathogenic fungus Cryptococcus neoformans. Microbes Infect: 2003. Disponível em: . Acesso em: 20 de setembro de 2019.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-271

Refbacks

  • There are currently no refbacks.