Burnout e Satisfação com o Suporte Social em Cuidadores Formais na Deficiência Mental / Burnout and Satisfaction with Social Support in Formal Caregivers in the area of Mental Disability

Bruno Alexandre Santos Gaspar da Cunha, Carina Alexandra Gomes Gonçalves, Ana Catarina Santos

Abstract


O presente estudo versa sobre o burnout e a Satisfação com o Suporte Social em Cuidadores Formais e tem como objetivo principal avaliar o burnout a que os funcionários estão sujeitos, relacionando-o com a sua satisfação com o suporte social. A amostra do estudo é composta por 41 cuidadores formais e a metodologia é de natureza quantitativa, sendo este um estudo de cariz descritivo e correlacional. Foram utilizados os questionários de autopreenchimento designados de Copenhagen Burnout Inventory (CBI) e Escala de Satisfação com o Suporte Social (ESSS). Os valores obtidos referentes ao burnout global, representam 14 cuidadores na amostra, sendo que os dados apresentam valores medianos inferiores a 50% em todas as suas dimensões. Na ESSS, a grande maioria dos cuidadores formais apresentam um elevado suporte social global, a amostra apresenta medianas superiores a 50% em todas as suas dimensões. O estudo evidencia uma correlação negativa entre burnout e suporte social. O estudo pretende contribuir para o conhecimento desta realidade.


Keywords


Burnout, Suporte Social, Cuidadores formais, Deficiência Mental

References


Barbosa, A., Cruz, J., Figueiredo, D., Marques, A. & Sousa, L. (2011). Cuidar de idosos com demência, dificuldades e necessidades percepcionadas pelos cuidadores formais, Revista Psicologia, Saúde & Doenças, 12 (1), 119-129.

Baqutayan, S. (2011). Stress and social support. Indian Journal of Psychological Medicine, 29-34.

Benevides- Pereira, T. M. A. (2002). Burnout: Quando o trabalho ameaça o bem-estar do trabalhador. São Paulo: Casa do Psicólogo

Benavides-Pereira, A. M. T. & Moreno-Jiménez, B. (2003). O Burnout e o profissional de Psicologia. Revista Eletrônica InterAção Psy, 1-1, 68-75.

Carlotto, M. (2009). A relação profissional-paciente e a síndrome de Burnout. Revista de Psicologia, XII(17), 7-20.

De la Fuente-Solana, E. I., Cañadas, G. R., Ramirez-Baena, L., Gómez-Urquiza, J. L., Ariza, T., & Cañadas-De la Fuente, G. A. (2019). An Explanatory Model of Potential Changes in Burnout Diagnosis According to Personality Factors in Oncology Nurses. International journal of environmental research and public health, 16(3), 312. doi:10.3390/ijerph16030312

Delbrouck, M. (2006). Síndrome de Exaustão (Burnout). Lisboa: Climepsi Editores.

Fonte, c. – Adaptação e Validação para Português do Questionário de Copenhagen Burnout Inventory (CBI). Coimbra: Universidade de Coimbra, 2011. Dissertação de Mestrado em Gestão e Economia da Saúde, apresentada à Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra.

Fortin, M. (2009). Fundamentos e etapas do processo de investigação. Loures: Lusodidacta.

Gomes, A. R. S. (1998). Stress e Burnout Nos Profissionais de Psicologia. Tese de Mestrado não publicada, Universidade do Minho, Braga.

Guevara, C.A., Henao, D.P. & Herrera, J.A. (2004). Síndrome de desgaste profesional en médicos internos y residentes. Colombia Médica, 35(4), 173-178.

Halbesleben,J.R.(2006). Source of social support and burnout: A meta-analytic test of the conservation of resouces model. Jounal of applied Psycholgy, 91(5), 1134.

Haber, M.G., Cohen,J.L., Lucas,T.&Baltes.B.B.(2007). The relationship between self-reported received and perceived social support: A meta-analytic review. American Journal of Community Psychology,39 (1-2) , 133,144.

