Líquen plano oral na infância: relato de caso com controle de quatro anos / Oral lichen planus in childhood: case report with four-year control

Natália Gomes do Vale, Maria Daniela Basso de Souza, Maria Daniela Basso de Souza, Maria de Fátima Monteiro Tomasin, Maria de Fátima Monteiro Tomasin, Adriane de Castro Martinez, Adriane de Castro Martinez, Iris Sawazaki Calone, Iris Sawazaki Calone, Ana Lucia Carrinho Ayroza Rangel, Ana Lucia Carrinho Ayroza Rangel, Adriano Tomio Hoshi, Adriano Tomio Hoshi

Abstract


O líquen plano é uma enfermidade mucocutânea, envolvendo uma reação de hipersensibilidade que pode afetar a mucosa oral, genital, pele e unhas. Apesar de uma alteração comum, não é muito conhecida pela população. Quanto à sua etiologia, não está totalmente esclarecida, sendo possivelmente causada por fatores imunológicos. O líquen plano oral tem maior prevalência no sexo feminino, entre a quarta e sexta décadas de vida, sendo raro em crianças. Este trabalho teve como objetivo relatar um caso raro de líquen plano oral em paciente pediátrico, com acompanhamento de quatro anos. Trata-se de um paciente leucoderma, do sexo masculino que foi encaminhado ao serviço de Estomatologia da UNIOESTE devido à presença de manchas brancas na mucosa jugal, notadas há uma semana, em uma consulta de rotina na clínica de Odontopediatria da UNIOESTE. Ao exame clínico, notaram-se múltiplas manchas brancas estriadas com superfície lisa em ambos os lados da mucosa jugal, assoalho bucal e ventre de língua, bilateralmente, além de lesões nas unhas, formando estrias longitudinais. O paciente não apresentava sintomatologia dolorosa. A hipótese diagnóstica foi de líquen plano oral, posteriormente confirmado por biópsia incisional e exame histopatológico. O paciente foi encaminhado para ajuste no tratamento das lesões nas unhas com dermatologista e as lesões em mucosa oral permanecem em proservação há quatro anos. Concluiu-se que, apesar de raro, o líquen plano oral pode ser encontrado em pacientes pediátricos, sendo importante o profissional estar atento para realizar o diagnóstico e tratamento.


Keywords


Odontopediatria, Líquen Plano, Estomatologia, Mucosa oral.

References


ASSEMARY, N.M. Superestimulação na infância: uma questão contemporânea. Cad. Psicanál. (CPRJ), Rio de Janeiro, v. 38, n. 34, p. 231-243, jan./jun. 2016.

BAKHTIARI, S.; TAHERI J.B.; TOOSSI, P.; AZIMI S.; NEZHAD S. K. Prevalence of oral lichen planus in Iranian children and adolescents: a 12‑year retrospective study. Eur Arch Paediatr Dent (2017) 18:419–422.

CASCONE, M.; CELENTANO, A.; ADAMO, D.; LEUCI, S.; RUOPPO, E.; MIGNOGNA, M.D. Oral lichen planus in childhood: a case series. International Journal of Dermatology, 2017,56, 641–652.

DANIELLI, J.; VILANOVA, L. S.R.; PEDROSO, L.; SILVA, M. A. G. Protocolo de Atendimento e Acompanhamento do Paciente com Líquen Plano Oral (LPO). Revista Odontológica do Brasil Central, 2010.

FRANÇA, G.M.; JÚNIOR, J.F.; SEVERO, M.L.B.; CARLAN, L.M.; LIMA, J.G.C.; SILVA, L.F.B.; GONÇALO, R.I.C.; GALVÃO, H.C. Líquen plano oral: relado de caso com diferentes aspectos clínicos. Brazilian Journal of Health Review. Curitiba, v.2, n.6, p.5996-6003, nov./dec. 2019.

HALACK, G. O. C.; DONATO, A.C.; SALOMÃO, J.A.S.; GONZALEZ, D.; TERAZIMA, L.V. Líquen Plano: a Importância dos Exames Complementares para o seu Diagnóstico e Tratamento. Rev. Paul. Odontol., São Paulo, ano 26, n.6, p. 15-17, nov./dez. 2004.

MACHADO, A.I.M. Líquen plano: clínica e aspectos etiopatogénicos. Tese (Mestrado Integrado em Medicina) – Universidade de Coimbra. Coimbra, p.4. 2012.

MOLINARO, E.M.; CAPUTO, L.F.G.; AMENDOEIRA, M.R.R. Conceitos e Métodos para a Formação de Profissionais em Laboratórios de Saúde: Vol4. Rio de Janeiro: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/Fundação Oswaldo Cruz, 2010.

NEVILE, B.W.; DAMN, D.D.; ALLEN, C.M.; BOUQUOT, J.E. Patologia Oral e Maxilofacial: 3ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

NICO, M.M.S.; FERNANDES, J.D.; LOURENÇO, S.V. Líquen Plano Oral. Na Bras Dermatol. 2011; 86(4):633-43.

SANTANA, G.A.S. As pressões excessivas que as crianças sofrem da parte dos pais para serem bem sucedidas na sociedade competitiva contemporânea. Psicologia.pt, Porto, jun. 2017.

SHARMA, G.; SARDANA, D.; VOHRA, P.; REHANI, S.; NAGPAL, A. Oral Lichen Planus in a Pediatric Patient: A Novel Therapeutica Approach. J Dent (Tehran), march 2017; vol.14, no2.

SOARES, M. S. M.; JÚNIOR, R.L.; CAVALCANTI, Y.W.; COSTA, L.J., VERHEUL, H. C.C.R.S.; AGRIPINO, G. G.; CAZAL, C. Líquen Plano Oral em Paciente Jovem: Relato de Caso. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, 2009.

VILAÇA, C.M.M.; PICCIANI, B.L.S.; FONTES, K.B.F.C.;TUCCI, R.; AZEVEDO, R.S. Levantamento epidemiológico de líquen plano oral. Revista Brasileira de Odontologia, 2018;75:(Supl.2):128.

VILANOVA, L.S.R.; DANIELLI, J.; PEDROSO, L.; SILVA, M.A.G.S. Perfil Epidemiológico de Portadores de Líquen Plano Oral Atendidos no Centro Goiano de Doenças da Boca (CGDB) - 12 Anos de Experiência.Revista Odontológica do Brasil Central, 2012;21(59).

ZANATTA, R.F.; ROSA, R.R.; PAULO, L. F. B.; JUNIOR, A.F.D. Prevalência das lesões de líquen plano em pacientes atendidos no ambulatório da unidade de diagnóstico estomatológico ufu no período de 1997 a 2008. Horizonte Científico, 2011. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/horizontecientifico/article/view/11645. Data de acesso: 14/05/2019.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-267

Refbacks

  • There are currently no refbacks.