Qualidade de Vida de mulheres com Câncer de mama no pré-operatório, pós-operatório e em tratamento quimioterápico/ Quality of life of women with breast cancer in the preoperative, postoperative and chemotherapy treatments

Larissa Dell’Antonio Pereira, Maria Aparecida Amaral Musso, Marcela Vieira Calmon, Camila Brandão de Souza, Eliana Zandonade, Sebastião Benício da Costa Neto, Maria Helena Monteiro de Barros Miotto, Maria Helena Costa Amorim

Abstract


Objetivo: Avaliar a Qualidade de vida de Mulheres com câncer de mama no pré, pós-operatório e em quimioterapia e examinar sua relação com as variáveis sociodemográficas e clínicas. Metodologia: Estudo Longitudinal, realizado no Hospital Santa Rita de Cássia (HSRC), mantido pela Associação Feminina de Educação e Combate ao Câncer - Vitória – ES. Coletaram-se os dados durante os meses de maio de 2012 a janeiro de 2013 no ambulatório do HSRC. Utilizou-se os instrumentos, EORTC QLQ C-30 e o EORTC BR-23 para mensurar a QV das entrevistadas no período pré, pós-operatório e durante o tratamento quimioterápico. Utilizou-se o Pacote Estatístico para as Ciências Sociais na versão 20.0 para análise dos dados. Resultados: Amostra composta por 41 mulheres onde a média de idade foi 52,5 anos, sendo que 42,5% da amostra apresentaram 60 anos ou mais de idade. Mulheres casadas ou em um relacionamento estável representaram de 66% das entrevistadas (n=27). As dimensões que após aplicação do teste de Wilcoxon se apresentaram estatisticamente significantes foram: Funcionamento Físico; Limitações Funcionais; Falta de Ar; Efeitos da quimioterapia; Imagem Corporal; Fadiga; Falta de Apetite; Náusea e Vômito; Funcionamento Cognitivo; Funcionamento Social; Dificuldade Financeira; Diarreia; Perspectivas Futuras; Sintomas no Braço; Sintomas na Mama. Conclusão: As etapas do tratamento da mulher com diagnóstico de câncer de mama interferem em diferentes dimensões da vida da mesma, impactando sua Qualidade de Vida. Ações estratégicas na Saúde Coletiva e um atendimento interdisciplinar são necessários para que os impactos negativos na QV sejam minimizados oferecendo aos pacientes oncológicos melhor assistência.


Keywords


Qualidade de Vida, Neoplasias da Mama, Saúde da Mulher.

References


Brasil. Ministério da Saúde. Controle de Câncer de Mama. Documento de Consenso. Rio de Janeiro: INCA, 2004.

Hespanhol FL, Tinoco EMB, Teixeira HGC, Falabella MEV, Assis NMSP. Manifestações bucais em pacientes submetidos à quimioterapia. Ciênc Saúde Coletiva 2010; 15(1): 1085-94.

Brasil. Ministério da Saúde/ Secretaria de Atenção à Saúde/ Departamento de Regulação, Avaliação e Controle/Coordenação Geral de Sistemas de Informação. Manual De Bases Técnicas Da Oncologia. 2011.

Associação Brasileira de Portadores de Câncer. Construindo uma Rede de Controle do Câncer de Mama em Santa Catarina – Advocacy. 2012.

Leal CMS. Reavaliar o conceito de qualidade de vida. [Internet]. 2008 [citado 2013 jan 28]. Disponível em: http://www.porto.ucp.pt/lusobrasileiro/actas/Carla%20Leal.pdf. Acesso em: 28 jan. 2013.

Pais-Ribeiro J, Pinto C, Santos C. Validation study of the portuguese version of the QLC-C30-V.3. Psic Saúde & Doenças [online] 2008; 9(1): 89-102.

European Organization for Research and Treatment of Cancer, 2004 EORTC Quality of Life Study Group. QLQ-C30: Scoring manual. Bruxelas: 2004.

Makluf ASD, Dias RC, Barra AA. Avaliação da qualidade de vida em mulheres com câncer da mama. Rev Bras Cancerol 2006; 52(1): 49-58.

Nascimento JL, Sousa MNA, Alencar TP. Escalas sobre qualidade de vida em pacientes com câncer de mama. Brazilian Journal of Health Review, Curitiba, v. 3 (6): 16559-16578, 2020.

Brasil. Critério de Classificação econômica do Brasil. ABEP, ABIPEME [Internet]. 2008 [citado 2012 ago 19]. Disponível em: http:www.abep.org/codigosguias/critério_Brasil_2008r.

Brasil. Ministério da Saúde. Estimativa 2012: incidência de câncer no Brasil / Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, Coordenação Geral de Ações Estratégicas, Coordenação de Prevenção e Vigilância. Rio de Janeiro: Inca, 2011. 118p.

Kamangar F, Dores GM, Anderson WF. Patterns of cancer incidence, mortality and prevalence across five continents: defining priorities to reduce cancer disparities in different geographic regions of the world. J Clin Oncol 2006; 24: 2137-50.

Peres RS, Santos MA. Câncer de mama, pobreza e saúde mental: resposta emocional à doença em mulheres de camadas populares. Rev Latino-Am Enfermagem [online]. 2007; 15: 786-91.

Menezes MFB, Camargo TC. A fadiga relacionada ao câncer como temática na enfermagem oncológica. Rev Latino-Am Enfermagem [online]. 2006; 14(3): 442-7.

Silva CB, Albuquerque V, Leite J. Qualidade de vida em pacientes portadoras de neoplasia mamária submetidas a tratamentos quimioterápicos. Rev Bras Cancerologia 2010; 56(2): 227-36.

WU TC. Estudo prospectivo do valor da acupuntura no controle da náusea e vômito em pacientes de câncer de mama submetidos à quimioterapia adjuvante. São Paulo. Tese [Doutorado em Ciências] – Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo; 2007.

Fernandes MH, Graziani SR. Acupuntura na prevenção da náusea e do vômito decorrentes do tratamento da quimioterapia antineoplásica. Revista PIBIC, Osasco, 2006; 3(2): 49-58.

Bergamasco R B, Angelo M. O sofrimento de descobrir-se com câncer de mama: como o diagnóstico é experienciado pela mulher. Rev Bras Cancerologia 2001; 47(3): 277-82.

Araujo IMA, Fernandes AFC. O significado do diagnóstico do câncer de mama para a mulher. Esc Anna Nery [online]. 2008; 12(4): 664-71.

Pereira SG, Rosenhein DP, Bulhosa MS, et al. Vivências de cuidados da mulher mastectomizada: uma pesquisa bibliográfica. Rev Bras Enferm 2006; 59(6): 791-95.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-216

Refbacks

  • There are currently no refbacks.