Hawken, T., Turner-Cobb, J., & Barnett, J. (2018). Coping and adjustment in caregivers: A systematic review. Health psychology open, 5(2), 2055102918810659. doi:10.1177/2055102918810659

Herrera G, Manrique FG. Condiciones laborales y grado de satisfacción de profesionales de Enfermería. Aquichan. 2008;8(2):243-56.

Leandro I. M., Oliveira R. J, Barbosa F. F., Junqueira A. C. S., Cruz M. M. C., Barbosa P. T. A., Abreu R. O., Grossman G.; Lebrão J. M. M.; Alvim P. E. C., Soares R. J. O. (2020). Síndrome de Burnout em residentes médicos: uma revisão bibliográfica. Brazilian Journal of health Review, Curitiba, v. 3, n. 4, p. 10528-10542 jul./aug..2020. DOI:10.34119/bjhrv3n4-268

Levin, A. (2005). Stress, job satisfaction, and social support: What relationship do they have to workplace turnover intentions? Abstract presented, 1st Annual Community, Work, and Family Conference, Manchester, England, March 16-19

López F, Bernal L, Cánovas A. Satisfacción laboral de los profesionales de un hospital comarcal de Murcia. Rev Calid Asist. 2001;16:243-6.

Loureiro, E. M. F. (2006). Estudo da Relação entre o Stress e os Estilos de Vida nos Estudantes de Medicina. Tese de Mestrado não publicada, Universidade do Minho, Braga.

Magalhães, R.A. & Glina, D.M. (2006). Prevalência de Burnout em médicos de um Hospital Público de São Paulo. Saúde, Ética & Justiça, 11(½), 29-35.

Mallar, S.C. & Capitão, C.G. (2004). Burnout e hardiness: um estudo de evidência de validade. Psico-USF, 9(1), 19-29.

Maslach, C., Schaufeli, B. & Leiter, P. (2001). Job burnout. Annual Review of Psychology. 52,397-422.

Molero Jurado, M., Pérez-Fuentes, M., Gázquez Linares, J., Simón Márquez, M., & Martos Martínez, Á. (2018). Burnout Risk and Protection Factors in Certified Nursing Aides. International journal of environmental research and public health, 15(6), 1116. doi:10.3390/ijerph15061116

Organização Mundial de Saúde (1968) / WHO Expert Committee on Mental Health & World Health Organization. (?1968)?. Organization of services for the mentally retarded : fifteenth report of the WHO Expert Committee on Mental Health [?meeting held in Geneva from 26 September to 2 October 1967]?. Geneva : World Health

Oliveira, M. M. C. M. Q. (2008). Burnout e Emoções: Estudo exploratório em médicos de um Hospital do Porto. Tese de Mestrado, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto, Porto.

Pais-Ribeiro J. L. (1999). Escala de Satisfação com o suporte Social (ESSS). Análise Psicológica, 3(17), 547-558.

Patrick, K. & Lavery, J. (2007). Burnout in nursing. Australian Journal of Advanced Nursing, 24(3), 43-48

Queirós, P. J. P. (2005). Burnout no trabalho e conjugal em enfermeiros portugueses. Coimbra: Formasau, Formação e Saúde.

Ribeiro (2005). Introdução à Psicologia da Saúde. Coimbra: Quarteto Editora.

Ribeiro JLP.(2011) Escala de Satisfação com o Suporte Social (ESSS). Instrumento de avaliação. Lisboa: Placebo, Editora LDA

Santos, A. & Cardoso, C. (2010). Profissionais de Saúde mental: estresse e estressores ocupacionais stress e stressores ocupacionais em saúde mental. Psicologia em Estudo, 15(2), 245-253.

Tamayo, M. R. & Tróccoli, B. T. (2002). Exaustão emocional: relações com a percepção de suporte organizacional e com as estratégias de coping no trabalho. Estudos de Psicologia, 7(1) 37-46.

Vidotti, V., Ribeiro, R. P., Galdino, M., & Martins, J. T. (2018). Burnout Syndrome and shift work among the nursing staff. Revista latino-americana de enfermagem, 26, e3022. doi:10.1590/1518-8345.2550.3022




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-256

Refbacks

  • There are currently no refbacks.