Terapia ocupacional, dança, pintura e expressividade: favorecendo espaços de encontro para adolescentes em abrigo institucional / Occupational therapy, dance, paint and expressivity: favoring encounter spaces for adolescentes in institutional care

Heloisa Maria Bento Costa, Maria Adriely Cunha Lima, This Souza Santos, Raphaela Schiassi Hernandes, Halley Ferraro Oliveira, Tiago Almeida Costa, Ana Maria Menezes de Souza, Lavínia Teixeira Machado

Abstract


Introdução: As atividades expressivas, como dança e pintura, são recursos potenciais utilizados pelo terapeuta ocupacional para alcançar objetivos diversos, transformando as expressões do sujeito e reorganizando o sentido de sua existência. Objetivos: tem como objetivo geral discutir a intervenção do terapeuta ocupacional utilizando a dança e a pintura como recursos terapêuticos, no contexto da institucionalização com grupos de adolescentes; e objetivos específicos: descrever autoestima e expressão dos adolescentes em situação de abrigo após os grupos de terapia ocupacional e descrever o significado dos grupos de terapia ocupacional para eles. Métodos: trata-se de uma pesquisa qualitativa, descritiva e intervencionista, realizada na sede de serviço de acolhimento para adolescentes no município de Lagarto, Sergipe. Foram realizados dez encontros, uma vez por semana, com duração de 2 horas, durante um período de três meses, compostos por atividades de dança e pintura, nos quais foram coletadas informações dos participantes do estudo. Resultados: Seis adolescentes participaram da pesquisa (três do sexo masculino e três do sexo feminino). No decorrer dos encontros foi possível observar mudanças no comportamento dos participantes, ao longo das atividades conseguiram se expressar melhor por meio da dança e das pinturas, visto que na maioria das vezes a expressão e a autoestima são prejudicadas por todo o processo que o adolescente em abrigo institucional vivenciou e continua vivenciando. Conclusão: As intervenções do terapeuta ocupacional podem contribuir para a emancipação dos sentimentos que permitiram os adolescentes em abrigo institucional se expressarem melhor, expondo desejos e medos por intermédio das expressões artísticas propostas, facilitando as relações interpessoais entre os adolescentes através das atividades expressivas.


Keywords


Acolhimento institucional, Dança, Pintura, Terapia Ocupacional

References


ALMEIDA, M. E. G. G.; PINHO, L. V. Adolescência, família e escolhas: implicações na orientação profissional. Psicologia Clínica, v. 20, n. 2, Rio de Janeiro, 2008.

BARRETO, D. Dança...: ensino, sentidos e possibilidades na escola - Campinas, SP: Autores Associados, 2004.

BRITO, A. M. M.; ZANETTA, D. M. T.; MENDONÇA, R. DE C. V.; BARISON, S.

Z..;ANDRADE, V. A. G. Violência doméstica contra crianças e adolescentes: estudo de um programa de intervenção. Ciência e saúde coletiva, v.10, n.1, p.143-149, 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v10n1/a15v10n1.pdf. Acesso em: 15 de maio 2017.

CASTRO, E. Dança, Corporeidade e Saúde Mental: Experimentações em Terapia Ocupacional. Em Arcuri, I. (org.), Arteterapia de Corpo e Alma. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006

CAVALCANTE, L. I. C.; MAGALHÃES, C. M. C. ; PONTES, F. A. R. Institucionalização precoce e prolongada de crianças: discutindo aspectos decisivos para o desenvolvimento.

Aletheia, n.25, p.20-34, jan./jun. 2007.

CAVALCANTE, L. I. C.; MAGALHÃES, C. M. C.; REIS, D. C. dos. Análise Comparativa do Perfil de Crianças em Acompanhamento Institucional nos anos de 2004 e 2009.

Pscico.v.45, n.1, pp 90-99, Jan/Mar. 2014.

FERREIRA, Frederico Poley Martins. Crianças e adolescentes em abrigos: uma regionalização para Minas Gerais. Serv. Soc. Soc. [online]. 2014, n.117, pp.142-168. ISSN 0101-6628. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-66282014000100009.

GALHEIGO; Sandra Maria. O Abrigo para Crianças e Adolescentes: Considerações Acerca do Papel da terapia Ocupacional. Ver. Ter. Ocup. Uni-SP. v. 14, n. 12, p.85-94. Mai./Ago. 2003.

LIBERATO; M. T. C.; DIMENSTEIN, M. Experimentações entre Dança e Saúde Mental. Fractal: Revista de Psicologia, v. 21 – n. 1, p. 163-176, Jan/Abr. 2009.

LIBERMAN, F. Danças em Terapia Ocupacional, São Paulo: Summus, 1998.

LIBERMAN, F. Delicadas Coreografias: Apontamentos sobre o corpo e Procedimentos em uma Terapia Ocupacional. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar, São Carlos. V. 18, n 1; p 67-76. Jan-Abr 2010.

LUVIZARO, N. A; GALHEIGO, S. M. Considerações sobre o cotidiano e o habitar de crianças e adolescentes em situação de acolhimento institucional em abrigo. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, v.22, n.2, p.191-199, maio/ago.2011. MARQUES, I. A. Dançando na escola. São Paulo. Cortez, 2003.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec/ABRASCO, 1992.

MOEHLECKE, V. O dançar do corpo: experimentações rebeldes no contemporâneo. Dissertação (Mestrado) Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005 NEGRINE, A. O corpo na educação infantil. Caxias do Sul: EDUCS, 2002.

NOAL, J; NEIVA-SILVA, L. Adoção, adoção tardia e apadrinhamento afetivo: intervenções em relação a crianças e adolescentes vítimas de abandono e institucionalizadas. In: HUTZ,

C.S. (Org.). Prevenção e intervenção em situações de risco e vulnerabilidade. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007.

ROBATTO, L. Dança em processo: a linguagem do indizível. 1ª Edição. Ed. Salvador: Centro Editorial e Didático da UFBA; 1994.

SAAD, B; VILLARREAL, G. Caracterização do problema do menor abandonado. In: FREIRE, F. (Org.). Abandono e adoção: contribuições para uma cultura da adoção. Curitiba: Terre des Hommes, 1991, p. 34-36.

VALLADARES, A. C. A.; LAPPANN-BOTTI, N. C.; MELLO, R.; KANTORSKI, L. P.;

SCATENA, M. C. M. Reabilitação psicossocial através das oficinas terapêuticas e/ou cooperativas sociais. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 5 n. 1 p. 04 – 09, 2003. Disponível em http:/www.fen.ufg.br/Revista.

YUNES, M. A., MIRANDA, A. T., CUELLO, S. S.; ADORNO, R. S. A história das instituições de abrigo às crianças e concepções de desenvolvimento infantil [Resumo]. In: Sociedade Brasileira de Psicologia (Ed.), Resumos de comunicações científicas, XXXII Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Psicologia (pp.213-214).




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-232

Refbacks

  • There are currently no refbacks.